Saiba como organizar sua despensa corretamente

Basta precisar de um ingrediente para aquele receita, abrir a despensa e que bagunça! O cantinho da cozinha dedicado ao estocamento de produtos alimentícios está quase sempre fora de ordem, com vários produtos fora da validade.

Mas é possível colocar tudo em ordem de maneira fácil – e fazer uma manutenção mensal com pouco trabalho. As organizadoras pessoais Heloísa Sundfeld, da Personal Assistant, e as irmãs Stella e Malú Nogueira, da Organizabox, dão as dicas. Veja o passo a passo:

Confira a data de validade dos produtos

despensa

Lembre-se ainda de, toda vez que for guardar uma compra, verificar a validade do produto já existente na despensa (Foto: Shutterstock)

 

Olhe sempre a data de validade dos alimentos. Jogue fora o que já expirou e coloque na frente os produtos que tiverem mais próximos da data de vencimento. Lembre-se ainda de, toda vez que for guardar uma compra, verificar a validade do produto já existente na despensa. Todos os utensílios e produtos usados com mais frequência devem ficar em locais mais acessíveis.

Organizar cereais em potes é boa ideia

cereal
Os cereais, depois de abertos, devem ser colocados em potes herméticos para uma melhor conservação (Foto: Shutterstock)

 

Nada de abrir um saco de feijão ou macarrão, usar apenas uma parte, e voltar com eles para a despensa na mesma embalagem. “Os cereais, depois de abertos, devem ser colocados em potes herméticos para uma melhor conservação”, ensina Heloísa. “Mantenha sempre os potes etiquetados com o nome do produto e a data de validade”, acrescenta Stella.

Potes ou prateleiras móveis podem ajudar na organização

prateleiras_despensa
Os potes são fundamentais na organização de uma despensa (Foto: Shutterstock)

O mercado oferece uma gama enorme de opções que certamente atenderão as mais diversas necessidades. Os potes são fundamentais na organização de uma despensa. As prateleiras móveis, algumas com vários “andares” e que podem ser montadas e desmontadas, são excelentes para otimização do espaço, auxiliando na organização e na criação de espaços extras.

Produtos de limpeza devem ficar longe dos alimentos

despensa_limpeza
O cheiro dos materiais de limpeza pode comprometer os alimentos, sem falar do risco de vazamentos (Foto: Shutterstock)

A lavanderia ou área de serviço são o local ideal para os produtos de limpeza. Eles devem ficar longe dos alimentos. “O cheiro dos materiais de limpeza pode comprometer os alimentos, sem falar do risco de vazamentos. O ideal é mantê-los em ambientes distintos, porém se isso for inviável, mantenha-os os mais distantes possível. Separe os materiais de limpeza em caixas ou cestas plásticas”, explica Malú.

Faça uma limpeza mensal na despensa

Aproveite para esvaziar a despensa antes de uma compra grande. Tire tudo e prepare o espaço para receber as novas compras. Utilize sempre produtos neutros, sem cheiros fortes. Uma esponjinha com detergente neutro, depois um pano com água e por último um pano seco pode ser uma opção.

despensa_organizada
Utilize sempre produtos neutros, sem cheiros fortes (Foto: Shutterstock)

Álcool também funciona. O importante é garantir que o espaço estará seco quando for retornar utensílios e produtos para o local. “Essa prática além de manter sua despensa organizada auxiliará você na elaboração da lista de compras, evitando a compra de produtos desnecessários e o esquecimento de algum item. Lembre-se também de lavar as latas e vidros antes de guardá-los”, aconselha Stella.

Para armários com umidade, eis a solução

Existem alguns antimofos no mercado que são boas opções. Mas lembre-se de nunca colocar nada com cheiro forte próximo dos alimentos. Alguns truques caseiros podem ser a solução do problema da umidade e até insetos. “Para controlar o mofo e os insetos use um potinho aberto com sal ou com bicarbonato de sódio dentro do armário. Eles absorvem a umidade”, diz Malú. Heloísa ensina outra saída: “Pode colocar uns pedaços de giz embrulhados em um pedaço de tule, ou produtos específicos para tirar umidade, mas que não tenham cheiro”, orienta a profissional.

 

Fonte: Zap imóveis

Como tornar a assembleia atrativa aos condôminos

Pesquisa realizada pelo portal SíndicoNet aponta que as assembleias contam, em média, com um quórum de apenas 15% dos condôminos.

Por isso, preparamos uma reportagem especial para entender o que desmotiva os condôminos e como é possível tornar esse evento mais interessante.

MOTIVOS

As razões para o condômino não participar são variadas:

  • isenção: prefere não se posicionar sobre determinados assuntos
  • desinteresse: não participa por pura comodidade ou porque os assuntos em pauta são pouco relevantes
  • aprovação: está satisfeito com tudo e confia na administração. Por isso, não vê necessidade de sua participação.
  • falta de tempo: não tem tempo para participar ou considera o tempo de duração muito elevado
  • uso excessivo de procurações: apesar de ser permitido por Lei, desde que a convenção não proíba ou determine limites, o uso em excesso de procurações é muito criticado pelos demais condôminos. Trata-se de uma prática que, se usada de forma abusiva, compromete (e muito) o objetivo democrático de uma assembleia.
  • falta de objetividade no tratamento dos assuntos em pauta: Ficar mais de duas horas falando sobre aspectos nem sempre pertinentes a todos os moradores pode tornar-se um suplício.

“A maioria das pessoas quer esclarecer todos os problemas do condomínio na assembleia, com cada um defendendo seu ponto de vista, desrespeitando o que foi definido na pauta”, acredita Sueli Duek. Desta forma, perde-se o foco com questões que podem ser resolvidas apenas fazendo uma sugestão ou crítica no livro de ocorrências do prédio, que geralmente fica na portaria.

CONVOCAÇÃO

Para a maioria das fontes consultadas para esta reportagem, além do procedimento convencional de convocação por edital, é aconselhável reforçar o acontecimento por meio de comunicados no elevador, quadro de avisos e até e-mails. Pode-se solicitar também ao porteiro ou zelador que ligue para todos os apartamentos uma hora antes da primeira convocação.

  Dicas para uma convocação bem-sucedida:

Em relação ao edital, recomenda-se que este tenha no máximo seis itens em pauta;

  • as pautas devem ser claras, pertinentes e necessárias;
  • se achar conveniente, estipular e mencionar tempo máximo de duração (a média costuma ser de duas horas)
  • colocar observações como: “A sua presença é indispensável para o bom andamento e valorização do nosso patrimônio”;”Os ausentes, por Lei, deverão acatar com todas as decisões tomadas”.
  • atente se nesse dia haverá algum jogo de futebol ou qualquer outro evento popular importante, ou se é próximo de feriado prolongado;
  • peça ao porteiro para colocar nos elevadores, um dia antes ou no dia da assembleia, um lembrete simples, como: “Não se esqueça: hoje, você tem um compromisso com o seu condomínio!”. Essa atitude chama a atenção dos moradores para a reunião.
  • assuntos mais chamativos: reajuste da mensalidade condominial; cotas extras para reformas em geral: pintura e lavagem do prédio, manutenção de elevadores, obras na fachada etc.; eleição de síndico; sorteio de vagas de garagem; troca de funcionários próprios por terceirização.

DATAS, HORÁRIOS E DURAÇÃO

  • O tempo ideal de duração de uma assembleia deve girar em torno de 1h30 a 2h. 
  • No quesito horário, o mais recomendado é entre 20h e 20h30, para dar tempo de as pessoas chegarem do trabalho, e para que a reunião não termine muito tarde.
  • Fazer a primeira chamada entre 19h30 e 20h e aguardar até às 20h30, para o segundo e derradeiro aviso.
  • Inicie sempre no horário (geralmente na segunda chamada, uma vez que a participação da primeira dificilmente é alcançada).
  • É bom considerar que entre segunda e quarta-feira as pessoas estão no ritmo mais intenso de trabalho e, provavelmente, mais disponíveis para participar de reuniões. Muitos não descartam a quinta-feira como opção, desde que não seja próxima de um feriado
  • Não é recomendado realizar assembleias nos fins de semana. Entretanto, caso seja esta a opção, prefira o horário das 10h ou 15h, e aos domingos – em um caso extremo – às 10h ou 11h.

O QUE SERVIR?

Para alguns dos profissionais consultados pela reportagem, água, café e, no máximo, biscoitos, são suficientes, já que estamos falando de uma assembleia, não exatamente de uma festa ou confraternização.

Por outro lado, há quem prefira tornar essa reunião mais descontraída, com aperitivos diversos, sanduíches, refrigerantes, até como forma de acalmar os ânimos dos condôminos mais exaltados. “As pessoas interagem mais e perde-se um pouco da hostilidade de alguns”, sugere Rodrigo Matias.

Álcool, contudo, é terminantemente proibido: pode causar constrangimentos irreversíveis entre os moradores.

USO DE PROCURAÇÕES

Conforme mencionado nesta matéria, o uso excessivo de procurações, apesar de ser permitido por Lei, desde que a convenção não proíba ou determine limites, é muito criticado pelos demais condôminos.

Trata-se de uma prática que, se possível, deve ser evitada, pois se usada de forma abusiva, compromete (e muito) o objetivo democrático de uma assembleia, desestimulando assim a presença dos demais participantes.

Se a convenção do seu condomínio não estabelece limites para isto, a única saída é conseguir aprovação de 2/3 do total dos condôminos para alterar a convenção.

 

O PAPEL DO SÍNDICO

O síndico deve exercer o papel de mediador, mantendo a ordem e a coletividade.

“Se, durante a reunião, apenas um morador faz perguntas, a assembleia torna-se desinteressante”, opina Rodrigo Matias. Em assuntos mais polêmicos que envolvam reformas, por exemplo, é sempre importante realizar uma votação.

Juraci Garcia Baena lembra ainda que o síndico precisa estar bem informado sobre todas as questões que envolvem o condomínio. “Além disso, ele precisa ter muito jogo de cintura e tolerância”, avisa.

O mais importante, na opinião dos síndicos e administradores consultados pela reportagem, é manter sempre o roteiro da pauta, minimizando as eventuais “escapadas” do tema. Na ânsia de resolver seus problemas, os condôminos podem discutir assuntos sem relevância para a coletividade.

“Bons exemplos são questões como vagas de garagem, barulho, entre outros, em que se gasta tempo, o problema não é resolvido e deixa os demais participantes chateados”, ressalta Baena.

Uma alternativa é que esses assuntos de ordem geral sejam discutidos fora de hora, no final da assembleia. Assim, só quem estiver envolvido com os tópicos participará.

Dicas e ideias interessantes:

  • Antes da convocação, procure debater informalmente e colher informações com os condôminos sobre os pontos mais complexos a serem pautados. Isso pode ser feito por meio de uma breve reunião informal, ou até mesmo via troca de e-mails, por exemplo. Mas é muito importante que todos sejam convidados a participar, para evitar que alguém se sinta excluído ou desfavorecido. Assim, quando ocorrer a assembleia, os interessados estarão melhor informados sobre a pauta e poderão contribuir com idéias, opiniões e/ou sugestões mais objetivas. Isso pode tornar o debate visivelmente mais produtivo
  • Defina uma mesa com presidência e secretaria que sejam referência no condomínio, para que todos respeitem.
  • Determine o assunto a ser tratado e só passe para outro depois de resolvido e anotado na ata.
  • Esforce-se para manter a seqüência estabelecida pela pauta, negociando as questões novas para o final da reunião. Se conseguir, a assembleia está garantida.
  • Nunca manobre: discuta cada item sempre de forma transparente.
  • Os assuntos a serem tratados podem  ficar expostos em cartazes pela sala de reunião.
  • As cadeiras podem ser dispostas em um círculo, facilitando a comunicação face-a-face.
  • Sortear algum brinde de boa qualidade durante a assembleia pode surtir efeito em alguns casos. Se for o seu, coloque na convocação que haverá essa prática.
  • Mantenha o material (orçamentos, provisão orçamentária, extratos bancários, fotos de obras e serviços etc.) organizado e, se possível, mostre aos condôminos por meio de retro-projetor ou computador, por exemplo, tornando a reunião menos cansativa.
  • Outra boa medida é levar cópia da Convenção e do Regulamento Interno, para possível consulta.
  • Um dia depois da reunião, coloque um cartaz nos elevadores informando os principais tópicos discutidos e seus resultados, para que todos saibam o que aconteceu na assembleia. A ata deve ser rigorosamente enviada aos condôminos em até oito dias.

Fonte: Sindico Net

5 dicas para um anúncio de imóvel perfeito

Não é novidade para ninguém que buscar imóveis na internet se tornou parte do processo de compra de um imóvel. Atualmente, até 60% do processo de decisão é feito online e 88% das pessoas utilizam a internet em sua decisão na busca de um imóvel. Ou seja, pra quem está pensando em vender um imóvel, fazer um anúncio online é indispensável. Mas como fazer para que seu anúncio de destaque em meio a tantos outros, e prenda a atenção de quem está procurando por um imóvel? Se você está com essa dúvida, esse post irá te ajudar listando os principais fatores que fazem um anúncio de imóvel ser bom.

1 – Fotos

As fotos são uma das partes mais importantes do anúncio! É ela que traz o cliente para seu anúncio o mantêm interessado, ela é responsável por 80% das visualizações de uma página de imóvel na web, e ter fotos de qualidade profissional aumenta em até 2x a chance de se vender um imóvel. Portanto, utilize fotos de qualidade em seu anúncio, organize a casa, arrume a bagunça e coisas pessoais e preste atenção à iluminação!

anúncio_de_imóveis_perfeito

2 – Descrição

É importante que você passe ao leitor o máximo de informações possíveis. Muitos usuários desistem de um imóvel na internet quando se deparam com informações escassas, e alguém que está realmente interessado em seu imóvel vai querer levar algum tempo lendo a descrição. Para que seu anúncio não seja mais um ignorado pelos usuários, forneça toda a informação que puder, como IPTU, condomínio, área, número de quartos e banheiros, área de lazer, vagas de garagem, etc. Destaque também possíveis diferenciais do imóvel como varanda espaçosa, ou alguma reforma recente.

3 – Localização

É muito importante informar ao menos a localização aproximada do imóvel, assim o usuário poderá saber se o imóvel se encontra em uma região de seu interesse ou não. Além disso, faça uma descrição informando como é viver na região, as facilidades do local, como por exemplo: padaria e supermercado próximos, farmácias, parques, praças, boa vizinhança, etc. Isso irá ajudar a atrair a atenção e o interesse de um usuário que estiver lendo seu anúncio.

4 – Preço

Quem está vendo um anúncio espera ver o seu preço. Além disso, é importante verificar se seu imóvel está em um preço justo, caso contrário mesmo com o melhor anúncio possível e um imóvel perfeito, será muito difícil vendê-lo.

Vídeos

Vídeos são uma tendência cada vez maior em anúncios de imóveis, e assim como as fotos, ajudam a manter a atenção e interesse do usuário em seu anúncio. Isso porque os vídeos são uma excelente forma de apresentar o espaço do seu imóvel, mas assim como as fotos é preciso atenção para fazer um vídeo de qualidade. A utilização de vídeos em anúncio é muito comum no exterior, principalmente em residências de luxo.

5 – Documentação

É importante ter a documentação do imóvel em mãos quando for fazer um anúncio. Isso irá evitar possíveis perdas de negociação devido ao prazo que se leva para obter todos os documentos. Alias, informe que possui a documentação em dia no seu anúncio! Isso poderá atrair vários possíveis compradores! Possui dúvidas sobre a documentação?

Com essas 7 dicas você terá um anúncio que com certeza trará resultados. O anúncio com uma maior qualidade e relevância com certeza irá contar mais pontos no poder de decisão do comprador.

Fonte: Benvenuto

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúde

Investir na decoração verde vai muito além de embelezar os ambientes. De acordo com a Nasa, ter plantas dentro de casa é uma excelente opção para melhorar a saúde dos moradores, principalmente pela capacidade das espécies de filtrar os poluentes. Algumas plantas conseguem absorver as partículas com mais eficiência, mas, no geral, todas as espécies são capazes de melhorar a qualidade do ar dos ambientes.

Segundo a Nasa, algumas plantas, como o crisântemo, lírio-da-paz, comigo-ninguém-pode, gérbera, espada-de-são-jorge e antúrio, têm a incrível capacidade de remover gases tóxicos de ambientes fechados. Para um resultado ainda melhor, a agência sugere que as pessoas tenham, dentro de casa, cerca de 15 plantas em vasos de pelo menos 15 centímetros. Se você mora em um apartamento pequeno ou se prefere plantas maiores, não será necessário ter tantas espécies para aproveitar o mesmo poder de limpeza do ar.

Além de purificar o ar, plantas dentro de casa ainda trazem outros benefícios para a saúde. Confira abaixo outras vantagens de ter plantas dentro de casa:

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúdeResfriado comum

Plantas em ambientes internos aumentam os níveis de umidade e diminuem a poeira, reduzindo as doenças relacionadas ao frio em mais de 30%.

Sonolência

O excesso de dióxido de carbono pode elevar os níveis de sonolência. Durante a fotossíntese, as plantas removem o CO2 do ar.

Estresse

As plantas podem contribuir para uma sensação de bem-estar e ajudam as pessoas a ficarem mais calmas e otimistas. Além disso, sabe-se que as plantas reduzem a pressão sanguínea devido à sua natureza de aliviar o estresse.

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúde

 

Dor de cabeça

Respirar ar contaminado aumenta as dores de cabeça. Por produzirem oxigênio e diminuírem o nível de dióxido de carbono no ar, as plantas também ajudam a combater este mal.

Congestionamento

Algumas plantas como o eucalipto podem ajudar a limpar as secreções e melhorar o congestionamento do sistema respiratório. Esta planta age como um antisséptico natural e deve ser usada apenas como inalante.

Pele seca

As plantas são um umidificador natural. Ao colocar um vaso de hera-inglesa dentro de casa, será possível perceber um aumento da umidade nos ambientes internos, principalmente em regiões de clima seco.

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúde

Insônia

Sim, as plantas podem ajudar a melhorar a sua noite de sono! Algumas espécies, como as margaridas e gérberas, liberam oxigênio à noite, portanto, ao colocar estas plantas próximas à sua cama, você terá oxigênio extra, o que ajudará no seu sono.

Vale lembrar que cada espécie precisa de um cuidado especial. A luz, o clima e a temperatura dos ambientes interferem de forma direta no crescimento das plantas, por isso certifique-se de colocá-las no lugar certo para garantir que elas recebam os nutrientes necessários para se desenvolver.

Fonte: Brightnest

Como a tecnologia está construindo cidades mais seguras e sustentáveis?

O fluxo de pessoas para as áreas urbanas é uma preocupação de governos no mundo todo e parece ser um processo sem volta. De acordo com as Nações Unidas, o percentual de pessoas vivendo em áreas urbanas chegará a 68% até 2050. Com essa movimentação, problemas típicos de grandes centros urbanos se tornam ainda maiores – como é o caso da criminalidade, da burocracia, da necessidade de infraestrutura de comunicação e da emissão de carbono.

Compreender a movimentação e o comportamento das pessoas é essencial para combater esses problemas, e tecnologias como a Internet das Coisas, Big Data, Inteligência Artificial e computação em nuvem são peças-chave para garantir que o crescimento desses ambientes seja seguro e sustentável.

As iniciativas de cidades inteligentes estão criando novos ecossistemas, novos mercados e novas economias totalmente digitais em todo mundo. E o conceito de cidades inteligentes só é real se existir a utilização intensiva de tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) em espaços urbanos, e elas precisam ser sensíveis ao contexto da área, gerando dados que serão usados para melhorar a gestão urbana e social. Porém, para que isso aconteça, é necessário o básico de infraestrutura das próprias TICs.

Neste contexto, a conectividade é a condição indispensável de um ecossistema avançado que possibilite a criação de cidades inteligentes. Estar preparado para o 5G, possuir redes de fibra óptica cortando a cidade e o armazenamento na nuvem são pilares substanciais que deverão direcionar os investimentos.

Porém, antes de ser inteligente, a cidade precisa ser segura. Isso porque a segurança é a mais básica necessidade social e, além disso, a infraestrutura para cidades seguras (conectividade e armazenamento) pode ser inteligentemente direcionada para quase a totalidade das demais iniciativas de cidades inteligentes.

Vários países no mundo já recebem projetos dentro do conceito de Safe City, inclusive o Brasil. No Rio de Janeiro, existe o Luz Azul, um projeto da empresa Venses Tecnologia em parceria com o Secovi Rio que consiste na instalação de câmeras de vigilância identificadas com uma luz azul voltadas para a rua. As imagens captadas são armazenadas em na nuvem da Microsoft (AZURE) e compartilhadas com a Polícia Civil em tempo real.

Segurança pública de qualidade é uma necessidade de todo grande centro urbano e o uso de tecnologias é comprovadamente eficaz para garantir não só um sistema de segurança inteligente, como também para promover melhor qualidade de vida para os habitantes, por meio de soluções que visam melhor eficiência de todo o ecossistema das cidades.

 

Fonte: Condomínios Verdes

Vai viajar? Veja os cuidados que você deve ter com a casa

O verão e o fim de ano chegaram e com eles as tão merecidas e esperadas férias.

Mas, para que você desfrute a viagem com tranquilidade e segurança, é preciso tomar algumas precauções antes de colocar o pé na estrada. Vai viajar? Veja os cuidados que você deve ter com a casa.

Não conte para estranhos

Não espalhe a notícia de que vai viajar para desconhecidos ou pessoas distantes – infelizmente um simples comentário de que a casa estará vazia no período pode trazer grandes problemas. Conte sobre a ausência para um vizinho próximo e de confiança, pedindo para ele ficar atento caso ocorra alguma movimentação estranha no imóvel.

Segurança

Teste todos os fechos e trancas das portas e janelas – cuidado apenas para não colocar cadeados em excesso nos portões, eles podem chamar a atenção e evidenciar que a casa está vazia. Se possível, reforce a segurança com alarmes, sensores de movimento ou câmeras de vigilância.

Garanta o cuidado das plantas

Uma grande preocupação é como cuidar das plantas e dos animais durante o período de ausência. O ideal é regar as plantas e retirar as partes podres antes de viajar, alimentar e deixar os animaizinhos limpos e pedir para uma pessoa de confiança cuidar dos seus pets (um hotelzinho é uma boa dica também), molhar as plantas e recolher a correspondência enquanto você está fora.

Desligue aparelhos eletrônicos e registros

Não importa o tempo de viagem: é fundamental retirar todos os aparelhos eletrônicos da tomada. Não se esqueça também de fechar o registro de água e a válvula de gás!

Luzes

Ao contrário do que muitos pensam, deixar uma luz acesa não é necessariamente uma boa medida de segurança: lâmpadas acesas durante o dia podem sinalizar que a casa está vazia e atrair atenções. Se possível, portanto, use lâmpadas programáveis para apagarem de dia e acenderem à noite.

Uma boa alternativa são as lâmpadas de fotocélulas. Elas ficam acesas assim que detectam que está escuro e se apagam quando o ambiente está claro. Essa é também uma ótima maneira para economizar energia.

Não dê sinais de que a casa está vazia

Procure não dar sinais de que a casa está vazia. Para isso, contar com uma pessoa de confiança é fundamental: ela pode evitar que correspondências e lixo se acumulem no quintal, sinais que evidenciam que não tem ninguém no imóvel. Se isso não for possível, suspenda pelo menos a assinatura de jornais e revistas. Empilhados na porta de sua casa, eles podem chamar a atenção de potenciais invasores.

Objetos de valor

Não é recomendável deixar objetos de muito valor ou grandes quantias de dinheiro em sua casa. Ou então, guarde-os em locais bem seguros para protegê-los caso ocorra alguma invasão.

Esvazie a geladeira

Nada de fazer grandes compras antes de viajar, certo? Se você for passar bastante tempo fora, lembre-se de remover qualquer tipo de alimento perecível da sua geladeira, evitando assim mau cheiro e outros visitantes desagradáveis: roedores e insetos.

Limpeza geral

Antes de viajar, faça uma limpeza geral na casa, retirando todo o lixo, lavando roupas e louças. Isso irá evitar acúmulo de sujeira, geração de bactérias, mau cheiro, aparição de insetos e ainda vai conservar a casa organizada para quando você voltar.

E você, tem mais alguma dica para manter a casa em segurança durante as férias? Conte pra gente!

 

Fonte: Casa Show

Não escorregue na segurança ao decorar sua casa

Um apartamento bonito e bem decorado é o sonho de qualquer um, não é mesmo? Porém, a beleza não deve ser prioridade na sua casa nova. Afinal, de que vale ter um imóvel de luxo que não oferece nenhuma segurança aos moradores? Pensando nisso, na nossa matéria de hoje separamos algumas dicas para você decorar a sua casa evitando erros que podem ser prejudiciais à saúde da sua família.

1) Pisos antiderrapantes: devem ser utilizados em áreas que recebam água, como banheiros, lavanderias, varandas, ao redor de piscinas e demais espaços externos. Vale lembrar que existem diversos tipos de pisos, uns rústicos e outros mais modernos. Cabe ao morador escolher aquele que mais se adequa a decoração de sua casa.

2) Escadas: para esses espaços é imprescindível o uso de corrimão e pisos antiderrapantes. Em nenhuma hipótese coloque tapetes ou algum elemento que possa se desprender na escada. Vale lembrar que a altura dos degraus deve ser confortável e sua largura deve comportar duas pessoas sem precisar que uma dê espaço para a outra.

3) Tomadas: banheiros, lavanderias e cozinhas são locais onde as tomadas demandam mais cuidado por causa do possível contato com a umidade. Uma dica é usar aparelhos movidos a pilha nesses cômodos. Se não for possível, procure colocar as tomadas sobre as pias e não muito próximas à superfície. Se tiver crianças em casa, não esqueça de comprar protetores e instalá-los em todas elas.

4) Banheiros: para esses espaços um banheiro funcional é excelente. Isto é, um ambiente visualmente limpo e moderno onde os objetos necessários para uso pessoal estão sempre próximos ao usuário.

5) Vidros: a utilização de vidro na decoração demanda bastante cuidado. Quando se tem crianças ou idosos em casa, as mesas de centro não são recomendadas. Já que elas podem causar inúmeros acidentes. Uma dica para esses casos é adotar um puff estofado como mesa de centro.

6) Redes: as redes de proteção são itens de extrema necessidade quando se tem crianças em casa. Porém, antes de implantá-la um planejamento deve ser feito. Cada uso definirá o tamanho ideal da trama. Depois disso, é possível definir a partir da cor que melhor combine com a fachada sua residência.

Em suma, os pontos citados anteriormente são coisas tão simples que muitas vezes passam despercebidas. Por isso, fique atento e observe se alguns desses erros estão sendo cometidos na sua casa. Por último, não esqueça de compartilhar essas informações com seus familiares e amigos.

 

8 itens que podem provocar alergias em casa

1. Velas aromatizantes
Elas possuem produtos químicos na composição que aumentam o risco de desenvolver asma e outras doenças respiratórias. Além disso, as fragrâncias emitem partículas orgânicas no ar que podem irritar os olhos ou o trato respiratório. Então, se você começar a lacrimejar sempre que acender a vela, é melhor se desfazer do produto.

2. Travesseiro
Você nunca dorme sozinho quando tem um travesseiro. Esse item abriga muitos ácaros. Se você é alérgico, certamente, vai despertar com o nariz coçando frequentemente. Para se livrar do incômodo, lave regularmente a peça em água quente e use capa protetora.

3. Bichos de pelúcia
Assim como os travesseiros, os brinquedos de pelúcia são ótimos ninhos para os ácaros. Se é impossível livrar-se deles, lembre-se de lavá-los com frequência em água quente.

4. Toalhas
É preciso atenção na hora de comprar novas toalhas. Há algumas opções que possuem material mais rígido que se torna macio com o passar do tempo. Essa não é a melhor opção porque causa irritação na pele. Substitua as suas por peças macias e doe as antigas aos centros de zoonoses de sua cidade.

5. Pelos
É de partir o coração, mas é muito comum que apaixonados por animais tenham alergia ao pelo do bicho de estimação. Para reduzir os danos, aspire os ambientes toda semana e troque o filtro de ar do aparelho com frequência. Ah, infelizmente, evite deixá-los subir na cama.

6. Sofá de couro
Alergia a couro não é muito comum, mas existe! Observe se algum sintoma aparece após passar um tempo sentado no sofá ou poltrona revestido com o material. Você pode estar reagindo ao ‘fumarato de dimetilo’, uma substância utilizada em móveis para evitar o mofo do material. Em 2011, a reação alérgica ao produto foi nomeada como “contato alérgico do ano” pelo número de casos descobertos.

7. Aspirador de pó
Acredita-se que aspirar a casa regularmente ajuda a diminuir as chances de alergias. Mas existe também um processo alérgico desencadeado por esse tipo de limpeza. Afinal, a aspiração joga partículas de poeira no ar. Se você não pretende substituir o carpete, utilize uma máscara enquanto aspira o piso. Também vale conferir se o filtro do aparelho é HEPA (High Efficiency Particulate Arrestance). Caso não seja, chegou a hora de substituí-lo.

8. Plantas em casa
As plantas purificam o ar e melhoram o bom humor. Mas você já deve ter ouvido falar que elas também podem causar sérios desconfortos aos moradores devido aos fungos. Quando eles se alojam nos vasos, a proliferação acontece naturalmente por conta de umidade, favorecendo, assim, o surgimento de processos alérgicos.

Fonte: Casa e Jardim

10 dicas para organização da casa

Manter uma casa sempre arrumada não é tarefa fácil, mas também está longe de ser impossível. Em todos os cômodos é possível implantar alguns hábitos, planejar a decoração e seguir dicas para organização da casa simples que vão garantir uma casa sempre funcional para você e sua família.

As vantagens de um lar organizado são várias, no dia a dia você consegue poupar tempo e até dinheiro a ter suas coisas no mesmo lugar, além de tudo isso, uma casa organizada tende a parecer maior e mais espaçosa. Conheça as nossas dicas para organização da casa e deixe seu lar arrumado já!

1 – TENHA LUGAR CERTO PARA TUDO

Uma das dicas para organização da casa mais importantes é manter a casa arrumada sempre, para isso, é essencial que você saiba onde é o lugar de cada coisa. Para definir onde tudo fica, pense em como e quando usa cada um deles, para evitar muita bagunça o ideal é que os acessórios fiquem perto de onde são mais utilizados

2 – PENDURE O QUE PUDER

Os ganchos também são aliados! Pendurando acessórios, e até utensílios como panelas. Na cozinha também vale instalar um imã para exibir as facas, com essas dicas para organização da casa, você economiza espaço nos armários e ganha uma decoração bastante estilosa.

3 – GANCHOS NA ENTRADA DE CASA

Mudar os hábitos também está entre as principais dicas para organização da casa. Instalar um cabideiro na entrada de casa pode poupar muita bagunça posterior. Ter o hábito de pendurar bolsas, casacos e chaves assim que chega, faz com que esses objetos não fiquem largados.

4  – ARRUMANDO A DESPENSA

Não subestime nenhum espaço na sua casa! Uma das dicas para organização da casa mais legais é que você pode usar prateleiras simples para abrigar os mantimentos. Na hora de arrumar a despensa coloque os produtos novos na parte de trás do armário, assim, os mais perto do vencimento serão consumidos antes.

5 – APROVEITE OS ESPAÇOS SEM UTILIDADE

O topo do armário pode ser um excelente lugar para guardar e acomodar objetos e acessórios que não tem uso no dia a dia. Itens de viagem, casacos pesados durante o verão e até documentos importantes podem ser armazenados neste espaço que parecia inútil. Entre as dicas para organização da casa, está separar os assuntos e etiquetar tudo sempre que possível.

6 –   MANTENHA OS CABIDES IGUAIS

Para garantir que o seu guarda-roupa ou closet sempre fique arrumado e com a sensação de organização vale a pena investir em cabides iguais. Entre as dicas para organização da casa que parecem detalhes, esse vai fazer a diferença na hora de acomodar toda a roupa e também na hora de se vestir pela manhã.

7 – SEJA CRIATIVO: VÁ ALÉM DAS DICAS PARA ORGANIZAÇÃO DA CASA TRADICIONAIS

Não importa quantas dicas para organização da casa você já tenha lido, no final, o importante é usar a criatividade na hora de guardar suas coisas. Tem muitos sapatos? Usar as paredes para exibir a coleção também vai ajudar a visualizar todos os pares, assim nenhum fica sem.

8 – SETORIZE SEMPRE QUE POSSÍVEL

Agrupe os objetos com uso parecidos em um só lugar. Essa noção ajuda na hora de saber quando uma coisa está fora do lugar, mas também serve para que você tenha noção da quantidade que possui de cada coisa. Entre as dicas para organização da casa que existem, essa ajuda na hora de livrar do excedente, afinal com isso em mente é mais fácil se desfazer das pelas sem uso.

9 – SE NÃO PODE VENDER, JUNTE-SE A ELES

Se você tem uma colocação ou uma quantidade grande de alguma item que pode virar bagunça, uma das melhores dicas para organização da casa é pensar ou planejar um móvel para acomoda-los da melhor forma. Assim, fica tudo arrumado e a coleção ainda se integra à decoração.

10 – AS CRIANÇAS TAMBÉM AJUDAM

Para aproveitar todas as dicas para organização da casa, a família toda deve participar, inclusive as crianças. O hábito da arrumação pode e deve ser ensinado desde sempre, para ajudar na organização dos pequenos, aposte em prateleiras na altura deles e em baldinhos grandes, onde seja fácil guardar os brinquedos depois da bagunça.

Fonte: Viva Real

5 erros comuns na hora de reformar e decorar e como evitá-los

1. Parta do existente
Ainda na faculdade ouvi essa frase de um professor de Planejamento Urbano e, desde então, essa se tornou uma das minhas maiores verdades na hora de projetar. Em tempos de excesso de informação, principalmente a avalanche de imagens vindas de redes sociais, como Instagram e Pinterest, é sempre uma tentação tentar adaptar uma ideia ou copiar literalmente algo que gostamos. Acontece que projetar é, antes de tudo, respeitar aquilo que já está ali na nossa frente. As melhores ideias, por exemplo, tomam como partido características intrínsecas do espaço que não podem ser mudadas, mas que serão o ponto de partida para as maiores sacadas. Portanto, quando gostar de algo tente, antes de tudo, identificar ali o seu gosto pessoal e não “roubar” a ideia em si.

2. Todo projeto evolui
Quando iniciamos uma obra, é preciso se preparar para mudanças ao longo do percurso. Costumo sempre alertar os clientes que o processo de uma reforma/decoração dificilmente é finalizado antes de seis meses. Esse é um prazo mínimo absolutamente coerente e pode se estender até um ano ou mais conforme o ritmo de decisão e fechamento de orçamentos. Por ser um tempo longo, e por se tratar da nossa casa, é normal a indecisão e a mudanças de ideias ao longo desse tempo. Todo projeto amadurece e evolui.

Essas pequenas alterações podem realinhar a escolha dos acabamentos, de cores ou mesmo o afinamento do layout inicial e a disposição dos móveis. Uma vez que nada ainda tenha sido comprado ou fechado vale a pena reestudar, repensar e até mesmo mudar de ideia quando existe um consenso de que o resultado final será melhorado.

3. Priorize os espaços conforme seu uso
Em tempos de grandes e rápidas mudanças, o programa de uma casa ou apartamento não é mais o mesmo de anos atrás. Com apartamentos cada vez menores, não há mais uma regra para a distribuição dos ambientes, ou seja, o que foi pensado pela construtora ou pelo antigo morador não deve ser tratado como verdade absoluta. Tenha em mente que você é quem define o que é prioridade na sua casa. Por exemplo, se você gosta de se jogar em um sofá confortável e assistir filmes ou séries, faça desse espaço o principal da sua casa e não se preocupe com a divisão tradicional de uma sala principal de estar, para receber, e outra menor para assistir TV.

Com a proliferação de restaurantes e o hábito cada vez mais frequente de fazer as refeições fora de casa, veja se realmente existe a necessidade de uma mesa de oito lugares ou se ela será usada apenas uma ou duas vezes por ano. A decoração do futuro será cada vez mais personalizada e tudo que é impessoal e tratado como regra será banido.

4. Jamais comece pela compra dos móveis
Usar um móvel como ponto de partida para o projeto da casa é um erro comum. Algumas escolhas são desastrosas e a atenção deve ser maior com as peças de maiores dimensões, como sofás e mesas de jantar. É muito mais fácil acomodar uma poltrona e mesas laterais em qualquer ambientação.

Sempre alerto meus clientes: o melhor momento para pensar em decoração é após a marcenaria projetada e encomendada.

5. Pense na decoração como um todo
Por mais que você tenha prioridades para a decoração, tente se organizar por ambientes em vez de comprar um móvel para cada lugar da casa. A decoração deve sempre ser pensada como um todo e, se possível, definida de uma vez só. Quando você altera um tecido ou o desenho de uma poltrona, a mudança reverbera no sofá, no tapete, na mesa lateral e seus respectivos acabamentos. Tentar consertar algo que foi começado exige muito mais de todos para um resultado harmônico e bonito no final.

Fonte: Revista Casa e Jardim