5 cuidados que devemos tomar para receber comida em casa com segurança

 

A vida em quarentena é cheia de novos desafios e aprendizados. Todos estão cozinhando mais e também pedindo mais delivery. No entanto, não basta apenas receber a comida pronta na porta de casa, há outros cuidados que precisam ser tomados para se prevenir do coronavírus.

 

1) Quando o entregador chegar, fique a pelo menos 1 metro de distância dele. Coloque uma cadeira na porta para ele apoiar ali a embalagem e explique que é uma medida de segurança.

 

2) Passe álcool gel na mão e no cartão depois de usar a maquininha. Se for usar cash, lave muito bem as mãos em seguida.

3) Não deixe que o cartão fique próximo do alimento na hora do pagamento.

 

4) Escolha um lugar para desembalar os produtos diferente do local onde irá se servir. Descarte a sacola externa e higienize a superfície onde vai colocar as embalagens com as comidas. Lave bem a mão antes de encostar nesta última.

 

5) Depois de organizar a mesa para a refeição, lave mais uma vez a mão e, prontinho: bom apetite!

 

FONTE: O GLOBO

Sintomas e prevenção: Veja mais informações sobre o coronavírus

 O LANCE! entra no processo de conscientização contra o COVID-19 e traz para você informações sobre a pandemia que parou o futebol e praticamente todos os esportes, suspendendo e adiando competições ao redor do mundo. Ao seguirmos as orientações das organizações de saúde estaremos ajudando a sociedade a minimizar a propagação do vírus.
O coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).
Veja mais informações do Ministério da Saúde sobre a doença
Período de incubação
É o tempo que leva para os primeiros sintomas aparecerem desde a infecção por coronavírus, que pode ser de 2 a 14 dias.
Sintomas
Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias. Os principais sintomas são:
– Febre;
– Tosse;
– Dificuldade para respirar.
Transmissão
As investigações sobre as formas de transmissão do coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por gotículas respiratórias ou contato, está ocorrendo. Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de 1m) com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção. A disseminação de pessoa para pessoa pode ocorrer de forma continuada.
A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:
– gotículas de saliva;
– espirro;
– tosse;
– catarro;
– contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
– contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.
Prevenção
O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:
– Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes;
– Ficar em casa quando estiver doente;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.

10 dicas para organização da casa

Manter uma casa sempre arrumada não é tarefa fácil, mas também está longe de ser impossível. Em todos os cômodos é possível implantar alguns hábitos, planejar a decoração e seguir dicas para organização da casa simples que vão garantir uma casa sempre funcional para você e sua família.

As vantagens de um lar organizado são várias, no dia a dia você consegue poupar tempo e até dinheiro a ter suas coisas no mesmo lugar, além de tudo isso, uma casa organizada tende a parecer maior e mais espaçosa. Conheça as nossas dicas para organização da casa e deixe seu lar arrumado já!

1 – TENHA LUGAR CERTO PARA TUDO

Uma das dicas para organização da casa mais importantes é manter a casa arrumada sempre, para isso, é essencial que você saiba onde é o lugar de cada coisa. Para definir onde tudo fica, pense em como e quando usa cada um deles, para evitar muita bagunça o ideal é que os acessórios fiquem perto de onde são mais utilizados

2 – PENDURE O QUE PUDER

Os ganchos também são aliados! Pendurando acessórios, e até utensílios como panelas. Na cozinha também vale instalar um imã para exibir as facas, com essas dicas para organização da casa, você economiza espaço nos armários e ganha uma decoração bastante estilosa.

3 – GANCHOS NA ENTRADA DE CASA

Mudar os hábitos também está entre as principais dicas para organização da casa. Instalar um cabideiro na entrada de casa pode poupar muita bagunça posterior. Ter o hábito de pendurar bolsas, casacos e chaves assim que chega, faz com que esses objetos não fiquem largados.

4  – ARRUMANDO A DESPENSA

Não subestime nenhum espaço na sua casa! Uma das dicas para organização da casa mais legais é que você pode usar prateleiras simples para abrigar os mantimentos. Na hora de arrumar a despensa coloque os produtos novos na parte de trás do armário, assim, os mais perto do vencimento serão consumidos antes.

5 – APROVEITE OS ESPAÇOS SEM UTILIDADE

O topo do armário pode ser um excelente lugar para guardar e acomodar objetos e acessórios que não tem uso no dia a dia. Itens de viagem, casacos pesados durante o verão e até documentos importantes podem ser armazenados neste espaço que parecia inútil. Entre as dicas para organização da casa, está separar os assuntos e etiquetar tudo sempre que possível.

6 –   MANTENHA OS CABIDES IGUAIS

Para garantir que o seu guarda-roupa ou closet sempre fique arrumado e com a sensação de organização vale a pena investir em cabides iguais. Entre as dicas para organização da casa que parecem detalhes, esse vai fazer a diferença na hora de acomodar toda a roupa e também na hora de se vestir pela manhã.

7 – SEJA CRIATIVO: VÁ ALÉM DAS DICAS PARA ORGANIZAÇÃO DA CASA TRADICIONAIS

Não importa quantas dicas para organização da casa você já tenha lido, no final, o importante é usar a criatividade na hora de guardar suas coisas. Tem muitos sapatos? Usar as paredes para exibir a coleção também vai ajudar a visualizar todos os pares, assim nenhum fica sem.

8 – SETORIZE SEMPRE QUE POSSÍVEL

Agrupe os objetos com uso parecidos em um só lugar. Essa noção ajuda na hora de saber quando uma coisa está fora do lugar, mas também serve para que você tenha noção da quantidade que possui de cada coisa. Entre as dicas para organização da casa que existem, essa ajuda na hora de livrar do excedente, afinal com isso em mente é mais fácil se desfazer das pelas sem uso.

9 – SE NÃO PODE VENDER, JUNTE-SE A ELES

Se você tem uma colocação ou uma quantidade grande de alguma item que pode virar bagunça, uma das melhores dicas para organização da casa é pensar ou planejar um móvel para acomoda-los da melhor forma. Assim, fica tudo arrumado e a coleção ainda se integra à decoração.

10 – AS CRIANÇAS TAMBÉM AJUDAM

Para aproveitar todas as dicas para organização da casa, a família toda deve participar, inclusive as crianças. O hábito da arrumação pode e deve ser ensinado desde sempre, para ajudar na organização dos pequenos, aposte em prateleiras na altura deles e em baldinhos grandes, onde seja fácil guardar os brinquedos depois da bagunça.

Fonte: Viva Real

5 sinais de que sua casa está te deixando doente e como resolvê-los

De certa forma, nossa casa é como uma segunda pele. Ela é uma extensão de nossos corpos, o edifício mais importante na vida de cada ser humano. A saúde e bem-estar dos moradores devem estar em primeiro lugar sempre, sendo um ambiente saudável o componente chave para uma vida balanceada.

Então, como criar este ambiente? Analisando os cinco pontos citados a seguir, você poderá criar uma casa muito mais saudável e que lhe dará imenso prazer em passar mais tempo.

  1. Alta umidadeUma casa com alto índice de umidade (acima de 45%) pode tornar-se um bom lugar para o desenvolvimento de mofo. Se o nível de umidade for alto o suficiente, as paredes também podem ser afetadas. Sabe-se que certos tipos de mofo causam inúmeros problemas de saúde, como sinusite crônica, até danos ao sistema nervoso. Alta umidade também atrai ácaros, que podem causar reações alérgicas, complicações estomacais e transtornos no sono.

    Como diminuir a umidade em casa:

    • Comprar um monitor de umidade para medir os níveis de umidade. Monitores eletrônicos ou aparelhos de ar condicionado que possuem esta função podem servir como aliados para equalização da umidade interna.
    • Ligar exaustores quando tomar banho ou cozinhar. Manter as portas e janelas abertas para promover a ventilação cruzada após esses tipos de atividades.
    • Manter janelas abertas em estações de elevada umidade, sempre que possível.
    • Avaliar a necessidade da compra de um desumidificador, se necessário (e parar de usar um umidificador).
    1. Poeira e Sujeira

    A poeira não só incomoda como também carrega ácaros que podem irritar vias respiratórias e olhos. Estudos mostram que ácaros debilitam nosso sistema imunológico ao longo do tempo. Poeira também traz sujeira e partículas externas que podem conter pesticidas e herbicidas, que potencialmente são tóxicos para o sistema nervoso, além de diversos outros tipos de bactérias. Cerca de 40% dos sapatos transportam uma bactéria chamada clostridium difficile entre muitas outras. Estes esporos são muito difíceis de tratar e se espalham pela casa, não ficando apenas no chão onde o sapato pisou. Sapatos também transportam coliformes fecais de animais, terra, e diversos outros tipos de sujeira.

    Como minimizar a poeira:

    • Aspirar a residência com frequência, garantindo que o aspirador esteja sempre com o filtro limpo.
    • Não usar sapatos dentro de casa, prevendo um local específico para armazenamento dos mesmos no hall de entrada da residência ou inserindo um capacho permanente do lado externo das entradas, com grade de captação fixa, para limpeza periódica. Limpar as patas dos animais ao entrar.
    • Lavar com frequência roupas de cama, almofadas, cortinas e animais de pelúcia.
    1. Infiltração

    A maioria das pessoas, se não todas, já tive infiltração em casa em algum momento – seja por uma janela com vazamento que deixa água entrar ou uma porta mal vedada que permite pequenas inundações internas. Qualquer forma de infiltração pode reduzir drasticamente a saúde dentro da sua casa se não for limpa corretamente. Se você se deparar com algum ponto de infiltração ou vazamento, é importante consertá-lo e então limpá-lo de maneira correta para não criar mofo.

    Como identificar pontos de infiltração:

    • Pintura craquelada, descascando ou com bolhas em paredes e forros.
    • Paredes ou forros macios ou retorcidos com acúmulo de água ou escoamento direto.
    • Rodapé que não está rente à parede ou piso.
    • Tábuas de piso (tipo taco)tortas ou deformadas. Forros ou laje com manchas devido à possibilidade de telhas quebradas.
    • Manchas nos peitoris das janelas.
    • Armários internos próximos de tubos e conexões hidráulicas que possam ter algum vazamento.
    1. Casas estanque

    O movimento da eficiência energética em residências fora do Brasil está em pleno vapor, e inicial no país, o que significa que muitas casas são completamente estanques, impossibilitando que qualquer tipo de ar externo adentre a residência. Enquanto esta estratégia é uma ação ótima para a conta de luz, ela torna-se potencialmente uma grande ameaça para a saúde.

    Toxinas em nossas casas provenientes do ar que exalamos e o gás que nossos eletrodomésticos produzem precisam ser filtrados por ar externo renovado. Quando alguém usa um aquecedor ou ar condicionado, estes equipamentos não absorvem e renovam o ar externo. Na verdade, estão filtrando e reciclando apenas o próprio ar interno, mantendo as toxinas no interior dos ambientes.

    É importante para a saúde de nossas casas e corpos garantir que haja ventilação natural ou mecânica, para prevenir a baixa qualidade do ar interior. Desta forma, construir casas que tenham maior interação com o ambiente externo é fundamental para manter a boa qualidade do ar interior e da saúde dos ocupantes.

    Como reverter os efeitos de uma casa estanque:

    • Promover a ventilação natural e cruzada, abrindo janelas e portas sempre que possível.
    • Promover ventilação mecânica, instalando exaustores de ar em ambientes muito fechados, com exaustão para o exterior.
    • Usar exaustores para expelir o ar quando tomar banho ou cozinhar.
    1. Invasão de umidadeInvasão de umidade pode referir-se a qualquer água que entre em sua casa (seja proveniente do interior ou exterior). Água proveniente do exterior obviamente pode causar infiltração em paredes e forros. E sabemos que água, mesmo que em pequenas quantidades, pode causar mofo. Água e umidade também podem surgir de vazamentos de encanamentos, torneiras e bacias sanitárias.

      E apesar de ‘condensação’ soar inofensivo, ela na verdade pode colocar sua casa em maior risco de geração de mofo. Geralmente vista em janelas quando o ar externo está mais frio do que o ar interno; a condensação pode eventualmente pingar/gotejar dentro das paredes, causando um mofo preto e tóxico.

      Como prevenir intrusão de umidade:

      • Cheque a parte externa de sua casa buscando buracos, frestas e vazamentos.
      • Cheque as calhas externas para garantir que a água da chuva esteja sendo propriamente direcionada, não formando poças ou vazamentos em locais pavimentados.
      • Preste atenção em acabamentos hidráulicos, buscando qualquer sinal de gotejamentos ou vazamentos.
      • Mantenha a umidade interior entre 35% e 45% para reduzir o risco de condensação.

      É importante se manter atento ao ambiente interno. Você não espera que uma maçã se mantenha fresca em uma sacola de papel molhada cheia de bactérias. Da mesma forma, não podemos esperar nos manter saudáveis em um ambiente tóxico, onde passamos até 80% de nosso tempo.

      Fonte: Blog GBC Brasil