Condomínios horizontais

Condomínios horizontais são uma opção para quem deseja segurança, privacidade e lazer

Muitas pessoas que escolheram a capital mais nova do Brasil para morar e investir apostam em condomínios horizontais de alto padrão

É cada vez mais comum as pessoas agregarem ao sonho da casa própria à ideia de segurança, lazer e privacidade. Basta acompanhar o mercado imobiliário e perceber o crescimento na quantidade de condomínios que foram construídos nos últimos anos. Já são mais de 6 condomínios horizontais de alto padrão espalhados pela Capital mais nova do Brasil, que hoje conta com pouco mais de 290 mil habitantes.

Em uma cidade ainda sem grandes índices de violência ou favelas, o que faz as pessoas optarem por condomínios fechados? Para Adrian Estrada, sócio de dois empreendimentos horizontais e que lançará mais um ainda este ano, a escolha por morar em condomínio horizontal é por qualidade de vida e segurança, agregada a outros benefícios. “Morar em um condomínio requer pensar no conforto, privacidade e segurança da família, além disso, propicia lazer em casa, vida em comunidade, redução de custos, aumento da qualidade de vida e também uma boa forma de fazer investimento, pois dificilmente um condomínio irá desvalorizar no mercado imobiliário”, afirma o investidor, Adrian.

Existem muitos fatores envolvidos na hora de tomar a decisão por morar em um condomínio, para alguns moradores palmenses, mesmo com o sonho da casa própria já realizado, o desejo por segurança, privacidade e conforto ainda é resistente. É o caso da nutricionista Larissa Keller que ainda não adquiriu uma casa em condomínio, mas tem essa como uma de suas metas. “Eu acho que condomínio é muito seguro e hoje em dia a segurança é uma das prioridades de qualquer família. Eu tenho crianças também, então eu ficaria mais tranquila em relação a eles brincando, automóveis. Dá mais liberdade para poder andar de bicicleta, de patins, fazer uma atividade física e também o contato com a natureza. Tenho preferência por um lugar que tenha árvores, que você escute os pássaros de manhã para ficar tranquila e curtir o final de semana em família com mais saúde”, finaliza Larissa.

Estudos realizados em 2017, divulgados pela Revista da Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído, mostram que os condomínios horizontais são um tipo habitacional que têm se expandido pelo mundo e algumas das razões para tal crescimento é a falta de qualidade de vida nas cidades, a ineficiência da gestão pública, a insegurança e a oportunidade de espaço, que entra em contraposição aos apartamentos ofertados no centro da cidade.

Condomínios em Palmas

Dois desses empreendimentos estão localizados no Costa Dourada, área nobre da cidade com acesso direto ao Lago de Palmas, sendo os condomínios Caribe Residence e Resort e Polinésia, que tem acesso facilitado por uma das mais recentes avenidas de Palmas, a NS 15. No mesma bairro e em fase de construção, está o Caribe Golfe & Spa, que contará com o primeiro campo de golfe do estado.

Outros condomínios horizontais são: Aldeia do Sol, Mirante do Lago, Alphaville, Privillege, entre outros.

Diferença entre condomínios horizontais e verticais

O condomínio horizontal é composto por lotes com casas construídas com plantas arquitetônicas “personalizadas”, ou seja, cada unidade habitacional é erguida de acordo com os desejos e as necessidades dos respectivos investidores.

Por ocuparem terrenos amplos, esse modelo de condomínio geralmente é implantado nas chamadas áreas de expansão urbana, locais com fácil acesso e boa infraestrutura.

Fonte: http://surgiu.com.br/

Imposto de renda sobre venda de imóvel

Declarar o IR quando se vende um imóvel é imprescindível, pois se não o fizer, você terá que pagar multas. Para declarar, o vencimento da Pessoa Física – IRPF é até as 23 horas e 59 minutos do dia 28 de abril de 2019, e quem possuir ganho de capital ao vender seu imóvel ou escolher a isenção do imposto é necessário cumprir esse procedimento.

Esse post irá esclarecer detalhadamente aquilo que você precisa conhecer para declarar o IR ao vender um imóvel. Preparamos todos os documentos que devem ser preenchido.

Papelada indispensável

Inicialmente, é necessário baixar dois programas: o Programa Ganhos de Capital – GACP é o primário, pois ajuda à preencher o IR e demanda informações a respeito da transferência, averiguando os ganhos e produzindo fichas de forma automática.

O programa oficial da Declaração do Imposto de Renda para Pessoa Física – DIRF é o secundário à ser preenchido.

É bem breve a listagem dos documentos e é necessário que eles comprovem que a ação foi efetuada de forma lícita. Isto é, as exigências jurídicas devem ser completadas e as informações das partes devem ser disponibilizados.

É relevante conservar a papelada por um período de 5 anos logo após a efetivação da operação comercial, pois o Fisco examina se a prática é válida.

A documentação essencial para aqueles que vendem o imóvel são:

  •  com a finalidade de tornar legítima a operação comercial, é fundamental obter a escritura de compra e venda de imóvel que é adquirida no cartório de notas em que foi efetuada a negociação;
  •  quando o operação é realizada através de um contrato particular entre as partes em um cartório é fundamental ter o documento de compromisso de compra e venda de imóvel;
  •  se o banco proporcionar o montante deve se ter o contrato de financiamento;
  •  quando realiza-se a transação, as partes recebem extratos ou recibos que confirma o pagamento do dinheiro. Logo, os documentos necessários são comprovantes de recebimentos;

 Abas a serem preenchidas

Quando se realiza o GACP, há várias abas com terminologias diversas que devem ser completadas de forma correta.

Conheça de maneira minuciosa todas as abas:

Aba de identificação

Possui a finalidade de reconhecer o imóvel e os dados nele englobados que são:

  •  especificações;
  •  endereço completo;
  •  natureza da operação (caso realizou uma venda ou um compromisso de compra e venda);
  •  data da aquisição pelo comprador;
  •  data de alienação;
  •  montante da transação que é necessário ser expressado em reais e integral, mesmo que o pagamento seja em parcelas.

A alienação deve ser notificada se ela foi paga a prazo, à vista ou à prestação, pois o pagamento influência na averiguação minuciosa de ganho de capital e na taxação.

Aba de adquirentes

Essa é mais fácil, pois é necessário só mostrar o nome do(s) comprador(es) e CPF(s)  e se for pessoa jurídica, sua razão social e CNPJ.

Aba de apuração do custo

Nessa aba se deve informar o montante resultante da corretagem paga e igualmente, é necessário indicar as repercussões do custo da compra, como mês, ano e montante pago para raforma, ampliação, financiamento, ITBI, dentre outras informações.

Aba do cálculo do imposto

Aquele que vende tem a possibilidade de pagar até 15% de IR em cima do lucro de capital concernente à venda. Entretanto, há situações em que pode isentar essa taxa:

  • quando a pessoa adquirir um diferente imóvel no prazo de 180 dias;
  • quando seu único imóvel residencial for vendido por até R$ 440 mil e não pode ter vendido, nos últimos cinco anos, imóveis.

É fundamental informar as informações obrigatórias a fim de que o cálculo possa ser realizada de forma automática. Elas consistem em:

  •  montantes recebidos nos anos anteriores;
  •  quando a última prestação da venda acontecerá ainda neste ano;
  • os valores lucrados durante no decorrer do ano e os tributos pagos durante a apuração;

Aba de consolidação

De maneira automática, a plataforma elaborará uma síntese que investiga a veracidade do lucro total de dinheiro e rendimentos. Consequentemente, gerados serão as fichas de “Rendimentos Tributados Exclusivamente na Fonte” e “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”.

Concluindo, é imprescindível transferir as informações ao clicar em “exportar para IRPF 2019” e assim, os ganhos, de forma automática, serão completados.

 

Fonte: Benvenuto

Entulho de obra: como evitar essa “dor de cabeça”

Questões referentes a resíduos gerados pela construção civil são amplamente discutidas pela sociedade. Infelizmente, só no século 21 foram impostas pelo Conama regras mais restritivas para o descarte do entulho de obra. Enquanto isso, o setor da construção cresceu exponencialmente, e hoje consome a maior parte dos recursos naturais disponíveis.

 

O problema do entulho de obra

entulho de obra como evitar a geração de entulho em reformas

 

Atualmente, só uma minoria se preocupa em reduzir, reciclar e reaproveitar antes de descartar.

Evidentemente as grandes corporações, que mantém políticas sérias de qualidade e meio ambiente, gastam fortunas com a manutenção de programas dedicados a racionalização do descarte.

 

No entanto, as pequenas obras, que não promovem nenhum tipo de ação, quando somadas, são responsáveis por milhares de toneladas de entulho por ano.

 

Nesse sentido o trabalho de formiguinha é o único capaz de repercutir algum resultado. Portanto, qualquer esforço nesse sentido pode fazer a diferença.

 

Outro aspecto relevante é o custo gerado pelo descarte.

Dependendo da quantidade, a única alternativa é a contratação de caçambas cadastradas na Prefeitura.

 

Existem regras duras quanto a permanência das mesmas na rua, obrigando muitas vezes a removê-las sem estarem cheias.

É preciso, ainda, muito cuidado com serviços clandestinos. Se um caçambeiro sem cadastro despejar o entulho da sua obra em locais clandestinos, uma simples investigação pode responsabilizar o dono da obra.

 

Quanta dor de cabeça!! Para te ajudar a minimizá-la, siga estas dicas:

 

Entulho de reforma, o que fazer?

 

Piso sobre piso

entulho de obra como evitar a geração de entulho em reformas

 

Se na sua reforma estiver prevista a troca dos revestimentos de piso e paredes, não há porque quebrá-los e removê-los.

 

Para ser possível aplicar piso sobre piso, basta que o revestimento existente não apresente áreas ocas e estufadas.

Os desníveis causados pelo aumento da espessura de um novo sobre o velho, que podem sugerir ser um problema, são facilmente resolvidos com a instalação de soleiras no piso e enchimento de batentes na parede.

Não se esqueça que a argamassa colante precisa ser própria para isso.

 

Reutilize!

entulho de obra como evitar a geração de entulho em reformas

 

Avalie criticamente o que precisa ser substituído.

 

Um vaso sanitário, que esteja excessivamente sujo, pode simplesmente passar por limpeza e desinfecção.

Ainda assim, se apresentar trincas, ou se simplesmente não combina com seu novo projeto, pense em utilizá-lo como floreira – na internet você encontrará excelentes exemplos bem sucedidos, isso também pode valer para cubas e pias.

 

Revenda ou doe

entulho de obra como evitar a geração de entulho em reformas

 

Quando a reforma abranger a troca de portas e janelas, peça para seu empreiteiro remover as peças existentes com cuidado.

 

Você pode revendê-las para lojas especializadas ou simplesmente doá-las. O destino será muito mais nobre do que o bota fora.

 

Transforme o entulho de obra em matéria-prima

entulho de obra como evitar a geração de entulho em reformas

 

Mais uma dica que pode diminuir a quantidade de entulho a ser removido, é utilizá-lo na própria obra.

 

Esse tipo de material possui excelentes características para ser aplicado no enchimento de pisos e bases para o mobiliário da cozinha por exemplo.

 

Tecnologia é aliada para reduzir o entulho de obra

entulho de obra como evitar a geração de entulho em reformas

 

Quando se deparar com serviços que parecem não ter solução quanto a geração de resíduos, procure por tecnologias que possam viabilizar essa redução.

 

Fonte: FiberSals

Como tornar a assembleia atrativa aos condôminos

Pesquisa realizada pelo portal SíndicoNet aponta que as assembleias contam, em média, com um quórum de apenas 15% dos condôminos.

Por isso, preparamos uma reportagem especial para entender o que desmotiva os condôminos e como é possível tornar esse evento mais interessante.

MOTIVOS

As razões para o condômino não participar são variadas:

  • isenção: prefere não se posicionar sobre determinados assuntos
  • desinteresse: não participa por pura comodidade ou porque os assuntos em pauta são pouco relevantes
  • aprovação: está satisfeito com tudo e confia na administração. Por isso, não vê necessidade de sua participação.
  • falta de tempo: não tem tempo para participar ou considera o tempo de duração muito elevado
  • uso excessivo de procurações: apesar de ser permitido por Lei, desde que a convenção não proíba ou determine limites, o uso em excesso de procurações é muito criticado pelos demais condôminos. Trata-se de uma prática que, se usada de forma abusiva, compromete (e muito) o objetivo democrático de uma assembleia.
  • falta de objetividade no tratamento dos assuntos em pauta: Ficar mais de duas horas falando sobre aspectos nem sempre pertinentes a todos os moradores pode tornar-se um suplício.

“A maioria das pessoas quer esclarecer todos os problemas do condomínio na assembleia, com cada um defendendo seu ponto de vista, desrespeitando o que foi definido na pauta”, acredita Sueli Duek. Desta forma, perde-se o foco com questões que podem ser resolvidas apenas fazendo uma sugestão ou crítica no livro de ocorrências do prédio, que geralmente fica na portaria.

CONVOCAÇÃO

Para a maioria das fontes consultadas para esta reportagem, além do procedimento convencional de convocação por edital, é aconselhável reforçar o acontecimento por meio de comunicados no elevador, quadro de avisos e até e-mails. Pode-se solicitar também ao porteiro ou zelador que ligue para todos os apartamentos uma hora antes da primeira convocação.

  Dicas para uma convocação bem-sucedida:

Em relação ao edital, recomenda-se que este tenha no máximo seis itens em pauta;

  • as pautas devem ser claras, pertinentes e necessárias;
  • se achar conveniente, estipular e mencionar tempo máximo de duração (a média costuma ser de duas horas)
  • colocar observações como: “A sua presença é indispensável para o bom andamento e valorização do nosso patrimônio”;”Os ausentes, por Lei, deverão acatar com todas as decisões tomadas”.
  • atente se nesse dia haverá algum jogo de futebol ou qualquer outro evento popular importante, ou se é próximo de feriado prolongado;
  • peça ao porteiro para colocar nos elevadores, um dia antes ou no dia da assembleia, um lembrete simples, como: “Não se esqueça: hoje, você tem um compromisso com o seu condomínio!”. Essa atitude chama a atenção dos moradores para a reunião.
  • assuntos mais chamativos: reajuste da mensalidade condominial; cotas extras para reformas em geral: pintura e lavagem do prédio, manutenção de elevadores, obras na fachada etc.; eleição de síndico; sorteio de vagas de garagem; troca de funcionários próprios por terceirização.

DATAS, HORÁRIOS E DURAÇÃO

  • O tempo ideal de duração de uma assembleia deve girar em torno de 1h30 a 2h. 
  • No quesito horário, o mais recomendado é entre 20h e 20h30, para dar tempo de as pessoas chegarem do trabalho, e para que a reunião não termine muito tarde.
  • Fazer a primeira chamada entre 19h30 e 20h e aguardar até às 20h30, para o segundo e derradeiro aviso.
  • Inicie sempre no horário (geralmente na segunda chamada, uma vez que a participação da primeira dificilmente é alcançada).
  • É bom considerar que entre segunda e quarta-feira as pessoas estão no ritmo mais intenso de trabalho e, provavelmente, mais disponíveis para participar de reuniões. Muitos não descartam a quinta-feira como opção, desde que não seja próxima de um feriado
  • Não é recomendado realizar assembleias nos fins de semana. Entretanto, caso seja esta a opção, prefira o horário das 10h ou 15h, e aos domingos – em um caso extremo – às 10h ou 11h.

O QUE SERVIR?

Para alguns dos profissionais consultados pela reportagem, água, café e, no máximo, biscoitos, são suficientes, já que estamos falando de uma assembleia, não exatamente de uma festa ou confraternização.

Por outro lado, há quem prefira tornar essa reunião mais descontraída, com aperitivos diversos, sanduíches, refrigerantes, até como forma de acalmar os ânimos dos condôminos mais exaltados. “As pessoas interagem mais e perde-se um pouco da hostilidade de alguns”, sugere Rodrigo Matias.

Álcool, contudo, é terminantemente proibido: pode causar constrangimentos irreversíveis entre os moradores.

USO DE PROCURAÇÕES

Conforme mencionado nesta matéria, o uso excessivo de procurações, apesar de ser permitido por Lei, desde que a convenção não proíba ou determine limites, é muito criticado pelos demais condôminos.

Trata-se de uma prática que, se possível, deve ser evitada, pois se usada de forma abusiva, compromete (e muito) o objetivo democrático de uma assembleia, desestimulando assim a presença dos demais participantes.

Se a convenção do seu condomínio não estabelece limites para isto, a única saída é conseguir aprovação de 2/3 do total dos condôminos para alterar a convenção.

 

O PAPEL DO SÍNDICO

O síndico deve exercer o papel de mediador, mantendo a ordem e a coletividade.

“Se, durante a reunião, apenas um morador faz perguntas, a assembleia torna-se desinteressante”, opina Rodrigo Matias. Em assuntos mais polêmicos que envolvam reformas, por exemplo, é sempre importante realizar uma votação.

Juraci Garcia Baena lembra ainda que o síndico precisa estar bem informado sobre todas as questões que envolvem o condomínio. “Além disso, ele precisa ter muito jogo de cintura e tolerância”, avisa.

O mais importante, na opinião dos síndicos e administradores consultados pela reportagem, é manter sempre o roteiro da pauta, minimizando as eventuais “escapadas” do tema. Na ânsia de resolver seus problemas, os condôminos podem discutir assuntos sem relevância para a coletividade.

“Bons exemplos são questões como vagas de garagem, barulho, entre outros, em que se gasta tempo, o problema não é resolvido e deixa os demais participantes chateados”, ressalta Baena.

Uma alternativa é que esses assuntos de ordem geral sejam discutidos fora de hora, no final da assembleia. Assim, só quem estiver envolvido com os tópicos participará.

Dicas e ideias interessantes:

  • Antes da convocação, procure debater informalmente e colher informações com os condôminos sobre os pontos mais complexos a serem pautados. Isso pode ser feito por meio de uma breve reunião informal, ou até mesmo via troca de e-mails, por exemplo. Mas é muito importante que todos sejam convidados a participar, para evitar que alguém se sinta excluído ou desfavorecido. Assim, quando ocorrer a assembleia, os interessados estarão melhor informados sobre a pauta e poderão contribuir com idéias, opiniões e/ou sugestões mais objetivas. Isso pode tornar o debate visivelmente mais produtivo
  • Defina uma mesa com presidência e secretaria que sejam referência no condomínio, para que todos respeitem.
  • Determine o assunto a ser tratado e só passe para outro depois de resolvido e anotado na ata.
  • Esforce-se para manter a seqüência estabelecida pela pauta, negociando as questões novas para o final da reunião. Se conseguir, a assembleia está garantida.
  • Nunca manobre: discuta cada item sempre de forma transparente.
  • Os assuntos a serem tratados podem  ficar expostos em cartazes pela sala de reunião.
  • As cadeiras podem ser dispostas em um círculo, facilitando a comunicação face-a-face.
  • Sortear algum brinde de boa qualidade durante a assembleia pode surtir efeito em alguns casos. Se for o seu, coloque na convocação que haverá essa prática.
  • Mantenha o material (orçamentos, provisão orçamentária, extratos bancários, fotos de obras e serviços etc.) organizado e, se possível, mostre aos condôminos por meio de retro-projetor ou computador, por exemplo, tornando a reunião menos cansativa.
  • Outra boa medida é levar cópia da Convenção e do Regulamento Interno, para possível consulta.
  • Um dia depois da reunião, coloque um cartaz nos elevadores informando os principais tópicos discutidos e seus resultados, para que todos saibam o que aconteceu na assembleia. A ata deve ser rigorosamente enviada aos condôminos em até oito dias.

Fonte: Sindico Net

5 dicas para um anúncio de imóvel perfeito

Não é novidade para ninguém que buscar imóveis na internet se tornou parte do processo de compra de um imóvel. Atualmente, até 60% do processo de decisão é feito online e 88% das pessoas utilizam a internet em sua decisão na busca de um imóvel. Ou seja, pra quem está pensando em vender um imóvel, fazer um anúncio online é indispensável. Mas como fazer para que seu anúncio de destaque em meio a tantos outros, e prenda a atenção de quem está procurando por um imóvel? Se você está com essa dúvida, esse post irá te ajudar listando os principais fatores que fazem um anúncio de imóvel ser bom.

1 – Fotos

As fotos são uma das partes mais importantes do anúncio! É ela que traz o cliente para seu anúncio o mantêm interessado, ela é responsável por 80% das visualizações de uma página de imóvel na web, e ter fotos de qualidade profissional aumenta em até 2x a chance de se vender um imóvel. Portanto, utilize fotos de qualidade em seu anúncio, organize a casa, arrume a bagunça e coisas pessoais e preste atenção à iluminação!

anúncio_de_imóveis_perfeito

2 – Descrição

É importante que você passe ao leitor o máximo de informações possíveis. Muitos usuários desistem de um imóvel na internet quando se deparam com informações escassas, e alguém que está realmente interessado em seu imóvel vai querer levar algum tempo lendo a descrição. Para que seu anúncio não seja mais um ignorado pelos usuários, forneça toda a informação que puder, como IPTU, condomínio, área, número de quartos e banheiros, área de lazer, vagas de garagem, etc. Destaque também possíveis diferenciais do imóvel como varanda espaçosa, ou alguma reforma recente.

3 – Localização

É muito importante informar ao menos a localização aproximada do imóvel, assim o usuário poderá saber se o imóvel se encontra em uma região de seu interesse ou não. Além disso, faça uma descrição informando como é viver na região, as facilidades do local, como por exemplo: padaria e supermercado próximos, farmácias, parques, praças, boa vizinhança, etc. Isso irá ajudar a atrair a atenção e o interesse de um usuário que estiver lendo seu anúncio.

4 – Preço

Quem está vendo um anúncio espera ver o seu preço. Além disso, é importante verificar se seu imóvel está em um preço justo, caso contrário mesmo com o melhor anúncio possível e um imóvel perfeito, será muito difícil vendê-lo.

Vídeos

Vídeos são uma tendência cada vez maior em anúncios de imóveis, e assim como as fotos, ajudam a manter a atenção e interesse do usuário em seu anúncio. Isso porque os vídeos são uma excelente forma de apresentar o espaço do seu imóvel, mas assim como as fotos é preciso atenção para fazer um vídeo de qualidade. A utilização de vídeos em anúncio é muito comum no exterior, principalmente em residências de luxo.

5 – Documentação

É importante ter a documentação do imóvel em mãos quando for fazer um anúncio. Isso irá evitar possíveis perdas de negociação devido ao prazo que se leva para obter todos os documentos. Alias, informe que possui a documentação em dia no seu anúncio! Isso poderá atrair vários possíveis compradores! Possui dúvidas sobre a documentação?

Com essas 7 dicas você terá um anúncio que com certeza trará resultados. O anúncio com uma maior qualidade e relevância com certeza irá contar mais pontos no poder de decisão do comprador.

Fonte: Benvenuto

Síndico pode vistoriar apartamento?

Síndico pode vistoriar apartamento? Essa dúvida é muito comum nos condomínios, porque envolve o direito à privacidade e à inviolabilidade do domicílio.

Porém, há situações em que isso é permitido, especialmente quando diz respeito à saúde e à segurança dos usuários do condomínio.

 

Veja a seguir os principais pontos sobre o assunto.

 

Situação prática

síndico pode vistoriar apartamento

 

Imagine que uma família do seu edifício viajou de férias e ficaria 15 dias fora da cidade.

O síndico identificou um problema na caixa d’água, que não estava segurando água.

O técnico informou que, provavelmente, estava ocorrendo algum problema em uma das unidades. Todas foram fiscalizadas, com exceção da unidade desta família.

De fora, ouvia-se um barulho de descarga disparada.

Na tentativa de entrar em contato com o proprietário, o síndico não obteve sucesso, pois o morador não deixou nenhum telefone de contato para emergência.

 

O que fazer diante dessa situação? O síndico pode arrombar a porta?

 

Síndico pode vistoriar apartamento em certas situações

síndico pode vistoriar apartamento

 

Para responder à questão, a primeira consideração é que o síndico deve sempre respeitar o direito de propriedade.

Mesmo que a Convenção de Condomínio preveja a possibilidade de vistoria, ela terá que ser autorizada pelo morador.

 

Constituição Federal diz, em seu artigo 5º, XI, que “a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial”.

 

Isso significa que o síndico pode vistoriar apartamento em 5 situações:

 

  • Com consentimento do morador;
  • Em caso de flagrante delito, como ocorre em casos de violência doméstica;
  • Em caso de desastre, como em ocorrências que coloquem em risco a integridade de condôminos ou do condomínio;
  • Para prestar socorro, por exemplo os condomínios que possuem muitos idosos que podem ser acometidos por mal súbito;
  • Por determinação judicial, durante o dia.

 

No exemplo dado, o vazamento poderia comprometer a integridade dos demais condôminos, que estavam sem água e assim ficariam se não houver um arrombamento da unidade.

Para tanto, o síndico precisa estar junto com testemunhas para relatar o motivo da medida extrema e para que o proprietário ateste a necessidade da “invasão”.

 

Em suma, em casos de necessidade de realização de obras ou medidas para garantir o bem comum, o síndico pode vistoriar apartamento.

 

Necessidade de autorização

síndico pode vistoriar apartamento

 

Com exceção às situações mencionadas acima, o síndico pode vistoriar apartamento somente com autorização do morador.

Entretanto, para manter uma boa convivência, é aconselhável que o gestor formalize o interesse de ingressar na unidade em qualquer situação.

 

Se o condômino não permitir a entrada do síndico, é possível aplicar sanções, se elas estiverem previstas nas normas condominiais.

Diante da resistência, o síndico pode ingressar na justiça para obter autorização judicial para vistoriar o apartamento.

Se for caso extremo, como mencionado, é possível arrombar a unidade.

 

Quando o síndico age de forma abusiva, ele pode ser responsabilizado pelo ato.

 

Previsão nas leis condominiais

síndico pode vistoriar apartamento

 

Boa parte das convenções condominiais possuem a prerrogativa de que o síndico pode vistoriar apartamento se ficar identificado qualquer problema na unidade que possa comprometer a estrutura do edifício.

É o caso de obras que causam vazamentos, infiltrações, quebra de canos ou de colunas.

 

O síndico pode vistoriar apartamento se houver consentimento do morador, em situações extremas ou mediante autorização judicial.

É uma função sua manter a integridade de todos os condôminos e usuários, e ele pode ser responsabilizado em caso de omissão.

Fonte: Fiber Sals

Como a tecnologia está construindo cidades mais seguras e sustentáveis?

O fluxo de pessoas para as áreas urbanas é uma preocupação de governos no mundo todo e parece ser um processo sem volta. De acordo com as Nações Unidas, o percentual de pessoas vivendo em áreas urbanas chegará a 68% até 2050. Com essa movimentação, problemas típicos de grandes centros urbanos se tornam ainda maiores – como é o caso da criminalidade, da burocracia, da necessidade de infraestrutura de comunicação e da emissão de carbono.

Compreender a movimentação e o comportamento das pessoas é essencial para combater esses problemas, e tecnologias como a Internet das Coisas, Big Data, Inteligência Artificial e computação em nuvem são peças-chave para garantir que o crescimento desses ambientes seja seguro e sustentável.

As iniciativas de cidades inteligentes estão criando novos ecossistemas, novos mercados e novas economias totalmente digitais em todo mundo. E o conceito de cidades inteligentes só é real se existir a utilização intensiva de tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) em espaços urbanos, e elas precisam ser sensíveis ao contexto da área, gerando dados que serão usados para melhorar a gestão urbana e social. Porém, para que isso aconteça, é necessário o básico de infraestrutura das próprias TICs.

Neste contexto, a conectividade é a condição indispensável de um ecossistema avançado que possibilite a criação de cidades inteligentes. Estar preparado para o 5G, possuir redes de fibra óptica cortando a cidade e o armazenamento na nuvem são pilares substanciais que deverão direcionar os investimentos.

Porém, antes de ser inteligente, a cidade precisa ser segura. Isso porque a segurança é a mais básica necessidade social e, além disso, a infraestrutura para cidades seguras (conectividade e armazenamento) pode ser inteligentemente direcionada para quase a totalidade das demais iniciativas de cidades inteligentes.

Vários países no mundo já recebem projetos dentro do conceito de Safe City, inclusive o Brasil. No Rio de Janeiro, existe o Luz Azul, um projeto da empresa Venses Tecnologia em parceria com o Secovi Rio que consiste na instalação de câmeras de vigilância identificadas com uma luz azul voltadas para a rua. As imagens captadas são armazenadas em na nuvem da Microsoft (AZURE) e compartilhadas com a Polícia Civil em tempo real.

Segurança pública de qualidade é uma necessidade de todo grande centro urbano e o uso de tecnologias é comprovadamente eficaz para garantir não só um sistema de segurança inteligente, como também para promover melhor qualidade de vida para os habitantes, por meio de soluções que visam melhor eficiência de todo o ecossistema das cidades.

 

Fonte: Condomínios Verdes

7 ideias para agregar valor à sua casa antes de vender

natural que você queira vender sua casa pelo maior preço de venda possível. Porém, existem algumas ideias comprovadas para conseguir agregar valor à sua casa e então elevar seu valor de venda. Todas as dicas que vamos dar neste artigo simplesmente exigem um pouco de planejamento.

1. Arrume o seu jardim

Esta é a primeira parte de sua propriedade que os possíveis compradores verão, logo não vai custar muito para comprar novos solos, arbustos e elementos ornamentais. Mas, pode ser a diferença entre vender sua propriedade rapidamente e suportar meses de estresse. Cuidando do seu jardim você com certeza atrairá mais olhares e então, aumentará as chances de potenciais compradores se interessarem.

2. Menos é mais

Compradores em potencial não poderão imaginar seus próprios móveis e pertences em sua casa se seus bens estiverem espalhados por toda parte. Então, nesse caso, menos é mais. Quanto mais espaços abertos e organizados, melhor será para que seus compradores consigam visualizar sua casa como sendo deles. Além do que, quanto mais espaço vazio tiver, maior é a sensação de amplitude e também gera um conforto visual muito maior do que uma casa bagunçada e cheia de móveis.

3. Use sua caixa de ferramentas

Este é o momento de fazer esses pequenos ajustes que você tem evitado nos últimos anos. Você pode precisar substituir um pouco de argamassa no banheiro, ou a madeira podre em torno de sua casa pode precisar de um pouco de atenção. Veja também o estado de suas luminárias, gabinetes, pias e banheiros, portas de armários e conserte todas as áreas quebradas ou danificadas.

4. Uma nova camada de tinta

Uma das melhorias mais baratas que você pode fazer também tem um dos melhores retornos do seu investimento: pintar o interior de sua casa. Então, a nova pintura ilumina os ambientes, oculta os defeitos visuais e instantaneamente deixa um espaço fresco e limpo.

Inacreditavelmente, a maioria das pessoas não percebe que você acabou de pintar sua propriedade para parecer nova, mas, atenha-se às cores neutras, pois elas podem fazer os espaços parecerem maiores. Então, o seu comprador tem a oportunidade de visualizar sua própria decoração com mais facilidade.

5. Dê uma reforma barata na cozinha

Uma cozinha não é apenas um espaço funcional, muitas vezes é o centro da vida familiar. Então, algumas pequenas mudanças nas superfícies da sua cozinha, armários e torneiras, podem deixar sua cozinha com um visual mais moderno e atraente.

Com uma simples reforma residencial você também pode replanejar sua cozinha e deixá-la mais ampla, unindo por exemplo, o quarto de empregada (que hoje caiu em desuso) com a sua despensa, tornando sua cozinha bem mais funcional e bem distribuída.

 

6. Certifique-se de que seu banheiro esteja impecável

A maioria dos possíveis compradores perdoará um banheiro envelhecido, mas muito poucos perdoarão um sujo. Então, passe algum tempo cuidando de pequenos reparos, mas o mais importante, certifique-se de que tudo esteja limpo.

Se seu orçamento permite investir em um novo vaso sanitário ou pia você poderá  criar uma boa impressão com um gasto relativamente baixo.

7. Selecione uma imobiliária de qualidade

Encontrar a imobiliária perfeita em sua área é fundamental para aumentar suas chances de vender rapidamente e pelo melhor preço possível. Mas, a escolha pode ser um pouco difícil, e há muitos fatores a serem levados em consideração. Por isto, que a imobiliária do futuro se preocupa com essas variáveis, sempre pensando na melhor forma de atender o nosso cliente e entregando especificamente aquilo que você quer.

Se você seguir essas dicas, certamente conseguirá agregar mais valor à sua casa.  Então, lembre-se, o segredo para uma boa apresentação inclui a remoção de qualquer coisa que possa criar dúvidas nas mentes dos possíveis compradores. Invista em criar um cenário para sua casa que ajude os espectadores a se imaginarem vivendo em sua casa com conforto e alegria.

 

Fonte: Benvenuto

Como decorar o seu apartamento para as Festas de São João

Como estamos na época de esperadas festas juninas, queridas por tantas pessoas, resolvemos trazer, na matéria de hoje, dicas de decoração para montar uma festa caipira na sua casa ou apartamento. Continue lendo o post e confira nossas sete sugestões, a seguir!

Bandeirinhas: elas são peças-chave nessa festança e, independente do ambiente (grande, pequeno, aberto ou fechado), ficam lindas! Se não quiser comprar as prontas, de papel de seda, você pode fazê-las com revistas velhas ou sobras de tecidos, cortando-os e pendurando com prendedores.

Chapéus de palha: além da cabeça das pessoas, eles ficam lindos decorando o espaço. Podem ser pendurados na parede ou também usados para abrigar pequenos quitutes, como pé-de-moleque e paçoca, em cima da mesa, colocados de cabeça pra baixo.

Comidinhas: bolos, doces, pipocas e outras delícias podem ser servidos em guardanapos, potes ou sobras de tecidos (lavados, obviamente), todos bem coloridos. Fica um charme! Nos potes, um lacinho de barbante deixa tudo mais charmoso.

Detalhes: bonequinhos de palha, enfeites em EVA, balõezinhos de papel e outros mimos ficam lindos espalhados pelo ambiente… Cuidado para não colocar demais e deixar o visual poluído!

Maçã do amor: além de ser uma delícia típica dessa época, ela também ajuda a enfeitar a mesa, com seu vermelho chamativo – dica: também podem ser usadas outras cores, deixando tudo mais colorido.

Pisca-pisca: usar pisca-piscas espalhados (pelas mesas, por exemplo) fica muito legal! Cobri-los com forminhas de docinhos fica ainda melhor, muito charmoso e delicado, além de colorido e super diferente!

Santinhos: Santo Antônio, São João e São Pedro, celebrados em junho, também podem ser homenageados na festa, participando da decoração. Podem ser colocados como tags em pedaços de bolo, por exemplo.

E então, o que achou das nossas dicas de hoje? Esperamos que tenha gostado e que as use, arrasando na decoração da sua festa! Chame alguns amigos ou familiares para ajudar e capriche nesse quesito, deixando a festa muito mais bonita e animada! Anarriê!

5 dicas de decoração para imóveis alugados

Decorar imóveis alugados pode ser um desafio e tanto, já que, além de saber transformar sua personalidade nas escolhas de design, não são todas as mudanças que podem ser feitas, havendo restrições. Por isso nisso, resolvemos trazer esse tema no post de hoje, com 5 dicas de decoração para espaços alugados. Confira!

  1. Aproveite as paredes para dar um colorido a mais! Pinte uma parede de destaque com alguma cor que você goste, personalizando o espaço. Além disso, outra dica barata é investir nos adesivos de azulejos (na cozinha e banheiros), que são uma alternativa colorida e descolada para o seu cantinho.
  2. Ainda falando das paredes, elas podem ser ótimos lugares para serem instalados prateleiras e nichos, que, além de baratos e combinarem com qualquer cômodo, acomodam objetos pessoais, como porta-retratos e lembranças de viagem, que ajudam a transmitir a sua personalidade.
  3. Detalhes como cortinas, tapetes e almofadas fazem toda a diferença. Além de estilo e beleza, esses elementos levam conforto e aconchego para o seu lar. A melhor notícia é que esses objetos são ótimos para transparecer a personalidade do dono, além de serem facilmente transportáveis, caso se mude.
  4. Uma boa iluminação é essencial em qualquer espaço, independente do gosto pessoal do morador. Além da função de clarear o ambiente, também decoram. Escolha abajures ou lustres bonitos, que tenham a ver com você e exalem estilo.
  5. Plantas mudam todo o astral de todo ambiente. Por isso, invista em algumas para o seu cantinho. Elas podem ficar no chão, penduradas ou colocadas em vasinhos fofos. Grandes, pequenas, altas, baixas, floridas… As opções são muitas! Outra ideia é fazer uma hortinha na sua casa, na cozinha ou varanda, auxiliando na preparação dos alimentos, além de também decorarem.

Esperamos que tenhamos te ajudado nessa missão (nada impossível, né?!) de decorar uma casa ou apartamento alugado. Use as dicas para transformar qualquer espaço no seu verdadeiro lar, sentindo-se confortável e feliz toda vez que estiver em qualquer cantinho dele.