Como integrar a sala e a varanda de casa

Uma tendência cada vez mais popular nos apartamentos atuais é converter a varanda da casa, transformando-a num espaço de estar, integrado à sala. Por isso, resolvemos trazer esse assunto na matéria de hoje, com dicas de como integrar esses dois ambientes, deixando seu lar mais convidativo e aconchegante!

 

  • Normas

 

Primeiramente, é preciso verificar junto às normas do prédio se há restrições para esse espaço, ou se é permitido, por exemplo, fazer o fechamento da varanda ou derrubar a parede que a separe da sala. As permissões/proibições do prédio farão toda a diferença na decisão do seu projeto.

 

  • Isolando

 

O segundo passo diz respeito ao que é necessário fazer para isolar o ambiente externo, impedindo que chuvas, vento etc. entrem na sua sala. Uma das principais soluções é vedar a varanda, com o envidraçamento da sacada – material flexível e resistente às ventanias e ação do tempo, que pode ser aberto quando o morador quiser. Outra opção é manter a sacada aberta, normalmente, e separá-la da sala com portas de correr de vidro, que garantem a sensação de amplitude, além do conforto térmico e acústico.

 

  • Pisos

 

Para que os ambientes conversem, é preciso que a decoração deles harmonize. Assim, indica-se o uso de um mesmo piso, dando a impressão de continuidade entre os espaços. Lembrando que, na varanda, o piso tem que ser resistente aos agentes naturais, como chuva, umidade e sol. Portanto, os pisos de maior durabilidade, fácil manutenção e pouco porosos são os mais indicados, como o porcelanato natural, os emborrachados, as fibras e o alumínio.

 

  • Revestimentos

 

Procure, seguindo a última dica, manter as mesmas cores ou revestimentos nas paredes dos dois cômodos, dando unidade a eles – e colaborando com a sensação de amplitude. Mas, atenção! Assim como no piso, as paredes da área externa precisam receber materiais próprios, mais resistentes.

 

  • Iluminação

 

Item essencial em qualquer decoração, ela também precisa ser pensada nesse projeto. Se você optar pelo vidro na sacada ou nas portas de correr, lembre-se da ação do sol na sala, que pode incomodar em determinados dias (principalmente nos de verão). Nesse caso, as persianas podem ajudar a controlar a entrada de luz natural. Como nas varandas os pontos de iluminação do teto já costumam vir definidos, podem ser criados pontos focais, embutidos no gesso ou instalados em locais estratégicos, complementando a iluminação existente. A iluminação pontual, além de tudo, garante mais aconchego e conforto ao espaço.

E então, o que você achou das informações e sugestões que demos nesse post? Lembre-se que, antes de iniciar qualquer reforma, você precisa verificar as regras do condomínio e contratar um arquiteto/decorador, para que tudo ocorra da forma mais segura e correta possível. #FicaADica

 

Ideias para fazer a Decoração de Natal da sua casa

Como o Natal está bem perto, resolvemos trazer, na matéria de hoje, algumas dicas de decoração para enfeitar a sua casa ou apartamento, especialmente para esse período tão esperado do ano. Continue lendo o post e confira nossas sugestões super charmosas!

Mostraremos, a seguir, algumas ideias criativas e práticas, para que você consiga receber amigos e familiares em casa com muito mais aconchego e charme. Alguns itens você já tem na sua casa, e os reinventará. Outros, precisará comprar – a garantia, no final, é uma decoração muito aconchegante.

  • Centro de mesa

Para fazer um arranjo simples para colocar no centro de uma mesa, agrupe velas de diferentes tamanhos juntinhas. Coloque, em volta, um pouco de musgo. Se quiser deixar ainda melhor, prenda pauzinhos de canela em algumas das velas – com barbante mesmo.

  • Garrafas

Garrafas usadas de vidro podem se tornar vasos para flores, ou serem enchidas de bolinhas natalinas… O que sua criatividade mandar. “Embale” as garrafas com tecidos que remetem ao Natal (com fita dupla face) e, para terminar, passe uma fita em volta, finalizando com um belo laço.

  • Pedestal

Pratos com pés podem acomodar doces, pequenos aperitivos, ou, ainda, servir de apoio para arranjos de flores. Se quiser, faça tudo isso ao mesmo tempo, colocando os elementos da maneira mais bonita possível.

  • Porta talheres

Eles podem ser improvisados com retalhos de tecidos natalinos. Apenas amarre os talheres com pequenos pedaços de panos coloridos e, se preferir, use um pedaço de fita para finalizar.

  • Seixos

Simples, naturais e fáceis de serem encontrados, seixos variados podem ser usados como peso antiventania. Também podem, aliados a tags com nomes dos convidados, demarcar lugares à mesa, para que a ceia fique mais organizada.

  • Taças

Para marcar as taças, evitando o ‘troca-troca’ que é resultado da confusão de sempre entre os convidados, use fitas de diferentes cores em cada taça, improvisando um lacinho. Ideia prática, barata e solucionadora.

  • Velas

Quase todo mundo tem velas em casa, não é verdade?! Aqui, temos duas dicas: usar velas flutuantes numa bela travessa com água, o que é um charme, ou misturar velas e pedras sobre uma tábua de madeira, improvisando um arranjo super elegante.

E então, o que você achou das informações e sugestões que trouxemos?! Esperamos que tenha gostado e, com elas, se inspirado a deixar a decoração da sua casa mais bonita, calorosa e convidativa, não só para as festas de final de ano, mas para sempre que for receber convidados em seu lar.

Como fazer a decoração de um quarto infantil

O momento da decoração de um quarto infantil é sempre especial, já que muitos são os aspectos trabalhados, sendo um lugar não só para a criança dormir, como também para brincar, estudar, se inspirar… Por isso, resolvemos trazer esse tema na matéria de hoje, a fim de te ajudar!

A decoração desse espaço influencia diretamente no desenvolvimento da criança, já que pode ajudar a despertar a curiosidade e desenvolver sentidos, gostos e habilidades. Dependendo da idade das crianças, elas também podem auxiliar na escolha dos móveis e objetos para o quarto.

É importantíssimo levar em consideração não só os gostos e desejos dos pais, como também a personalidade da criança, além de pensar na possibilidade de adaptação do cômodo enquanto a criança for crescendo. Precisa, ainda, ser um lugar organizado e prático para o dia-a-dia de todos.

Escolha cores que agradem à criança, adaptando-as ao bom funcionamento da decoração. Tome cuidado para não causar um efeito muito pesado ou cheio de informação, o que tende a acontecer, principalmente, se você fizer um espaço muito temático.

Outros detalhes essenciais:

  • Iluminação

As janelas existentes não devem ficar obstruídas por móveis ou cortinas pesadas. Você pode criar um sistema de iluminação indireta, que dá muito aconchego.

  • Livros e brinquedos

Faça desse ambiente um espaço lúdico e estimulante, deixando brinquedos e livros ao alcance dos pequenos. O estilo Montessoriano é muito assertivo, já que incentiva a expressão e o desenvolvimento das crianças num ambiente próprio para o aprendizado.

  • Segurança

Independente da idade da criança, é preciso prestar atenção na segurança, evitando, por exemplo, peças pontudas ou muito pequenas e materiais, em geral, que podem machucar os pequenos.

  • Crescendo

Vale lembrar que esse cômodo pode seguir um estilo elegante e moderno, que consiga perdurar por muitos anos, sem deixar de ser divertido e lúdico. Se você quiser reaproveitar a decoração por um bom tempo, atente-se para alguns detalhes que manterão o projeto versátil. Cortinas, imagens e iluminação solta podem ser substituídas conforme o gosto e a idade da criança forem mudando, enquanto os móveis podem ser reformados/atualizados, fazendo com que o ambiente evolua e cresça junto com a criança.

Esperamos que, com todas essas informações e dicas que trouxemos no post de hoje, você tenha conseguido pensar melhor sobre a decoração do quarto do seu filho (a), neta (o), sobrinho (a), afilhada (o), refletindo sobre esses pontos importantes. Se você tiver outras sugestões, compartilhe com a gente!

 

Como aplicar o Feng Shui na sua casa

O Feng Shui é uma ciência (e arte) chinesa, milenar, que objetiva organizar os espaços de forma a atrair a melhor influência possível da natureza. Pensando nisso, resolvemos trazer esse tema na matéria de hoje, com dicas para te ajudar a afastar energias ruins da sua casa, mantendo o astral dela positivo. Confira!

Ar circulando: É importante que o ar circule. Para isso, abra todas as janelas, mesmo nos dias com temperaturas mais baixas. Aproveite e sacuda os travesseiros e demais roupas de cama.

Objetos quebrados: Eles, além de bloquearem as energias boas, levam energias negativas para o espaço. Por isso, se não conseguiu consertar o estrago, jogue fora!

Acúmulo: Acumular muitos objetos pela casa faz com que a energia fique retida, bloqueando emoções e a espiritualidade do lar. Deixe todos os elementos, inclusive armários e prateleiras, sempre organizados e sem excessos.

Espelhos: Além de levarem energias positivas para o espaço, eles ajudam a limpar a mente. Mas as peças com pontas cortantes devem ser evitadas. E nada de guardar espelho quebrado!

Cristais: Os cristais, além de serem um charme, aumentam as boas energias do lar. Dicas para escolher o seu: a turmalina negra ajuda a afastar energias negativas, enquanto o quartzo rosa dissolve os sentimentos ruins, substituindo-os por bons.

Aromas: Espalhar um aromatizante de laranja pela casa, além de elevar as boas energias, melhora o humor. Outra opção é o incenso, que acalma o ambiente e também é bom para a meditação. Escolha um aroma de sua preferência.

Sal: Quem estiver se mudando, pode colocar uma pitada de sal em cada cantinho dos cômodos da casa nova, aspirando e jogando fora 48 horas depois. O sal absorve as energias ruins dos moradores antigos.

Esperamos que tenha gostado de todas as informações que trouxemos nesse post e que, com elas, você consiga melhorar o astral da sua casa, deixando-a mais positiva e leve, e, consequentemente, melhorando seu humor e disposição. #FicaADica ☺

7 soluções para ganhar mais espaço de armazenamento em casa

Na matéria de hoje, falaremos sobre um assunto que muito interessa à maioria das pessoas, trazendo algumas soluções simples de como ganhar mais espaço de armazenamento na sua casa, através de sete dicas que ajudam a guardar melhor roupas e objetos. Continue lendo e confira!

  • Criado-mudo

Que tal aproveitar esse espaço para, ao invés de optar por um móvel reto e todo aberto, escolher um armário pequeno, com gavetas e porta?!

  • Cabeceiras

Aproveite as cabeceiras da cama para apoiar livros e quadros, dando um visual moderno e muito charmoso ao ambiente, e deixando seus livros favoritos com alcance facilitado.

  • Camas-baú

Aproveitar o espaço embaixo da cama de forma organizada, comprando uma cama baú, pode ser uma ótima opção para guardar malas, roupas de cama e otras cositas más.

  • Baús

Na sala de estar ou no escritório, que tal incluir um baú com decoração vintage que além de super estiloso te dará mais espaço para guardar coisas?!

  • Móveis altos

Os móveis altos são a aposta certa para o melhor aproveitamento do espaço, como, por exemplo, armários até o teto, estantes grandes etc.

  • Prateleiras extras

Sempre que puder, opte pelos armários com prateleiras e espaços extras para os quartos da sua casa. Aproveite todo o espaço possível!

  • Livros antigos

Se você não quer se desfazer de revistas e livros antigos, incorpore-os à decoração da sua casa, empilhando livros e colocando plantinhas no topo, por exemplo… Use a criatividade!

E então, o que você achou de nossas sugestões? Esperamos que tenha gostado do post e também se inspirado a colocá-las em prática, melhor aproveitando os espaços da sua casa e, de quebra, ainda melhorando o visual dos ambientes. #FicaADica

Decoração para apartamentos alugados

Decorar casas e apartamentos alugados é um desafio maior, já que, como o espaço pertence à outra (s) pessoa (s), muitas intervenções não podem ser feitas. Mas não se preocupe, pois, para te ajudar com essa questão, trouxemos a matéria de hoje. Confira a seguir!

Os espaços alugados apresentam algumas restrições e, além disso, não é interesse do inquilino gastar muito dinheiro num ambiente que não seja seu. Mas então, como deixar esse cantinho com a sua cara, levando aconchego ao ambiente?! A solução é economizar (dinheiro e estresse) com alternativas simples.

  • Paredes e azulejos

Para evitar gastos com pinturas e papéis de parede que, antes de o imóvel ser entregue, devem ser retirados (e as paredes, emassadas… etc. etc.), que tal optar pelos adesivos, que são mais fáceis de serem aplicados e retirados?! Eles podem ser colocados na sala, quartos, e até nos azulejos da cozinha e do banheiro… Há muitas cores e estampas disponíveis no mercado, sendo uma opção muito divertida e prática.

  • Pisos

Para disfarçar, use tapetes, cobrindo o que não lhe agrada. Essa é uma opção que pode ser utilizada em qualquer ambiente da casa. Os pisos de madeira flutuante, que são colocados, por encaixe, sobre o piso atual, podem ser retirados na hora da entrega do imóvel e, se estiverem em bom estado e forem bem retirados, podem até ser reaproveitados.

  • Quadros

Quadros ajudam a levar mais da personalidade do morador ao espaço, e, depois de retirados, os furinhos que ficam na parede podem ser preenchidos com um pouquinho de massa, antes de a pintura ser feita. Além disso, algumas prateleiras mais finas, encontradas em grandes lojas, também podem ser utilizadas tanto para apoiar quadros, como outros objetos, como porta-retratos e lembranças de viagem, por exemplo.

  • Iluminação

Use a abuse dos abajures! Outra alternativa é aproveitar os pontos de luz existentes para melhorá-los com lustres ou pendentes bem bonitos – que depois podem ser carregados com você para outro local.

E então, o que você achou de nossas sugestões?! Esperamos que tenha gostado das ideias e se inspirado a deixar seu cantinho alugado mais com a sua cara, colocando em prática nossas dicas e, assim, fazendo com que você se sinta melhor nele.

 

Aprenda a organizar a casa utilizando prateleiras e nichos

Não faltam atributos às prateleiras para organização dos ambientes. Elas são fáceis de encontrar, têm bom preço, podem ser instaladas por você mesmo e são soluções rápidas e eficientes para a bagunça.

“O segredo dos usos de prateleiras na decoração é a organização dos objetos”, afirma a arquiteta Marina Musa Machado. “Normalmente as prateleiras são colocadas em lugares estratégicos para preencher um espaço, servir de base para embutir uma iluminação, expor objetos decorativos e para armazenamento”.

Mas a versatilidade da peça tem levado ela a outros patamares. Não raro, as prateleiras também marcam presença em ambientes mais sociais, como salas, cozinhas gourmet, bares e varandas.

“As prateleiras ficam mais elegantes quando fixadas por uma estrutura oculta embutida na peça e na parede e o uso de iluminação faz toda a diferença para dar destaque aos objetos e deixar o ambiente ainda mais charmoso e aconchegante”, afirma a arquiteta.

De acordo com a especialista, em ambientes sociais vale apostar também em estantes altas com prateleiras para armazenar livros, por exemplo. Para aqueles objetos que não se deseja mostrar, a recomendação é optar pelo uso de caixas decorativas.

“Os objetos selecionados, para cada ambiente específico, devem ser mesclados para ter um equilíbrio das peças: livros, vasos pequenos, porta retratos, caixas decorativas, esculturas, quadros, porta velas, entre outros”, diz Marina.

Fonte: Revista Zap

10 Dicas para o jardim vertical mais lindo do mundo

Quando o assunto é decoração estamos sempre buscando novidade. E tem uma que está super em alta no mundo da jardinagem e paisagismo: o jardim vertical. Você conhece? São aquelas paredes verdinhas, cheias de plantas de todos os tipos! Pode ser jardim, pode ser horta ou até pomar. Tudo depende do espaço que você tem, da iluminação disponível e da sua disposição.

E sabe do que mais? Além de darem um bocadinho de vida às paredes, o jardim vertical colabora na diminuição dos efeitos da emissão de carbono e diminuem a temperatura do ambiente através do controle da energia solar. Demais, né? Então bora anotar as dicas e começar a pensar no seu. 😉

1. Antes de mais nada, pense no valor que você tem disponível para investir.
Encontrar um jardim que encaixe no seu orçamento é importante para poder mantê-lo lindo depois. Os mais caros são aqueles que possuem estruturas e sistemas de irrigação, por exemplo.

2. Pense bem também no local onde seu jardim irá ficar.
Observe se a parede suporta o peso, se existe risco de infiltração e qual é o material ideal, considerando a umidade e a quantidade de sol.

3. Na hora de escolher as plantas, veja se elas viverão bem no ambiente onde serão colocadas.
Plantas com raízes densas, por exemplo, descarte! Prefira plantas pendentes e trepadeiras e abuse na mistura de tons, cores e texturas.

4. Atente à irrigação.
Plantas em recipientes pequenos, com pouca quantidade de terra e que tomam bastante sol, precisam de mais água. O ideal é manter um sistema de irrigação fixo, mas um simples lembrete no celular para ajudar a lembrar a hora da rega já ajuda.

5. O solo das suas plantinhas deve ser leve e permeável.
A argila expandida é uma opção perfeita para ajudar na drenagem.

6. Lembre-se de adubar!
Como os potes são pequenos, a adubação deve ser mais constante, assim como a irrigação. Você pode usar adubação pulverizada, que é a ideal, ou adicionar os produtinhos na água, caso você opte por um sistema de irrigação fixo.

7. A manutenção varia de acordo com as plantas que você escolher
Se você busca uma opção mais prática, com poucos cuidados, as suculentas e cactos podem ser perfeitos para você.

8. Se você quer plantinhas que adoram o sol…
Opte por temperos como alecrim, manjericão, pimenta e sálvia, além de suculentas de todos os tipos.

9. Prefere plantinhas pendentes que também amem o sol?
Vá de aspargo-pendente, gota-de-orvalho, trapoeraba-roxa, rosário, barléria e barba-de-serpente.

10. Já no segmento de plantas pendentes que preferem meia sombra…
Dinheiro-em-penca, peperômia, dicondra, samambaia-americana, hera-inglesa, peixinho e flor-batom.

Fonte: Blog da Imaginarium

Decoração de sala pequena: 6 dicas para aumentar o espaço

Quer renovar a decoração da sua sala de estar, mas acha que não tem espaço suficiente? Veja dicas para aproveitar o espaço com sabedoria.

1. Unifique a paleta de cor
Ousar na mistura de cores é uma ótima opção para espaços maiores. Porém, nos pequenos, essa ousadia pode trazer a sensação de bagunça e aperto. Opte por uma cor dominante e aplique nos móveis e acessórios de maior destaque, mantendo a aparência unificada.

2. Use as paredes
A regra é ótima para liberar espaço no chão. Com prateleiras instaladas no alto, por exemplo, o pé-direito pode ganhar alguns centímetros. Quando menos móveis no chão, maior o espaço disponível para ser ocupado de outras maneiras.

3. Aposte nos espelhos
Espelhos
 ampliam o espaço, pois dão sensação de profundidade e refletem a luz, ajudando na iluminação do ambiente. Para obter esse efeito, posicione um espelho grande ou faça uma composição com vários pequenos.

4. Não esconda as janelas
sala de estar recebe luz natural abundante? Aproveite! Não coloque cortinas grossas ou escuras. Escolha tecidos finos em tons suaves para que o ambiente receba a maior quantidade de luz possível.

5. Use cores claras
Elas podem tornar um ambiente pequeno ainda mais compacto. Para não errar, escolha cores claras, que dão a sensação de amplitude para os espaços. Caso você queira usar tons escuros, escolha detalhes e paredes menores e garanta que as áreas maiores, como o chão, as paredes e os móveis maiores, sejam de cores claras, garantindo um contraste equilibrado.

6. Verifique o tamanho e a posição do tapete
Segundo o arquiteto Gustavo Calazans, quanto maior for o tapete, maior o ambiente vai parecer. A dica da designer de interiores Carol Lovisaro é usar um tapetão enquadrando todos os móveis ou dividir os ambientes com tapetes menores. Segundo o arquiteto Roberto Negrete, o ideal é que o tapete fique cerca de 20 cm a 50 cm debaixo do sofá.

Fonte: Revista Casa e Jardim

12 Passos para acertar na escolha do arquiteto

Se você está pensando em contratar um profissional de arquitetura para projetar o seu novo lar ou coordenar uma reforma, é fundamental saber quais são as suas obrigações e as do arquiteto antes de fechar negócio. O passo a passo a seguir esclarece esse assunto em detalhes. Confira!

Combinando as regras

1. O arquiteto deve apresentar uma proposta de serviço. Esse documento deve deixar claro o que será feito e como, o valor e quando será entregue cada etapa. Deve constar também como e quantas visitas serão realizadas ao longo da execução da obra. Se a proposta for aceita, é importante exigir um contrato e o RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) do Conselho de Arquitetura e Urbanismo.

2. O ideal é escolher o mesmo profissional para fazer o projeto e acompanhar a obra. Essa é uma ótima saída para evitar complicações ou desentendimentos ao longo da obra. Mas se a execução do projeto ficar a cargo de outro profissional, assegure-se de que o autor do projeto visite periodicamente a obra.

3. A remuneração do arquiteto é feita de acordo com a prestação de serviço, e não por percentuais sobre a compra de materiais ou contratação de serviços de terceiros.

4. Firmar um contrato é essencial. Nesse documento devem constar os aspectos jurídicos, tais como direitos, deveres e responsabilidades. Dessa forma, o projeto seguirá de forma clara para ambas as partes.

5. O acordo não deve ser tratado como algo informal. Por isso, você deve exigir do arquiteto uma proposta de serviço e contrato.

6. Caso o profissional que acompanhará a execução do projeto não seja o mesmo que projetou, é importante ter um contrato de gestão da execução. Nesse documento, devem-se determinar, entre outras coisas, as visitas que o arquiteto fará para acompanhar a execução. Essa é uma forma de garantir que o projeto seja exatamente igual ao que foi idealizado por você e pelo profissional que projetou. Atenção para os seguintes pontos que devem fazer parte do acordo de gestão da obra:
• O que será feito, em quanto tempo e quanto custará(ão) o(s) serviço(s);
• Garantias;
• Responsabilidades;
• Documentos necessários;
• Relação de profissionais que trabalharão na obra;
• Relação do que e quando será comprado;
• Seguros.

Levantando as necessidades

7. O arquiteto deve reunir em um documento todas as necessidades do cliente, tais como quais espaços o projeto terá e qual é o tamanho de cada ambiente.

8. É muito importante na elaboração do projeto que o cliente exponha suas necessidades e deixe que o profissional reflita e apresente alternativas e soluções para suas demandas.

Como o arquiteto trabalha

9. O arquiteto faz o estudo preliminar, que é a primeira configuração do espaço arquitetônico. Isto feito, o profissional deve passar essas informações de forma clara para o cliente.

10. A etapa seguinte é o anteprojeto, no qual o profissional deve apresentar uma configuração predefinida do projeto, com soluções para o que foi proposto. Quando o anteprojeto é aprovado, ambas as partes assumem o compromisso de  cumprir o que foi definido.

11. Com o projeto finalizado e acordado entre arquiteto e cliente, é o momento de apresentar o projeto básico. Nele deve constar, no mínimo:
• Planta baixa dos pavimentos;
• Seções longitudinais e transversais;
• Fachadas;
• Planta de cobertura;
• Planta de localização (situa a obra no bairro);
• Planta de situação (situa a obra na rua e entre os vizinhos dos lados e do fundo);
• Especificação dos materiais (quais materiais serão usados na obra).

12. O último passo é a apresentação do projeto executivo. Nesse documento devem constar detalhes, como especificação de material a ser usado, as quantidades, os modelos e as maquetes do projeto. Ou seja, além do que já foi citado no projeto básico, a versão executiva deve conter detalhes construtivos como, por exemplo, como serão janelas, portas, pisos, revestimentos de paredes, telhado ou laje, cores das paredes, materiais empregados nas fachadas, acabamentos de elétrica e hidráulica. Deve incluir também as especificações e quantitativos de todos os materiais.

Fonte: Revista Casa e Jardim