Qual decoração usar em imóveis para locação?

Escolha do mobiliário pode fazer a diferença na hora de fechar um contrato

 

Houve um tempo em que a pessoa que buscava alugar um imóvel precisava, além de encontrar o local ideal, montar toda a residência com os móveis mais úteis para o seu dia a dia e estilo de vida. Isso tornava a locação um peso para o orçamento, em especial de quem precisava do imóvel por um tempo limitado, como estudantes universitários em outras cidades ou expatriados a trabalho.

 

Hoje, os imóveis são alugados pelos mais variados tipos de pessoas e períodos de tempo. Se antes a locação era obrigatoriamente de 30 meses, atualmente temos serviços para turistas que permitem o aluguel por poucos dias. Dessa forma, muitos locatários passaram a oferecer apartamentos e casas totalmente mobiliados para turistas, empresários, estudantes e até mesmo recém-casados.

 

Além da localização e da infraestrutura, como disponibilidade de vaga em garagem e quantidade de cômodos, a decoração do ambiente também faz toda a diferença na hora de fechar um contrato. Para muitos proprietários, esse é, inclusive, um ponto de dúvida, pois eles não sabem como deixar o local atraente para os próximos moradores temporários.

 

Questão estrutural

O primeiro passo para deixar qualquer imóvel atraente para locação é manter sua estrutura em ordem. Dessa forma, paredes pintadas, ou decoradas com papel ou adesivos são fundamentais para deixar o local bonito. Em vez de deixar todas as paredes brancas ou beges, opte por detalhes coloridos, tintas com efeitos variados — brilhante, fosca, aveludada, etc. — ou aplique papel de parede com textura em alguns locais e deixe os ambientes com ar moderno e descolado.

O tipo de piso também faz a diferença: se estiver gasto, arranhado ou feio, é melhor substituí-lo por outro para deixar o imóvel com cara de novo e bem cuidado. Carpetes vinílicos e pisos laminados são ótimas opções, pois são práticos de limpar e manter.

 

Em cômodos como banheiro, lavabo e cozinha, a reforma pode ser necessária, em especial para trocar azulejos e pastilhas por outros, mais bonitos e arrojados. Se a substituição não for uma opção para o momento, pode-se lançar mão de tintas específicas ou adesivos para dar um ar diferente aos ambientes e torná-los mais belos e confortáveis.

A iluminação também é fundamental em qualquer decoração. Instalar spots, plafons, arandelas e luminárias ajuda a deixar os cômodos mais aconchegantes e atrativos. Mescle lâmpadas frias e quentes para compor a iluminação e use também os modelos decorativos para ajudar a trazer uma bossa ao local.

 

Cheio de estilo

 

A decoração reflete a personalidade do morador. Em imóveis que serão alugados, pode-se optar ou por algo que demonstre o jeito do proprietário, ou por um décor mais neutro, que possa ser customizado pelo locador.

Dispense itens muito personalizados, como quadros, plantas e porta-retratos e opte por vasos, tapetes, nichos e luminárias para decorar os cômodos.

Por questão de praticidade, dispense as cortinas de tecido e lance mão dos modelos rolô ou persianas em sala e quartos.

As almofadas são sempre bem-vindas e podem fazer a diferença na decoração, sobretudo por terem cores, estampas, texturas e formas variadas.

 

Praticidade também conta

 

Se esqueça de móveis muito rebuscados e cheios de rococós, daqueles que ficam acumulando poeira em detalhes entalhados. Facilite a vida do locatário e prefira móveis com design limpo e liso, fáceis de serem higienizados e mantidos.

O tamanho do imóvel e sua localização fazem toda a diferença na hora da escolha dos móveis e da decoração. Monte o local como se realmente fosse viver ali e veja se seria ideal para você. Dependendo do perfil de locador que se busca, deve-se optar por conforto e versatilidade. Assim, o sofá é substituído pelo sofá-cama, a mesa da cozinha é dobrável, para ocupar menos espaço, e o fogão dá lugar a um cooktop, por exemplo.

 

Fonte: Portogente

Quatro estilos de persianas para deixar seu apartamento incrível

 Descontraídas duráveis e práticas, as persianas cumprem com maestria todos os papéis das quais são encarregadas.
Por isso, se destacam dentre as opções de decoração de quem busca comprar apartamento ou residência, seja uma revitalização / reforma, ou ainda uma decoração nova de um pronto para morar. Dentre suas grandes funcionalidades, as principais são bloquear parcialmente ou integralmente a luminosidade, proteger os ambientes do calor nos dias muito quentes e até mesmo auxiliar no impedimento da entrada do frio, nos dias com temperaturas mais baixas.
Além disso, com as persianas podemos desfrutar de muita privacidade, pois elas impedem a visibilidade através de janelas ou mesmo paredes feitas de material transparente.
Presentes na vida das pessoas há muito tempo (desde 1824), as persianas, tem como o lugar de origem a Pérsia (atual Irã). No entanto, foi na França que as persianas se propagaram para o mundo.
E foi Pierre Le Fou (1804 – 1850) o engenheiro responsável pela adaptação da persiana a mecanismos, digamos, mais modernos para aquela época.
 
Persianas agregam beleza para todos os espaços
Não há ambiente que não possa receber a elegância de uma persiana! Isso, graças a versatilidade dos materiais que a compõe. Desde tecidos especiais altamente resistentes, com proteção extra tipo blackout ou translúcidos (eficientes contra raios ultravioletas), até madeira, tecidos de fibra natural ou algodão, poliestireno e, ainda, alumínio.
Com sistema de abre/fecha na vertical ou horizontal, a opção eletrônica é realmente o conforto que faz toda diferença para o usuário. Clássica ou descontraída, as opções neutras e tradicionais estão entre as preferidas para compor ambientes sóbrios, enquanto que as coloridas promovem espaços com mais personalidade e modernidade.
 
Tipos de persianas para atender a todos os desejos
Projetos decor, residenciais ou comerciais, podem se beneficiar com persianas. Inclusive, ela tem diferenciais como a facilidade de adaptação ao espaço disponível.
Os tipos básicos e incrivelmente lindos são:
 
1- Persiana Rolô
Com visual clean e muito amada pelos decoradores contemporâneos, é prática graças ao sistema de painel, que pode ser recolhido com muita facilidade.
Neste modelo, os grandes painéis (tela solar) controlam a incidência dos raios UV.
Para espaços amplos, cumpre com singularidade a sua função, protegendo do excesso de luz, mantendo o conforto térmico, e através de mecanismo modernos promove ainda a diminuição considerável de ruídos.
 
2- Persiana Romana
Com design atemporal, neste tipo, tecidos clássicos como a seda, os fibrosos que lembram o natural e a madeira, aumentam a possibilidade de incorporá-la a todos os espaços.
O sistema de fechamento é simples: os gomos se dobram à medida que são manipulados. Todo o processo é feito através de correntes que suspendem a cortina para cima.
É muito utilizada para ambientes domésticos, mas nada impede que sirva também para proteger janelas de escritórios, salas de recepção e outros.
3- Persiana celular
Indiscutivelmente eficiente para promover o conforto térmico (tanto no frio como no calor), esta persiana também é muito bonita.
Com design mais simples, porém com extrema qualidade, encanta os usuários pela forma de instalação e manuseio simplificados.
Eficiente também para proteção aos raios UV, as células desenvolvidas inspiradas nas colmeias permitem que a manutenção (limpeza) seja um processo fácil.
Quanto à instalação, pode ser feita diretamente dentro dos vãos, em espaços limitados influenciando para que este modelo tenha restrições.
 
4 – Persiana vertical
Perfeita para ambientes grandes, neste modelo o charme é o ponto alto.
Como podem ser instaladas dentro dos vãos, é possível complementar o visual acrescentando cortinas sobressalientes, promovendo efeito incrível.
Quanto aos materiais, a persiana vertical segue o mesmo padrão, e como o nome sugere, a abertura ocorre para as laterais.
Como pode perceber, as persianas podem ser usadas em todos os ambientes, sendo a disponibilidade financeira, o espaço e a harmonia com os demais itens os únicos critérios a serem observados.

23 dicas para você decorar sua casa ou apartamento pequeno

De uns tempos para cá, devido a supervalorização do metro quadrado em qualquer parte do país, os imóveis estão ficando cada vez menores. Algumas construtoras lançam até os chamados studios, que possuem menos de 40m² e espaços cada vez mais otimizados.

 

E quando se trata de condomínios, os apartamentos de tamanho reduzido dão espaço para um número maior de imóveis, barateando assim os custos das áreas comuns cada vez mais completas.

E quando se trata de decoração destes ambientes mais compactados, podemos dizer que o maior desafio é planejá-lo de forma equilibrada para que tudo seja acomodado da melhor maneira possível e todas as necessidades do morador sejam devidamente atendidas, sem faltar o conforto necessário e garantir uma boa circulação.

Com a ajuda da designer de interiores Karina Lapezack, criamos uma lista completa para auxiliar você a criar este equilíbrio, sem deixar de incluir a sua personalidade e gosto pessoal.

 

1. Integre os ambientes

 

Karina comenta que vale estudar a possibilidade de remanejar algumas paredes, principalmente se o seu imóvel foi comprado na planta. Mas se este não é o seu caso e sua casa ou apartamento já está construído, veja no manual do morador ou com o arquiteto de seu projeto se é possível promover uma reforma sem prejudicar a estrutura da propriedade.

 

2. Cozinha americana

 

Uma opção muito popular de integração de ambientes é criar uma ligação sutil entre a sala e a cozinha. A parede pode ser recortada até uma determinada altura para a instalação de uma balcão, ou totalmente demolida para receber uma bela ilha, explica Karina.

 

3. Desconstrua um dormitório

 

Se a sua planta tem um quarto a mais sem uso, ou será usado como um escritório, aproveite-o melhor retirando suas paredes e criando um ambiente mais ampliado, como uma sala ou quarto maiores. A designer reforça que “caso queira poupar o dormitório para uma possível utilização futura, tire somente a parede onde a porta é instalada, assim ainda é possível proporcionar amplitude, e futuramente, uma porta de correr pode ser instalada no lugar da parede removida”.

 

4. Nivele a varanda à sala

 

Se você tem um apartamento com uma varanda de tamanho considerável, estude a hipótese de integrá-la a sua sala de estar. Muitas construções permitem que a parede onde a porta é instalada seja retirada, e nivelar o piso de ambos os ambientes criará um espaço muito mais ampliado.

 

5. Tenha todas as medidas antes de comprar qualquer mobília

 

É muito importante ter a medida do local que receberá o móvel antes de comprá-lo. Assim você evitará dores de cabeça ao comprar (e se apaixonar) por uma peça e, ao montar, descobre que ela ficou pequena ou grande demais para o seu projeto.

 

6. Use espelhos

 

Caso você não tenha a liberdade ou dinheiro para quebrar uma parede, “uma boa saída para dar a sensação de amplitude é o uso de espelhos em lugares estratégicos, como ao lado da mesa de jantar, ou junto ao home teather”, ressalta Karina. “Nos dormitórios, ele pode ser instalado acima da cabeceira ou nas portas dos armários”.

 

7. Dê preferência para móveis planejados

 

“Para a mobília, prefira planejar e projetar armários específicos e personalizados, pois assim há um melhor aproveitamento do espaço do que comprar móveis prontos ou modulados, por exemplo”, explica Karina.

 

8. Use poucos móveis

 

Aqui o menos é mais. Quanto menos móveis você incluir em sua casa, mais espaço você terá. Atente-se sempre à área de circulação.

 

9. E aposte em opções versáteis

 

Uma boa saída para otimizar espaços é optar por móveis versáteis e que te atenda de diversas formas, como uma cama box, mesas e banquetas com baú, um forno que também funcione como microondas, uma torneira que tenha o filtro já embutido, limitando o tamanho do armário ou itens na cozinha, criando mais espaço para guardar suas coisas ou deixar uma área mais livre.

 

10. Escolha mobílias com gavetas

 

O maior desafio de decorar um imóvel pequeno, segundo Karina, é oferecer opções para o morador guardar os seus pertences, portanto, “móveis que tenham gavetas são super funcionais para esta ocasião, como os gabinetes de cozinha e banheiro, por exemplo”.

 

11. Aposte em poucos objetos decorativos

 

Assim como a dica dos móveis, esta regra também vale para objetos. Escolha poucas peças marcantes, mas essenciais para representar bem a sua personalidade e estilo.

 

12. Escolha um único estilo

 

E preferencialmente o que tenha mais a ver com o seu perfil. Essa é uma forma de facilitar as coisas ao escolher os poucos móveis e objetos que irão compor a sua decoração, e te dará o foco necessário para manter a dosagem certa de tudo.

 

13. Aproveite ao máximo a iluminação natural

 

E não crie barreiras para ela, como, por exemplo, escurecer as paredes do ambiente próximo às janelas e varanda.

 

14. Use cores claras ao seu favor

 

“Paredes claras próximas às janelas rebatem a luz natural e dão a sensação de amplitude ao ambiente. Mobílias claras e de tons neutros também contribuem para este recurso” ensina Karina.

 

15. Use cores escuras na medida certa

 

Se você gosta de cores mais escuras, não precisa descartar a ideia de usá-las na sua decoração, basta adaptá-las em lugares estratégicos, como em uma parede divisória, para criar uma sensação de profundidade ao cômodo, ou em uma das paredes do quarto, caso queira dar um ar mais aconchegante a ele.

 

16. E deixe para colorir com pequenos e poucos detalhes

 

… como almofadas, quadros e outros objetos. É possível adicionar pontos coloridos para destacar áreas em cada cômodo.

 

17. Simplicidade nas escolhas

 

“O uso de muitas texturas e tons misturados não são favoráveis em ambientes pequenos. Pode ficar over, além de se tornar algo cansativo. Prefira tons e texturas mais neutros ou que ornem”, conta a profissional.

 

18. Aposte em uma iluminação adequada

 

Caso o cômodo não receba luz natural, capriche na instalação de uma iluminação bacana. Ambientes escuros parecem ser mais apertados do que realmente são.

 

19. Tenha organizadores de gavetas e armários

 

Eles fazem jus ao nome e realmente deixam tudo mais organizado e otimizado. E quanto mais as suas coisas do armário do quarto, cozinha, banheiro e lavanderia estiverem arrumadas, mais espaço você terá. Quanto menos coisas expostas você deixar, melhor.

 

20. Escolha as plantas certas para ter em casa

 

Se você quer trazer conforto para dentro de casa e não abre mão de dar uma pitada de verde natural ao lar, aposte em plantas específicas que sobrevivam no interior de um imóvel, como cactos por exemplo, que podem ser colocados em cachepôs comuns ou terrários de vidro.

 

Karina ainda dá outras opções favoráveis para ambientes compactos: “uma espécie que gosta bastante de interior é a Zamioculca, uma folhagem bem verdinha que renova o ambiente, dá vida. Uma boa solução para quem gosta de plantas e não possui espaço para vasos de chão, é utilizar um painel com vasos suspenso, na varanda por exemplo, fica ótimo, tipo um jardim vertical”.

 

21. Se puder, prefira portas de correr

 

Seja no guarda-roupas, armários e gabinetes ou nas portas dos cômodos, esta opção sugerida, além de prática, ocupa muito menos espaço e evita aquele bate-bate de portas com a mobília, segundo Karina.

 

22. No banheiro, tenha móveis estreitos e espelho grande

 

A designer de interiores cita que se preferir gabinete acima da pia, escolha um que tenha portas de correr. Caso a ideia seja somente utilizar um espelho, uma peça com o tamanho grande dará amplitude ao espaço.

A região acima do vaso pode ser muito bem aproveitada com a instalação de prateleiras, nichos, e por que não, pequenos armários?

 

23. A escolha do piso perfeito

 

Se você está reformando ou finalizando a sua casa ou apartamento, aproveite para escolher um único tipo de piso para todo o imóvel. “Esta homogeneização dá amplitude ao espaço, e até a cozinha pode entrar na dança, caso a sua opção seja porcelanato ou piso vinílico”, explica a designer.

Feitas as devidas observações, é possível ter uma noção mais clara de que nada é impossível quando se tem criatividade e dicas infalíveis devidamente anotadas. Transformar o seu pequeno lar em um aconchegante palácio particular ficou muito mais fácil.

 

Fonte: Tua casa

Decorar do primeiro apartamento: como fazer?

Enfim, você conquistou o tão sonhado lar. Mas não é só entrar e morar: a compra de um imóvel, por mais suada que seja, é o primeiro passo para ter o seu próprio cantinho. Mesmo que seja novo, ele chega frio, sem graça. E precisa estar do jeito que você gosta, aconchegante, personalizado.

A arquiteta Cátia Ferreira diz que o primeiro passo para quem vai decorar é definir os ambientes, o que fazer em cada um dos cômodos. Depois disso, começar com as maiores partes, escolhendo móveis planejados, como armários embutidos de cozinha e quartos, por exemplo.

(Foto: Shutterstock)

“Entre as ações que podem ser feitas sem gerar uma grande obra e que ajudam bastante na decoração estão os revestimentos em 3D, que podem ser cerâmicos ou em gesso. Com uma iluminação indireta, dá um efeito de luz e sombra interessante”, diz a arquiteta.

Revestimento com 3D (Foto: Shutterstock)

Cátia explica que a divisão de ambientes com gesso drywall, criando nichos, também é interessante. Segundo ela, o investimento compensa, a instalação é fácil e rápida e o efeito decorativo muito grande. “E não se pode esquecer dos acabamentos, como papel de parede e um tecido bacana nas cortinas, isso é aconchego”.

Quadros e plantas

Aquele grande quadro preenchendo a parede atrás do sofá ainda vale, porém, a arquiteta diz que atualmente os mais usados são quadros pequenos agrupados. “Uma maneira bem moderna é uma ripa de madeira na parede e os quadros pequenos sobre ela na posição horizontal”.

Quadros e plantas (Foto: Shutterstock)

Já a plantas, diz a profissional, são sempre bem-vindas porque dão vida aos ambientes. “Se forem naturais, é preciso ver a luz e sombra mais adequadas. No caso de artificiais, pode até fazer uma parede verde, fica muito bom”.

Plantas em casa (Foto: Shutterstock)

Adesivos

A designer de interiores Tássia Pereira, do escritório TT Interiores, explica que os adesivos autocolantes são uma opção bonita e barata para serem usados em qualquer parede da casa.

Parede com adesivo (Foto: Shutterstock)

“Há hoje em dia mosaicos de madeira fabricados com fitas adesivas, que o próprio morador pode aplicar e personalizar o ambiente. Eles ficam lindos como destaque de uma parede. Outra dica são os revestimentos feitos de poliestireno que são fixados com silicone”, explica ela.

Em alta na decoração, os pallets são versáteis e podem ser usados de diferentes formas, seja como estante, mesas, camas ou sofás. “O pallet é bem resistente, por isso pode ser bem aproveitado na decoração. O legal dele é que você pode personaliza-lo à sua maneira, criando objetos e móveis”, indica a designer de interiores.

Efeitos diferentes de pintura fazem toda a diferença na decoração. Pintar as paredes com cores distintas, ou mesmo fazer desenhos com a tinta, deixam o ambiente personalizado. “Além das tintas tradicionais, com diferentes cores, há no mercado produtos para dar toque de cimento queimado na parede e já vêm prontos, basta aplicar”.

 

Fonte: Zap Imóveis

Use lembranças de viagens para decorar seu apartamento

Quantas fotos resultam de uma viagem? Centenas? E as lembrancinhas? Imã, chaveiro, quadros, enfeites, copos. Tudo isso faz parte das recordações daquelas férias que passaram tão rápido. Por isso, é mais do que justo deixá-los em destaque na sua casa. Como? Use na decoração!

(Foto: PROJETO FERNANDA ANDRADE – decoração viagens) 

“É interessante as pessoas trazerem peças de viagens, sendo elas objetos decorativos ou úteis. A casa deve contar a história dos moradores, os lugares que conheceram ou passaram e que trazem, de alguma maneira, a lembrança de momentos especiais. Isso dá mais identidade aos objetos e personaliza a decoração”, opina a arquiteta Fernanda Andrade.

(Foto: Shutterstock)

Artesanato local, gravuras, pinturas, porcelanas, muranos. Tudo que chega em casa junto com as malas deve ter um local para ser colocado. Para as fotografias, a dica é colocar um mapa do mundo em papel de parede  e escolher uma foto para afixar em cada local já visitado. “A casa fica mais viva com esse tipo de inserção”, diz a designer de interiores Laura Santos.

(Foto: Shutterstock)

Os objetos úteis, como eletrodomésticos, utensílios de cozinha, tradicionais ou de design, também são peças que, além de funcionais, podem ser decorativas. E costumam ser mais baratas fora do País, lembra Fernanda.

“Numa viagem turística, o ideal é trazer peças que possam ter valor sentimental ou que lembram alguma especialidade do local visitado. Lojas e mercados, não só para turistas, mas onde as pessoas locais vão, são bem interessantes de conhecer e fazer boas compras”, diz ela.

Para quem faz muitas viagens e compra em boa quantidade, Laura aconselha a não entulhar tudo em um só lugar. “Deve-se criar espaços próprios para colocá-los, estantes e nichos são ótimas soluções para agrupá-los”.

(Foto: PROJETO LAURA SANTOS 1 – decoração viagens)
(Foto: PROJETO LAURA SANTOS 2 – decoração viagens)

Fernanda concorda: “Lembranças pequenas e colecionáveis podem ter na decoração um cantinho para elas. Quanto às peças maiores, como tapetes, lustres e muranos grandes, é preciso pensar se haverá espaço antes de comprar”.

(Foto: PROJETO LAURA SANTOS 3 – decoração viagens)

Fonte: Zap Imoveis

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúde

Investir na decoração verde vai muito além de embelezar os ambientes. De acordo com a Nasa, ter plantas dentro de casa é uma excelente opção para melhorar a saúde dos moradores, principalmente pela capacidade das espécies de filtrar os poluentes. Algumas plantas conseguem absorver as partículas com mais eficiência, mas, no geral, todas as espécies são capazes de melhorar a qualidade do ar dos ambientes.

Segundo a Nasa, algumas plantas, como o crisântemo, lírio-da-paz, comigo-ninguém-pode, gérbera, espada-de-são-jorge e antúrio, têm a incrível capacidade de remover gases tóxicos de ambientes fechados. Para um resultado ainda melhor, a agência sugere que as pessoas tenham, dentro de casa, cerca de 15 plantas em vasos de pelo menos 15 centímetros. Se você mora em um apartamento pequeno ou se prefere plantas maiores, não será necessário ter tantas espécies para aproveitar o mesmo poder de limpeza do ar.

Além de purificar o ar, plantas dentro de casa ainda trazem outros benefícios para a saúde. Confira abaixo outras vantagens de ter plantas dentro de casa:

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúdeResfriado comum

Plantas em ambientes internos aumentam os níveis de umidade e diminuem a poeira, reduzindo as doenças relacionadas ao frio em mais de 30%.

Sonolência

O excesso de dióxido de carbono pode elevar os níveis de sonolência. Durante a fotossíntese, as plantas removem o CO2 do ar.

Estresse

As plantas podem contribuir para uma sensação de bem-estar e ajudam as pessoas a ficarem mais calmas e otimistas. Além disso, sabe-se que as plantas reduzem a pressão sanguínea devido à sua natureza de aliviar o estresse.

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúde

 

Dor de cabeça

Respirar ar contaminado aumenta as dores de cabeça. Por produzirem oxigênio e diminuírem o nível de dióxido de carbono no ar, as plantas também ajudam a combater este mal.

Congestionamento

Algumas plantas como o eucalipto podem ajudar a limpar as secreções e melhorar o congestionamento do sistema respiratório. Esta planta age como um antisséptico natural e deve ser usada apenas como inalante.

Pele seca

As plantas são um umidificador natural. Ao colocar um vaso de hera-inglesa dentro de casa, será possível perceber um aumento da umidade nos ambientes internos, principalmente em regiões de clima seco.

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúde

Insônia

Sim, as plantas podem ajudar a melhorar a sua noite de sono! Algumas espécies, como as margaridas e gérberas, liberam oxigênio à noite, portanto, ao colocar estas plantas próximas à sua cama, você terá oxigênio extra, o que ajudará no seu sono.

Vale lembrar que cada espécie precisa de um cuidado especial. A luz, o clima e a temperatura dos ambientes interferem de forma direta no crescimento das plantas, por isso certifique-se de colocá-las no lugar certo para garantir que elas recebam os nutrientes necessários para se desenvolver.

Fonte: Brightnest

Não escorregue na segurança ao decorar sua casa

Um apartamento bonito e bem decorado é o sonho de qualquer um, não é mesmo? Porém, a beleza não deve ser prioridade na sua casa nova. Afinal, de que vale ter um imóvel de luxo que não oferece nenhuma segurança aos moradores? Pensando nisso, na nossa matéria de hoje separamos algumas dicas para você decorar a sua casa evitando erros que podem ser prejudiciais à saúde da sua família.

1) Pisos antiderrapantes: devem ser utilizados em áreas que recebam água, como banheiros, lavanderias, varandas, ao redor de piscinas e demais espaços externos. Vale lembrar que existem diversos tipos de pisos, uns rústicos e outros mais modernos. Cabe ao morador escolher aquele que mais se adequa a decoração de sua casa.

2) Escadas: para esses espaços é imprescindível o uso de corrimão e pisos antiderrapantes. Em nenhuma hipótese coloque tapetes ou algum elemento que possa se desprender na escada. Vale lembrar que a altura dos degraus deve ser confortável e sua largura deve comportar duas pessoas sem precisar que uma dê espaço para a outra.

3) Tomadas: banheiros, lavanderias e cozinhas são locais onde as tomadas demandam mais cuidado por causa do possível contato com a umidade. Uma dica é usar aparelhos movidos a pilha nesses cômodos. Se não for possível, procure colocar as tomadas sobre as pias e não muito próximas à superfície. Se tiver crianças em casa, não esqueça de comprar protetores e instalá-los em todas elas.

4) Banheiros: para esses espaços um banheiro funcional é excelente. Isto é, um ambiente visualmente limpo e moderno onde os objetos necessários para uso pessoal estão sempre próximos ao usuário.

5) Vidros: a utilização de vidro na decoração demanda bastante cuidado. Quando se tem crianças ou idosos em casa, as mesas de centro não são recomendadas. Já que elas podem causar inúmeros acidentes. Uma dica para esses casos é adotar um puff estofado como mesa de centro.

6) Redes: as redes de proteção são itens de extrema necessidade quando se tem crianças em casa. Porém, antes de implantá-la um planejamento deve ser feito. Cada uso definirá o tamanho ideal da trama. Depois disso, é possível definir a partir da cor que melhor combine com a fachada sua residência.

Em suma, os pontos citados anteriormente são coisas tão simples que muitas vezes passam despercebidas. Por isso, fique atento e observe se alguns desses erros estão sendo cometidos na sua casa. Por último, não esqueça de compartilhar essas informações com seus familiares e amigos.

 

4 dicas de arrumação para aplicar todos os dias

Para um bagunceiro de carteirinha, ser uma pessoa mais organizada pode parecer impossível. Mas, alguns exercícios básicos já podem ajudar a tornar mais fácil a tarefa de deixar o ambiente ao redor mais agradável. Muitos falam por exemplo que arrumar a cama ao acordar é o primeiro passo para a transformação. E, de fato, chegar em casa à noite e ter uma cama arrumadinha é um daqueles pequenos prazeres que nem dá para explicar. É o famoso “quentinho no coração”. Abaixo, trazemos algumas dicas do site Apartment Therapy que podem ser aplicadas hoje mesmo.

– Cada coisa no seu lugar

A primeira coisa para não ter uma casa desordenada (que dará muito mais trabalho de arrumar depois) é colocar tudo no seu lugar ao fim do dia. Não vá para cama antes de lavar a louça, depositar as roupas no cesto para lavagem ou de passar rapidamente uma vassoura na casa. Depois que você pegar o hábito verá como o trabalho não é tão grande, além de compensar muito. Lembre da famosa frase do educador Paulo Freire: “É fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, de tal forma que, num dado momento, a tua fala seja a tua prática”.

– Bagunce menos

O segundo item é óbvio, mas pode até te livrar daquele primeiro item. Se você não bagunçar, não terá nada para arrumar. Simples assim. A dica (pessoas organizadas não entenderão a dificuldade de praticar isso) é sempre ter em mente que se você tirar algo do lugar, uma hora terá que colocá-lo de volta. Então, não deixe sapatos ou roupas espalhadas pela casa, por exemplo. Ao tirar do corpo automaticamente deposite-os em seus respectivos utensílios. Sujou? lave; não vai mais usar? guarde. Mais uma vez é preciso praticar o ritual como um mantra.

– Arrumação exata

Outra coisa importante para quem quer manter um lar organizado é saber exatamente onde cada item da casa ficará guardado. Pegou uma revista ou encarte de exposição, por exemplo? Qual espaço este item deve ocupar em sua casa? Quando você define onde cada coisa deve ficar, separando por categorias, fica bem mais fácil manter os espaços organizados.

– Não tem hora para limpar

Você até pode separar um horário ou dia da semana para limpeza, mas o fato é que pendências surgem a todo momento e não dá para esperar o “dia da limpeza”. A chance da bagunça se acumular e virar algo ainda menos convidativo é grande. Em outras palavras, quanto mais você deixa para depois, pior fica. Portanto, assuma uma rotina de limpeza sem neuras. Não pense muito também. Faça o que pode ser feito na hora e aprecie o prazer de habitar em um espaço limpo e organizado todos os dias.

Fonte: Ciclo Vivo

Dicas para deixar a sua sala de jantar mais bonita

No passado, sala de jantar era sinônimo de status. Era nesse ambiente que as famílias exibiam sua riqueza através da fartura de alimentos e de toalhas, arranjos, castiçais, louças e jogos de talheres caros.

Os mais abastados investiam excessivamente na decoração da casa e mantinham essa área reservada para as maiores celebrações e reuniões.

Na modernidade e na contemporaneidade, a sala de jantar passou a reunir o que tem de melhor na vida – comida, amigos e família!

Se antes a sala de jantar era menos frequentada, em contrapartida, hoje, tem se tornado cada vez mais popular.

Ela continua sendo um dos espaços sociais mais importantes das residências. É onde as famílias se reúnem para interagir de maneira íntima e descontraída.

E o segredo para seu conforto, beleza e praticidade está nos toques sutis dos pequenos detalhes decorativos.

Confira a seguir dicas especiais de como acertar na hora de decorar uma sala de jantar.

1) Estabelecendo um layout para a sala de jantar

Geralmente, na contemporaneidade, a sala de jantar tem um conceito mais aberto. Ela aparece, nas plantas baixas, integrada a outros ambientes, como às salas de estar, cozinhas, jardins de inverno, varandas e sacadas.

Nesse caso, os móveis é que servem de delimitadores ou de divisórias entre as áreas de preparo dos alimentos, de refeição e de descanso físico.

Não importa se o ambiente é pequeno ou grande, a escolha de móveis, de revestimentos e de peças decorativas deve seguir uma mesma linha.

Na sala de jantar, a regra é primar por uma atmosfera arejada, bonita, descontraída e convidativa. Tudo deve ser bem posicionado.

O espaço de circulação das pessoas precisa ser preservado – entre os móveis, no mínimo 60 cm, e entre a mesa e as paredes 1,20m.

2) Escolhendo revestimentos de parede e de piso para a sala de jantar

Uma maneira de quebrar com a monotonia da sala de jantar é aplicar cor às paredes. Os tons neutros podem tornar o ambiente muito cansativo.

Para despertar o apetite e aguçar o paladar, os tons de verde ou vermelho são ótimas opções.

Dependendo dos planos livres disponíveis, o proprietário do imóvel pode optar por revestimentos mais caros, como as pedras e os tijolos aparentes; ou mais baratos, como os adesivos.

Se a sala tiver um tamanho pequeno, um espelho proporcionaria a sensação de mais amplitude – peças lisas, sem molduras, são as melhores.

De acordo com certas correntes de pensamento, como o Feng Shui, acredita-se que o reflexo da mesa multiplicaria a prosperidade da família.

Outra dica são os quadros com gravuras de frutas e flores, evocando boas energias para esse setor da casa.

No piso, sob as mesas e cadeiras, pode-se ter um tapete. Sim, os tapetes também funcionam na decoração de salas de jantar, principalmente, protegendo o piso do movimento das cadeiras.

Só que as peças que são indicadas para outros cômodos não são as mesmas para esse caso.

Elas devem ter um fio mais curto e ser de um material mais resistente e de fácil limpeza.

3) Planejando a iluminação da sala de jantar

A primeira questão que deve ser destacada quanto à iluminação de salas de jantar é que não pode haver reflexos nos olhos das pessoas. Nem a área da mesa pode ficar muito quente.

Durante o dia, quanto mais luz natural melhor. Cortinas ou persianas são úteis para fazer a regulação da entrada dos feixes de luz, tornando o visual mais refinado. Já a luz artificial precisa receber uma atenção maior.

Para a sala de jantar ficar aconchegante, recomenda-se a utilização de um sistema de luz difusa, preferencialmente na cor amarela.

Sobre a mesa de jantar, lustres ou luminárias do tipo pendentes são ótimas opções. Elas devem ficar bem posicionadas em relação ao centro, e entre 75 cm a 1 m acima do tampo.

Se houver espelhos nas paredes ao redor, é fundamental estudar os focos de luz e seus possíveis reflexos.

4) Escolhendo os móveis para a sala de jantar

O ponto mais importante para a definição da decoração da sala de jantar é a escolha do mobiliário.

Que as mesas e cadeiras são os elementos mais básicos, a atração principal desse ambiente, todos sabem. Mas, entender como escolher as peças de formato, material, cor e tamanho certos é algo que poucos dominam.

E a resposta até que é simples.

Tudo vai depender da área disponível em planta e do estilo de decoração pré-determinados pelo projetista!

As mesas são o ponto de partida para qualquer tipo de decoração. O formato desse móvel determinará toda a configuração do layout da sala de jantar e os espaços livres para a circulação das pessoas.

Ele pode apresentar um tampo oval, redondo, quadrado ou retangular. Resumidamente, fala-se que ambientes retangulares combinam melhor com mesas de bordas retas – as demais ficam para salas amplas.

5) Escolhendo os móveis para a sala de jantar

O ponto mais importante para a definição da decoração da sala de jantar é a escolha do mobiliário.

Que as mesas e cadeiras são os elementos mais básicos, a atração principal desse ambiente, todos sabem. Mas, entender como escolher as peças de formato, material, cor e tamanho certos é algo que poucos dominam.

E a resposta até que é simples.

Tudo vai depender da área disponível em planta e do estilo de decoração pré-determinados pelo projetista!

As mesas são o ponto de partida para qualquer tipo de decoração. O formato desse móvel determinará toda a configuração do layout da sala de jantar e os espaços livres para a circulação das pessoas.

Ele pode apresentar um tampo oval, redondo, quadrado ou retangular. Resumidamente, fala-se que ambientes retangulares combinam melhor com mesas de bordas retas – as demais ficam para salas amplas.

Em ambos os casos, para garantir mais conforto, a distância entre a parte inferior do tampo da mesa e o assento das cadeiras deve ser de cerca de 30 cm.

Além do conjunto de mesa e cadeiras, o proprietário do imóvel pode investir em peças complementares para a sua sala de jantar.

São exemplos os aparadores, as cristaleiras e os carrinhos de apoio.

Também os pufes e banquinhos, que serviriam de assentos extras. Clássicos ou modernos não importa. Seu design, cores e materiais devem se adaptar ao tipo de decoração proposto.

O que mais interessa é se são bem estruturadas, resistentes, e se proporcionarão harmonia visual e conforto aos usuários!

6) Decorando a mesa de jantar

As refeições são o momento mais mágico para quem gosta de design. O toque final da sala de jantar ficará a cargo dos utensílios e elementos decorativos. Vestir a mesa com bonitas toalhas, trilhos ou jogos-americanos é só o primeiro passo.

Por cima disso, ficam todos os outros acessórios, como louças, copos, taças, xícaras, travessas, bandejas, faqueiros e guardanapos.

Castiçais, vasos e arranjos florais – reais ou artificiais – são sempre curingas na decoração de mesas de salas de jantar. Seu mix de tons e brilhos dão aquele “algo-a-mais-requintado” que todos apreciam nas casas de revistas!

Fonte: Revista Zap

Reparo e conservação – Paredes

Sim, as paredes são a moldura da casa e precisam de cuidados além da escolha da cor e textura. Uma parede bem cuidada, colabora para uma percepção de ambiente limpo e ainda valoriza seus móveis e objetos de decoração.

Veja como cuidar da aparência e conservação das paredes do seu imóvel, de acordo com o tipo de revestimento usado na decoração da sua casa:

Papel de parede

O papel de parede só deve ser aplicado após a instalação do piso, finalização da pintura e instalação dos armários. Não e um revestimento indicado para ambientes úmidos.

Para um melhor acabamento, aplique o papel de parede sobre pinturas com PVA branco ou da mesma cor do papel de parede.

Prefira papeis de parede com uma camada impermeabilizante, que dispensam limpeza. Caso precise limpar o revestimento, use um pano macio úmido com agua. Para manchas mais resistentes, use também um pouco de sabão neutro. Passe o pano sempre no mesmo sentido, sem esfregar com forca.

Proteja os cantos dos moveis que possam ter contato com o papel de parede, para evitar que seja arranhado ou rasgado.

Pintura

E possivel aplicar uma película protetora transparente de base hipermeabilizante antes de aplicar a tinta na parede, para diminuir os riscos de umidade e bolor com o passar do tempo. Neste caso, espere 48 horas antes de aplicar a tinta por cima.

Após a pintura, espere tres dias antes de pendurar quadros e outros itens de decoracao, bem como, instalar armários. Qualquer limpeza na parede, so deve ser feita após 20 dias, quando a pintura estará completamente fixada.

Limpe a parede imediatamente, sempre que notar sujeira, com um pano macio úmido com agua e um pouco de sabão neutro. Não esfregue com forca pra não gastar a pintura, dando a impressao de “desbotada”.

Em ambientes úmidos, como a cozinha e o banheiro, que frequentemente estão com vapor, mantenha uma boa circulação de ar, deixando portas e janela abertas, sempre que possível.

Recomenda-se refazer a pintura a cada três anos.

Veja como manter as paredes da sua casa com aparência de novas:

Para remover manchas do dia a dia, ou decorrentes de umidade, esfregue o local com um pano macio embebido em uma solução de vinagre e água morna, misturados em partes iguais. Se a parede estiver muito encardida, esfregue com uma esponja usando uma mistura feita com meio copo de vinagre, meio copo de amônia, um quarto de copo de bicarbonato de sódio e 3, 5 litros de água quente. Depois enxague com água. Use luvas de borracha.

Para deixar as paredes brancas bem clarinhas, misture 100 ml de água, detergente neutro e uma colher de sopa de bicarbonato. Use um borrifador para aplicar a solução sobre a área suja e esfregue com uma esponja, até ficar limpo. Depois  seque a parede com um pano seco, em movimentos circulares.

Não use buchas de louça dupla face ou palha de aço para limpar paredes, pois elas podem riscar a pintura, além de causar manchas.  Não use produtos químicos como, álcool, cloro e desinfetante que podem desbotar a pintura.

Fonte: Viva real