Como preparar seu condomínio para as chuvas

Reta final de verão e as pancadas de chuva começam a ficar mais recorrentes. A partir delas, alguns problemas estruturais nas edificações passam a ser identificados com maior facilidade, como é o caso de goteiras e infiltrações.

Para encarar as chuvas de verão é preciso estar preparado. Deve-se estabelecer um plano de manutenções preventivas ao longo de todo o ano. Dessa forma, quando as chuvas se intensificarem, não haverá nenhuma surpresa desagradável que resulte em correria, obras imprevistas e gastos extras.

Na manutenção permanente, alguns itens são fundamentais como:

  • Limpeza de calhas, grelhas e ralos;
  • Checagem das telhas, coberturas, toldos e tampas de caixa d’água;
  • Verificação do gerador, óleos, filtro e combustível;
  • Funcionamento das luzes de emergência;
  • Revisão do quadro elétrico;
  • Limpeza do poço do elevador.

sistema de para-raios deve passar, obrigatoriamente, por uma vistoria anual com uma empresa especializada. E o síndico também deve buscar um seguro com cobertura ampla e se certificar de que está cumprindo todas as obrigatoriedades, sendo a principal delas o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB).

Também é relevante checar se todos os itens que podem se soltar e voar do condomínio estejam devidamente afixados. Isso porque, além das chuvas, esta época do ano costuma registrar muitos vendavais. Quanto às árvores, caso haja qualquer suspeita de risco de queda, deve-se acionar a prefeitura e solicitar a poda preventiva.

Por fim, a comunicação entre síndico, funcionários e moradores é fundamental. Tanto na questão de segurança, quanto simples lembretes, são importantes, tais como:

  • “Não circule pelas áreas externas do condomínio durante uma tempestade”;
  • “Feche as janelas antes de sair do apartamento. Evite estagos com a entrada de água.”

 

Fonte: Sindico Net

Saiba como organizar sua despensa corretamente

Basta precisar de um ingrediente para aquele receita, abrir a despensa e que bagunça! O cantinho da cozinha dedicado ao estocamento de produtos alimentícios está quase sempre fora de ordem, com vários produtos fora da validade.

Mas é possível colocar tudo em ordem de maneira fácil – e fazer uma manutenção mensal com pouco trabalho. As organizadoras pessoais Heloísa Sundfeld, da Personal Assistant, e as irmãs Stella e Malú Nogueira, da Organizabox, dão as dicas. Veja o passo a passo:

Confira a data de validade dos produtos

despensa

Lembre-se ainda de, toda vez que for guardar uma compra, verificar a validade do produto já existente na despensa (Foto: Shutterstock)

 

Olhe sempre a data de validade dos alimentos. Jogue fora o que já expirou e coloque na frente os produtos que tiverem mais próximos da data de vencimento. Lembre-se ainda de, toda vez que for guardar uma compra, verificar a validade do produto já existente na despensa. Todos os utensílios e produtos usados com mais frequência devem ficar em locais mais acessíveis.

Organizar cereais em potes é boa ideia

cereal
Os cereais, depois de abertos, devem ser colocados em potes herméticos para uma melhor conservação (Foto: Shutterstock)

 

Nada de abrir um saco de feijão ou macarrão, usar apenas uma parte, e voltar com eles para a despensa na mesma embalagem. “Os cereais, depois de abertos, devem ser colocados em potes herméticos para uma melhor conservação”, ensina Heloísa. “Mantenha sempre os potes etiquetados com o nome do produto e a data de validade”, acrescenta Stella.

Potes ou prateleiras móveis podem ajudar na organização

prateleiras_despensa
Os potes são fundamentais na organização de uma despensa (Foto: Shutterstock)

O mercado oferece uma gama enorme de opções que certamente atenderão as mais diversas necessidades. Os potes são fundamentais na organização de uma despensa. As prateleiras móveis, algumas com vários “andares” e que podem ser montadas e desmontadas, são excelentes para otimização do espaço, auxiliando na organização e na criação de espaços extras.

Produtos de limpeza devem ficar longe dos alimentos

despensa_limpeza
O cheiro dos materiais de limpeza pode comprometer os alimentos, sem falar do risco de vazamentos (Foto: Shutterstock)

A lavanderia ou área de serviço são o local ideal para os produtos de limpeza. Eles devem ficar longe dos alimentos. “O cheiro dos materiais de limpeza pode comprometer os alimentos, sem falar do risco de vazamentos. O ideal é mantê-los em ambientes distintos, porém se isso for inviável, mantenha-os os mais distantes possível. Separe os materiais de limpeza em caixas ou cestas plásticas”, explica Malú.

Faça uma limpeza mensal na despensa

Aproveite para esvaziar a despensa antes de uma compra grande. Tire tudo e prepare o espaço para receber as novas compras. Utilize sempre produtos neutros, sem cheiros fortes. Uma esponjinha com detergente neutro, depois um pano com água e por último um pano seco pode ser uma opção.

despensa_organizada
Utilize sempre produtos neutros, sem cheiros fortes (Foto: Shutterstock)

Álcool também funciona. O importante é garantir que o espaço estará seco quando for retornar utensílios e produtos para o local. “Essa prática além de manter sua despensa organizada auxiliará você na elaboração da lista de compras, evitando a compra de produtos desnecessários e o esquecimento de algum item. Lembre-se também de lavar as latas e vidros antes de guardá-los”, aconselha Stella.

Para armários com umidade, eis a solução

Existem alguns antimofos no mercado que são boas opções. Mas lembre-se de nunca colocar nada com cheiro forte próximo dos alimentos. Alguns truques caseiros podem ser a solução do problema da umidade e até insetos. “Para controlar o mofo e os insetos use um potinho aberto com sal ou com bicarbonato de sódio dentro do armário. Eles absorvem a umidade”, diz Malú. Heloísa ensina outra saída: “Pode colocar uns pedaços de giz embrulhados em um pedaço de tule, ou produtos específicos para tirar umidade, mas que não tenham cheiro”, orienta a profissional.

 

Fonte: Zap imóveis

Como o corpo diretivo pode ajudar o síndico na administração?

A maior parte das convenções determinam como obrigatório um conselho fiscal, que geralmente é criado por três integrantes, com mais frequência em condomínios grandes.Cabe aos conselheiros, realizar a fiscalização e o fluxo das contas do prédio. Auxiliam e fiscalizam toda parte financeira do condomínio, e ainda ajudam o síndico com decisões importantes relacionadas à fornecedores e grandes contratos, por exemplo.

Cabe ao conselho também autorizar ou não o síndico a criar despesas que não façam parte das previstas pelo orçamento original do condomínio. Ou seja, funciona como um “tribunal de contas” do condomínio.

Zelador

Como o próprio nome do cargo nos sugere, o zelador é a pessoa responsável por zelar para que o bom andamento das atividades cotidianas do condomínio seja sempre presente. É quem resolve os problemas mais técnicos e que possam surgir a qualquer momento, devendo estar sempre alerta. Por causa disso, mesmo que o  zelador tenha uma carga horária definida, é recorrente que ele more no prédio e seja sempre presente em casos de emergência.Além disso, é ele que comanda as atividades de outros funcionários da limpeza, segurança e portaria.

Sistema integrado

As funções do corpo direto são muitas. Por isso, é necessário que sejam organizadas de maneira adequada essas informações,evitando problemas. E que o condomínio se organize por algum sistema informatizado. Sendo possível garantir que todas informações estejam organizadas e que seja gerado um histórico de decisões tomadas.

 

O que checar antes de assumir o cargo de síndico

Ao assumir a gestão de um condomínio, o novo síndico – seja ele profissional ou não – deve tomar uma série de cuidados para começar com o pé direito e conseguir realizar uma boa gestão.

Além disso, deve também evitar que erros de gestões anteriores possam respingar na sua administração presente.

Portanto, é fundamental o novo síndico estar bem informado e a par da situação do local.

Pensando nisso, fizemos um levantamento – e um checklist para download (no final da matéria) – dos principais pontos a serem checados e providenciados quando o novo síndico assumir. Desde a assembleia de eleição até o momento em que sua gestão começa efetivamente, o que você precisa saber, está aqui.

 

Na assembleia de eleição do novo síndico
É importante que logo na assembleia de eleição do novo síndico já haja uma data para que o novo gestor receba, do síndico anterior, toda a documentação necessária para a sua atuação.

“Esse prazo deve, inclusive, deve constar na ata da assembleia. Isso ajuda caso a gestão anterior não queria disponibilizar os documentos e seja necessário entrar com uma ação judicial. Com a ata em mãos o juiz tem mais instrumentos para agir com mais rapidez”, explica o advogado especialista em condomínios Alexandre Marques.

Postura do novo síndico em relação à gestão anterior
Nada combina menos com o trabalho do síndico do que a inércia. A ideia de “se estava assim antes, pode continuar da mesma maneira” para algo que não está correto ou adequado para o condomínio é perigosa e tende a ser negativa para toda a comunidade.

Por isso, se algo está errado, como falta de inspeção do para-raios, avcb vencido ou previsão orçamentária deficitária, arregace as mangas e mãos à obra.

O síndico deve ter uma postura pró-ativa e saber como levar adiante as mudanças que precisam ser feitas. Para isso, um bom planejamento e uso do bom senso são fundamentais, explica Julio Paim, diretor do SíndicoNet

Outro ponto importante é ter o cuidado em manter um diálogo com o gestor anterior para que a transição não seja traumática.

Nesse momento, é muito saudável que haja uma conversa entre essas duas pessoas para esclarecer qualquer dúvida que possa surgir, como algo relacionado a uma obra em andamento no condomínio ou outras questões específicas, ressalta Julio.

No caso de constatar irregularidades na documentação da gestão anterior, deve-se pedir esclarecimentos ao síndico responsável por tais erros.

Ao assumir o cargo, é também muito saudável e válido o novo síndico enviar uma carta de apresentação aos condôminos.

A administradora é uma grande aliada do síndico e o mesmo deve se sentir confortável em trabalhar com a empresa. É importante, ao assumir o condomínio, conhecer o contrato de prestação de serviços, e quem faz o atendimento ao condomínio.

Uma visita à empresa para uma reunião também é altamente recomendado para tirar dúvidas e alinhar a parceria.

1) LISTA DE MORADORES ATUALIZADA (prioridade alta)

“Deve ser a prioridade zero quando se assume um condomínio”, assinala Alexandre Marques.

Isso porque sem essa lista fica muito difícil cobrar um condômino inadimplente corretamente.

Vale lembrar que a administradora do condomínio deve ajudar o síndico a manter essa lista sempre atualizada.

2) LISTA DE DOCUMENTOS ATUALIZADOS

Todos os contratos de prestação de serviço
RIA – Relatório de Inspeção Anual dos Elevadores (São Paulo)
AVCB
Habite-se anterior
Brigada de incêndio
Análise de água
Plantas do condomínio
Certificados de dedetização, limpeza de caixas d´água e outros serviços realizados.

3) ATUALIZAR DADOS NA RECEITA FEDERAL

“Só assim é possível atualizar o certificado digital. Sem ele, o pagamento de funcionários e de tributos fica prejudicado, o que é péssimo para o condomínio”, argumenta Gabriel Karpat, diretor da administradora GK.

4) ATUALIZAR DADOS NO BANCO

“Em muitos bancos, caso isso não seja feito, a movimentação financeira pode ficar bloqueada, o que é um problema bastante sério”, aponta Gabriel Karpat.

Isso porque o banco sabe quando termina uma gestão e começa a outra. E, ao terminar a gestão, o antigo síndico não tem mais poder para decidir sobre as contas do condomínio.

5) CHECAR O SEGURO DO CONDOMÍNIO (prioridade alta)

O seguro do condomínio estar em dia é uma das obrigações mais sérias do síndico.

“Já imaginou se há um incêndio e a apólice está vencida? O síndico pode ser condenado civil e criminalmente pelo ocorrido”, indaga o síndico profissional Nilton Savieto.

Ele também alerta para que os novos síndicos se atentem aos valores segurados pela apólice, de forma a serem realmente o necessário para cobrir os custos de uma reconstrução.

6) CERTIDÕES DE DÉBITO NEGATIVAS

Checar se o condomínio está em dia com o INSS, FGTS e tributos federais e municipais é facil através da internet.

Assim, o novo síndico já fica a par de possíveis dívidas e evita-se sustos como funcionários cobrando direitos que não foram pagos corretamente.

Vale lembrar que a administradora do condomínio é peça fundamental para ajudar na coleta destes dados, e os condomínios que contam com a certificação digital conseguem ter acesso a diversos dados sobre a situação trabalhista e fiscal do condomínio.

7) AÇÕES JUDICIAIS EM CURSO

Estar a par das ações judiciais envolvendo o condomínio é fundamental.

“O novo síndico pode verificar isso rapidamente com o advogado do condomínio ou com a administradora. É fundamental se inteirar do processo”, assinala o advogado especialista em condomínios Alexandre Marques.

8) REVER OS CONTRATOS DO CONDOMÍNIO

“Quando eu assumo a gestão de um novo condomínio, revejo todos os contratos de manutenção. Chamo a empresa para conversar, tiro as dúvidas e vejo se está sendo cumprido o contrato, se o preço está de acordo com o que está sendo oferecido para o condomínio”, explica o síndico profissional Nilton Savieto.

Estudar esses contratos é fundamental para que o síndico conheça os fornecedores e tenha segurança na hora de cobrar o que está descrito no contrato.

9) FUNCIONÁRIOS DO CONDOMÍNIO

A folha de pagamento é o item mais pesado do condomínio. Dar a devida atenção à escala de trabalho dos funcionários ajuda, e muito a manter as contas equilibradas no empreendimento.

“Fazer uma análise criteriosa de horas extras, por exemplo, pode resultar em uma boa economia para o condomínio todos os meses”, explica Gabriel Karpat.

Outro ponto importante sobre os funcionários do condomínio é checar junto à administradora se a documentação trabalhista está em dia. Obrigações como PPRA (Programa de Prevenção dos Riscos Ambientais) – NR 09 do Ministério do Trabalho e Emprego – e PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional) – NR 07 o Ministério do Trabalho e Emprego.

Respeitar outras obrigações junto aos funcionários como a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), caso seja o caso, assim como diversos outros dispositivos da legislação trabalhista que abranjam o empreendimento é fundamental.

10) EMPRESA TERCEIRIZADORA

Caso o seu condomínio conte com uma parceira do tipo, é fundamental cobrar periodicamente – de preferência, no máximo a cada três meses – as certidões de quite com o INSS e o FGTS. Dessa forma, o gestor resguarda o condomínio de possíveis ações trabalhistas no futuro.

Da mesma forma que o item anterior, também é importante estudar a escala dos funcionários, de forma a saber se a mesma não está onerando o condomínio demasiadamente.

Logo ao assumir, o fundamental é pedir uma pesquisa completa sobre a saúde financeira da empresa e ter a certeza de que os funcionários estão sendo pago em dia e que seus direitos trabalhistas estão sendo respeitados.

1) ANÁLISE FINANCEIRA

É muito importante o síndico ter uma noção clara das despesas, o quanto cada item representa do orçamento, assim como saber como está a receita e índice de inadimplência.

Checar principalmente os três últimos balancetes já ajuda a dar um panorama de como está a situação financeira do condomínio.

“Se for possível analisar os últimos doze meses de vida do condomínio, ajuda a dar ainda mais clareza”, argumenta Rosely.

Uma análise mais criteriosa também vai ajuda-lo a conseguir identificar gorduras no orçamento e, assim, propor melhorias e redução de custos.

2) COMPARAÇÃO DA PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA COM O GASTO EFETIVAMENTE

Um dos melhores termômetros para a saúde financeira do condomínio é comparar o que foi orçado previsão orçamentária com o que está sendo efetivamente gasto.

“Se o seu condomínio tem uma receita mensal de R$ 100 mil e está gastando R$ 90 mil ou R$ 110 mil é importante entender o motivo dessa disparidade”, analisa Hamilton Quirino, advogado especialista em direito imobiliário.

3) CONHECER A INADIMPLÊNCIA

Saber como está a questão dos devedores no seu condomínio é fundamental para poder tomar decisões acertadas sobre a gestão como um todo.

“Às vezes há condôminos que não estão em dia com suas obrigações há dois anos e não há ação na Justiça, não tem ninguém acompanhando. Por isso, é importante que o síndico esteja a par e tome uma decisão no sentido de corrigir essas situações o mais rápido possível”, assinala Hamilton.

Ao perceber que não há um controle efetivo ou regras claras e estabelecidas quanto ao controle de inadimplência, é imprescindível que o novo gestor se organize para pôr ordem nessa questão.

A convocação de uma assembleia para aprovar as novas regras é necessária e recomendável.

4) AUDITORIA DE GASTOS PASSADOS

Se o novo síndico fez um levantamento dos últimos balancetes, cruzou com a pasta de prestação de contas e com os extratos do banco e percebeu que há disparidades, pode ser uma boa dividir com a assembleia a possibilidade de se chamar um auditor para estudar o período.

“Como seria um gasto extra, é importante que esse tipo de investimento seja aprovado em assembleia”, diz Rosely Schwartz.

5) INVESTIMENTOS DO CONDOMÍNIO

Saber como estão aplicados os fundos do condomínio é importante para quem está chegando ao cargo de síndico.

Aplicações em fundos multimercado ou de perfis agressivos não são recomendados.

“Informações do tipo: quais investimentos, quanto e o tipo de garantia a ser dada é fundamental para o síndico. Também sempre alerto para que deixem o dinheiro do condomínio em bancos grandes, evitando assim que o condomínio tome um prejuízo caso o banco quebre”, alerta Nilton Savieto, síndico profissional.

6) ACORDOS FEITOS

O novo síndico deve estar a par do que foi acordado com os inadimplentes que estão pagando suas obrigações em parcelas.

“Ao firmar um acordo, é importante que o mesmo seja um documento assinado, para que, assim, seja possível aos próximos gestores acompanharem, com clareza, a evolução desse pagamento”, ensina Rosely Schwartz.

 

1) AVCB EM DIA

Estar com o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros em dia é fundamental para o condomínio. Além de conferir segurança para a edificação, também comprova que o condomínio está com diversos itens de segurança em dia, como:

Itens de combate ao fogo
Parte elétrica
Para-raios
Sinalização
Saiba mais sobre AVCB
Quais são os equipamentos básicos contra incêndios?

2) SITUAÇÃO DO EXTINTORES

Não é raro encontrar condomínios com extintores vencidos e equipamentos contra incêndio sem manutenção. Além disso, muitos locais sofrem com vandalismo com extintores de incêndio.

Por isso, é importante que os mesmos sejam verificados assim que o síndico assuma o condomínio, e que as datas de vencimento sejam devidamente programadas.

3) OBRAS EM ANDAMENTO

Estar a par das benfeitorias que já estão acontecendo é fundamental para o novo síndico, assim como saber quais etapas da mesma já foram pagas e se há dinheiro em caixa para fazer frente à finalização da mesma.

Verificar também se existem obras em andamento, ou a serem feitas, nas unidades é importante. Principalmente para checar se as mesmas seguem as disposições da norma técnica 16.280, da ABNT, sobre obras em condomínios.

4) CONVERSAR COM O ZELADOR

O responsável pela manutenção do condomínio com certeza tem muitas informações para passar para o novo síndico. Afinal, é ele quem faz o acompanhamento das áreas comuns do condomínio.

“Fazer uma verdadeira inspeção no condomínio todo, com o zelador ou gerente predial, pode ser uma ótima forma de saber do que o condomínio está precisando”, aponta Nilton Savieto.

5) PLANTAS DO CONDOMÍNIO

O síndico deve ter acesso às plantas elétricas e hidráulicas do condomínio. É importante saber, em caso de edificações antigas, onde estão esses papéis. Empreendimentos mais novos costumam ter esses dados em CD ou pendrive.

“O síndico deve ter esses documentos para pode auxiliar quando um condômino precisar fazer uma reforma e saber onde passa um cano, por exemplo”, alerta Hamilton.

6) FOTOS DAS ÁREAS COMUNS

Registrar itens das áreas comuns é importante tanto para efeito de comparação como para alertar os moradores sobre a situação de itens que não estejam muito à mostra.

“Tirar fotos também ajuda quando houver uma assembleia, fica mais fácil para o síndico não apenas aprovar benfeitorias como dividir a responsabilidade caso os condôminos se oponham em executar a melhoria em questão”, aponta Rosely.

Segurança do condomínio
Saber como estão os equipamentos de segurança contra invasões do condomínio ajuda o síndico e a equipe gestora a manter a coletividade mais segura, e também a propor melhorias nesse aspecto para o condomínio.

“É fundamental que aquela coletividade entenda como o síndico pegou o condomínio no primeiro momento, até para saber qual o melhor caminho a ser tomado”, explica a professora do curso de administração condominial da Escola Paulista de Direito, Rosely Schwartz.

 

Fonte: Síndico Net

Como aumentar a segurança no controle de acesso a garagem em condomínios

O crescimento na procura por soluções que intensificam a segurança condominial é cada vez mais intenso, por isso os criminosos estão adaptando suas estratégias  para invadirem os condomínios residenciais, como por exemplo se passando como visitantes, entregadores, prestadores de serviços ou, ainda, rendendo moradores no portão de entrada do prédio. Diante disso, intensificar a segurança nos acessos da garagem dos condomínios residenciais é de fundamental importância.

 

Segundo dados, a maior parte das invasões ocorre pela porta da frente do condomínio. Gerando assim, a necessidade de tornar inteligente o controle de acesso do fluxo de moradores, em todos os acessos.

 

A busca por inovações disponíveis no mercado de segurança pode ser uma ótima alternativa, com a finalidade de evitar possíveis roubos e invasões. A portaria remota oferece dispositivo de última geração com a finalidade de oferecer mais praticidade e segurança no controle de acesso. Além de oferecer aos moradores controles remotos, que possuem uma tecnologia anticlonagem.

 

Caso o morador ainda assim seja rendido dentro do veículo ou caso um carro não autorizado aproveite a abertura do portão para invadir o prédio pela garagem, a pessoa pode contatar a empresa que cuida da segurança apertando um botão de pânico, localizado no controle remoto. Um alerta é emitido à portaria remota com um sinal sonoro e a imagem da câmera do local. Em caso de arrombamento do portão, o porteiro remoto é acionado automaticamente.

 

Todos os tipos de estratégias de segurança adotadas pela empresa fornecedora da portaria remota em situações emergenciais devem ser devidamente acordadas com o condomínio, de acordo com as suas particularidades.

5 dicas para um anúncio de imóvel perfeito

Não é novidade para ninguém que buscar imóveis na internet se tornou parte do processo de compra de um imóvel. Atualmente, até 60% do processo de decisão é feito online e 88% das pessoas utilizam a internet em sua decisão na busca de um imóvel. Ou seja, pra quem está pensando em vender um imóvel, fazer um anúncio online é indispensável. Mas como fazer para que seu anúncio de destaque em meio a tantos outros, e prenda a atenção de quem está procurando por um imóvel? Se você está com essa dúvida, esse post irá te ajudar listando os principais fatores que fazem um anúncio de imóvel ser bom.

1 – Fotos

As fotos são uma das partes mais importantes do anúncio! É ela que traz o cliente para seu anúncio o mantêm interessado, ela é responsável por 80% das visualizações de uma página de imóvel na web, e ter fotos de qualidade profissional aumenta em até 2x a chance de se vender um imóvel. Portanto, utilize fotos de qualidade em seu anúncio, organize a casa, arrume a bagunça e coisas pessoais e preste atenção à iluminação!

anúncio_de_imóveis_perfeito

2 – Descrição

É importante que você passe ao leitor o máximo de informações possíveis. Muitos usuários desistem de um imóvel na internet quando se deparam com informações escassas, e alguém que está realmente interessado em seu imóvel vai querer levar algum tempo lendo a descrição. Para que seu anúncio não seja mais um ignorado pelos usuários, forneça toda a informação que puder, como IPTU, condomínio, área, número de quartos e banheiros, área de lazer, vagas de garagem, etc. Destaque também possíveis diferenciais do imóvel como varanda espaçosa, ou alguma reforma recente.

3 – Localização

É muito importante informar ao menos a localização aproximada do imóvel, assim o usuário poderá saber se o imóvel se encontra em uma região de seu interesse ou não. Além disso, faça uma descrição informando como é viver na região, as facilidades do local, como por exemplo: padaria e supermercado próximos, farmácias, parques, praças, boa vizinhança, etc. Isso irá ajudar a atrair a atenção e o interesse de um usuário que estiver lendo seu anúncio.

4 – Preço

Quem está vendo um anúncio espera ver o seu preço. Além disso, é importante verificar se seu imóvel está em um preço justo, caso contrário mesmo com o melhor anúncio possível e um imóvel perfeito, será muito difícil vendê-lo.

Vídeos

Vídeos são uma tendência cada vez maior em anúncios de imóveis, e assim como as fotos, ajudam a manter a atenção e interesse do usuário em seu anúncio. Isso porque os vídeos são uma excelente forma de apresentar o espaço do seu imóvel, mas assim como as fotos é preciso atenção para fazer um vídeo de qualidade. A utilização de vídeos em anúncio é muito comum no exterior, principalmente em residências de luxo.

5 – Documentação

É importante ter a documentação do imóvel em mãos quando for fazer um anúncio. Isso irá evitar possíveis perdas de negociação devido ao prazo que se leva para obter todos os documentos. Alias, informe que possui a documentação em dia no seu anúncio! Isso poderá atrair vários possíveis compradores! Possui dúvidas sobre a documentação?

Com essas 7 dicas você terá um anúncio que com certeza trará resultados. O anúncio com uma maior qualidade e relevância com certeza irá contar mais pontos no poder de decisão do comprador.

Fonte: Benvenuto

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúde

Investir na decoração verde vai muito além de embelezar os ambientes. De acordo com a Nasa, ter plantas dentro de casa é uma excelente opção para melhorar a saúde dos moradores, principalmente pela capacidade das espécies de filtrar os poluentes. Algumas plantas conseguem absorver as partículas com mais eficiência, mas, no geral, todas as espécies são capazes de melhorar a qualidade do ar dos ambientes.

Segundo a Nasa, algumas plantas, como o crisântemo, lírio-da-paz, comigo-ninguém-pode, gérbera, espada-de-são-jorge e antúrio, têm a incrível capacidade de remover gases tóxicos de ambientes fechados. Para um resultado ainda melhor, a agência sugere que as pessoas tenham, dentro de casa, cerca de 15 plantas em vasos de pelo menos 15 centímetros. Se você mora em um apartamento pequeno ou se prefere plantas maiores, não será necessário ter tantas espécies para aproveitar o mesmo poder de limpeza do ar.

Além de purificar o ar, plantas dentro de casa ainda trazem outros benefícios para a saúde. Confira abaixo outras vantagens de ter plantas dentro de casa:

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúdeResfriado comum

Plantas em ambientes internos aumentam os níveis de umidade e diminuem a poeira, reduzindo as doenças relacionadas ao frio em mais de 30%.

Sonolência

O excesso de dióxido de carbono pode elevar os níveis de sonolência. Durante a fotossíntese, as plantas removem o CO2 do ar.

Estresse

As plantas podem contribuir para uma sensação de bem-estar e ajudam as pessoas a ficarem mais calmas e otimistas. Além disso, sabe-se que as plantas reduzem a pressão sanguínea devido à sua natureza de aliviar o estresse.

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúde

 

Dor de cabeça

Respirar ar contaminado aumenta as dores de cabeça. Por produzirem oxigênio e diminuírem o nível de dióxido de carbono no ar, as plantas também ajudam a combater este mal.

Congestionamento

Algumas plantas como o eucalipto podem ajudar a limpar as secreções e melhorar o congestionamento do sistema respiratório. Esta planta age como um antisséptico natural e deve ser usada apenas como inalante.

Pele seca

As plantas são um umidificador natural. Ao colocar um vaso de hera-inglesa dentro de casa, será possível perceber um aumento da umidade nos ambientes internos, principalmente em regiões de clima seco.

Plantas dentro de casa trazem benefícios para a saúde

Insônia

Sim, as plantas podem ajudar a melhorar a sua noite de sono! Algumas espécies, como as margaridas e gérberas, liberam oxigênio à noite, portanto, ao colocar estas plantas próximas à sua cama, você terá oxigênio extra, o que ajudará no seu sono.

Vale lembrar que cada espécie precisa de um cuidado especial. A luz, o clima e a temperatura dos ambientes interferem de forma direta no crescimento das plantas, por isso certifique-se de colocá-las no lugar certo para garantir que elas recebam os nutrientes necessários para se desenvolver.

Fonte: Brightnest

Como a tecnologia está construindo cidades mais seguras e sustentáveis?

O fluxo de pessoas para as áreas urbanas é uma preocupação de governos no mundo todo e parece ser um processo sem volta. De acordo com as Nações Unidas, o percentual de pessoas vivendo em áreas urbanas chegará a 68% até 2050. Com essa movimentação, problemas típicos de grandes centros urbanos se tornam ainda maiores – como é o caso da criminalidade, da burocracia, da necessidade de infraestrutura de comunicação e da emissão de carbono.

Compreender a movimentação e o comportamento das pessoas é essencial para combater esses problemas, e tecnologias como a Internet das Coisas, Big Data, Inteligência Artificial e computação em nuvem são peças-chave para garantir que o crescimento desses ambientes seja seguro e sustentável.

As iniciativas de cidades inteligentes estão criando novos ecossistemas, novos mercados e novas economias totalmente digitais em todo mundo. E o conceito de cidades inteligentes só é real se existir a utilização intensiva de tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) em espaços urbanos, e elas precisam ser sensíveis ao contexto da área, gerando dados que serão usados para melhorar a gestão urbana e social. Porém, para que isso aconteça, é necessário o básico de infraestrutura das próprias TICs.

Neste contexto, a conectividade é a condição indispensável de um ecossistema avançado que possibilite a criação de cidades inteligentes. Estar preparado para o 5G, possuir redes de fibra óptica cortando a cidade e o armazenamento na nuvem são pilares substanciais que deverão direcionar os investimentos.

Porém, antes de ser inteligente, a cidade precisa ser segura. Isso porque a segurança é a mais básica necessidade social e, além disso, a infraestrutura para cidades seguras (conectividade e armazenamento) pode ser inteligentemente direcionada para quase a totalidade das demais iniciativas de cidades inteligentes.

Vários países no mundo já recebem projetos dentro do conceito de Safe City, inclusive o Brasil. No Rio de Janeiro, existe o Luz Azul, um projeto da empresa Venses Tecnologia em parceria com o Secovi Rio que consiste na instalação de câmeras de vigilância identificadas com uma luz azul voltadas para a rua. As imagens captadas são armazenadas em na nuvem da Microsoft (AZURE) e compartilhadas com a Polícia Civil em tempo real.

Segurança pública de qualidade é uma necessidade de todo grande centro urbano e o uso de tecnologias é comprovadamente eficaz para garantir não só um sistema de segurança inteligente, como também para promover melhor qualidade de vida para os habitantes, por meio de soluções que visam melhor eficiência de todo o ecossistema das cidades.

 

Fonte: Condomínios Verdes

7 ideias para agregar valor à sua casa antes de vender

natural que você queira vender sua casa pelo maior preço de venda possível. Porém, existem algumas ideias comprovadas para conseguir agregar valor à sua casa e então elevar seu valor de venda. Todas as dicas que vamos dar neste artigo simplesmente exigem um pouco de planejamento.

1. Arrume o seu jardim

Esta é a primeira parte de sua propriedade que os possíveis compradores verão, logo não vai custar muito para comprar novos solos, arbustos e elementos ornamentais. Mas, pode ser a diferença entre vender sua propriedade rapidamente e suportar meses de estresse. Cuidando do seu jardim você com certeza atrairá mais olhares e então, aumentará as chances de potenciais compradores se interessarem.

2. Menos é mais

Compradores em potencial não poderão imaginar seus próprios móveis e pertences em sua casa se seus bens estiverem espalhados por toda parte. Então, nesse caso, menos é mais. Quanto mais espaços abertos e organizados, melhor será para que seus compradores consigam visualizar sua casa como sendo deles. Além do que, quanto mais espaço vazio tiver, maior é a sensação de amplitude e também gera um conforto visual muito maior do que uma casa bagunçada e cheia de móveis.

3. Use sua caixa de ferramentas

Este é o momento de fazer esses pequenos ajustes que você tem evitado nos últimos anos. Você pode precisar substituir um pouco de argamassa no banheiro, ou a madeira podre em torno de sua casa pode precisar de um pouco de atenção. Veja também o estado de suas luminárias, gabinetes, pias e banheiros, portas de armários e conserte todas as áreas quebradas ou danificadas.

4. Uma nova camada de tinta

Uma das melhorias mais baratas que você pode fazer também tem um dos melhores retornos do seu investimento: pintar o interior de sua casa. Então, a nova pintura ilumina os ambientes, oculta os defeitos visuais e instantaneamente deixa um espaço fresco e limpo.

Inacreditavelmente, a maioria das pessoas não percebe que você acabou de pintar sua propriedade para parecer nova, mas, atenha-se às cores neutras, pois elas podem fazer os espaços parecerem maiores. Então, o seu comprador tem a oportunidade de visualizar sua própria decoração com mais facilidade.

5. Dê uma reforma barata na cozinha

Uma cozinha não é apenas um espaço funcional, muitas vezes é o centro da vida familiar. Então, algumas pequenas mudanças nas superfícies da sua cozinha, armários e torneiras, podem deixar sua cozinha com um visual mais moderno e atraente.

Com uma simples reforma residencial você também pode replanejar sua cozinha e deixá-la mais ampla, unindo por exemplo, o quarto de empregada (que hoje caiu em desuso) com a sua despensa, tornando sua cozinha bem mais funcional e bem distribuída.

 

6. Certifique-se de que seu banheiro esteja impecável

A maioria dos possíveis compradores perdoará um banheiro envelhecido, mas muito poucos perdoarão um sujo. Então, passe algum tempo cuidando de pequenos reparos, mas o mais importante, certifique-se de que tudo esteja limpo.

Se seu orçamento permite investir em um novo vaso sanitário ou pia você poderá  criar uma boa impressão com um gasto relativamente baixo.

7. Selecione uma imobiliária de qualidade

Encontrar a imobiliária perfeita em sua área é fundamental para aumentar suas chances de vender rapidamente e pelo melhor preço possível. Mas, a escolha pode ser um pouco difícil, e há muitos fatores a serem levados em consideração. Por isto, que a imobiliária do futuro se preocupa com essas variáveis, sempre pensando na melhor forma de atender o nosso cliente e entregando especificamente aquilo que você quer.

Se você seguir essas dicas, certamente conseguirá agregar mais valor à sua casa.  Então, lembre-se, o segredo para uma boa apresentação inclui a remoção de qualquer coisa que possa criar dúvidas nas mentes dos possíveis compradores. Invista em criar um cenário para sua casa que ajude os espectadores a se imaginarem vivendo em sua casa com conforto e alegria.

 

Fonte: Benvenuto

Saiba todos os cargos e funções dentro de um condomínio

Uma parte importante da gestão de funcionários está na organização dos cargos e funções dentro de um condomínio. Para que tudo funcione de maneira correta, é essencial que o síndico e os prestadores de serviço saibam com clareza quais as suas atribuições no ambiente condominial. Pensando nisso, preparamos este artigo sobre os cargos no condomínio e quais são as suas funções.

Entenda o que faz um encarregado de condomínio, quais as funções de supervisor de condomínio e muito mais com esta publicação. Vamos lá?

Quais são os cargos e funções dentro de um condomínio?

Gerente predial, auxiliar de serviços gerais, zelador, subsíndico,… São diversos os cargos no condomínio e às vezes fica complicado saber qual o papel de cada personagem dentro desse universo. É natural que os moradores – e até mesmo os próprios prestadores de serviço – fiquem confusos na hora de delimitar as obrigações de cada um.

Os cargos no condomínio, bem como as funções de cada atuação, são definidos pela Convenção Coletiva de Trabalho entregue anualmente pelos sindicatos de empregados de edifícios ao Ministério do Trabalho. Em resumo, o documento estipula quais são as tarefas relativas a cada cargo no condomínio e demais questões trabalhistas, como benefícios, pisos salariais, entre outros.

Antigamente, os funcionários contratados por condomínios residenciais eram legalmente considerados empregados domésticos. No entanto, essa questão foi alterada pela Lei Federal 2.757/56 e, com a mudança, os cargos no condomínio passaram a ser resguardados pela legislação trabalhista. Isso significa que todas as gestões condominiais devem respeitar e garantir os direitos dos funcionários de condomínio.

Levando esses detalhes em consideração, montamos uma relação sobre os mais comuns cargos no condomínio e suas funções:

Síndico

Em primeiro lugar, vamos falar sobre o principal líder do condomínio. O síndico é o responsável legal pela gestão e administração do empreendimento, além de ser coordenador dos demais cargos no condomínio. Dessa forma, o condomínio poderá optar por um síndico morador ou contratar um síndico profissional.

Subsíndico

Por sua vez, o subsíndico é um cargo não obrigatório no condomínio, mas bastante popular em diversas gestões. No geral, a convenção e/ou o regimento interno do condomínio estipulam se há necessidade de o condomínio contar com um subsíndico.

Bem como o síndico, o subsíndico é escolhido em assembleia geral. Da mesma forma, ele também atuará como um auxiliar nas questões administrativas e rotineiras do condomínio. Além disso, é o subsíndico quem assume o papel de gestor do condomínio na ausência do síndico, como em caso de férias, renúncia ou falecimento.

Zelador

Quando ocorre algum problema no condomínio, é normal que os moradores chamem o zelador. Porém, nem tudo pertence ao escopo das atribuições do profissional. A principal função do zelador é coordenar o dia a dia no condomínio e garantir que tudo funcione corretamente. Faz parte das atividades do zelador:

  • Fiscalizar o uso das áreas comuns do condomínio;
  • Garantir o bom funcionamento dos aparelhos de uso comum, como academia ou piscina;
  • Fazer a manutenção das instalações elétricas e hidráulicas do condomínio;
  • Comunicar o síndico sobre irregularidades que ocorrerem;
  • Coordenar o trabalho dos demais empregados;
  • Distribuir tarefas diárias da equipe de limpeza;
  • Fazer supervisão das obras e reformas dentro do território do condomínio;
  • Notificar os moradores sobre problemas estruturais que podem ocorrer nas unidades. Por exemplo: falta d’água ou interrupção do funcionamento dos elevadores;
  • Auxiliar na identificação de vazamentos nos apartamentos.

Gerente predial

Diferente do zelador, o gerente predial atua tanto em questões operacionais quanto nas administrativas. Esse cargo no condomínio normalmente está presente em condomínios de alto padrão ou com muitas unidades. Algumas funções do gerente predial são:

  • Gerenciar serviços de manutenção;
  • Administrar os contratos do condomínio;
  • Efetuar relatórios, cotações e orçamentos;
  • Realizar compra de materiais para o condomínio;
  • Gerenciar e instruir funcionários;
  • Elaborar circulares e comunicados;
  • Contribuir no planejamento financeiro;
  • Fiscalizar a portaria e segurança do condomínio.

Apesar de ter obrigações semelhantes ao zelador e até mesmo ao subsíndico, o gerente predial se difere por ser uma profissão que reúne ambos os lados da rotina condominial: burocrática e operacional. Ao contrário do subsíndico, esse prestador de serviço não assume o papel do síndico na ausência do gestor e nem precisa ser eleito em assembleia.

Auxiliar de serviços gerais

Resumindo, o auxiliar de serviços gerais tem a função de detectar e resolver problemas da rotina condominial. Também chamado de ‘encarregado de manutenção’ ou ‘encarregado do condomínio’, ele é o responsável por resolver as mais variadas adversidades dentro do ambiente condominial. Esse profissional é muito indicado para condomínios pequenos, onde contratar um zelador pode se tornar caro demais.

As atribuições do auxiliar de serviços gerais em condomínio são:

  • Identificar problemas no condomínio que precisam ser resolvidos. Por exemplo: goteiras, infiltrações, troca de equipamentos, etc.
  • Solicitar orçamentos e acompanhar reparos dentro do condomínio;
  • Revisar o sistema elétrico e hidráulico, buscando evitar futuros problemas;
  • Realizar as vistorias e manutenções periódicas.

Apesar de ser uma atividade com funções bastante amplas, o condomínio precisa cuidar para que não exista acúmulo de funções. Por exemplo, se o auxiliar de serviços gerais também ficar responsável pela limpeza do ambiente, será necessário documentar a dupla função na carteira de trabalho. Assim, o condomínio evita as chances de problemas judiciais.

Auxiliar administrativo de condomínio

Por outro lado, há o auxiliar administrativo do condomínio. Também conhecimento como “assistente de condomínio”, esse profissional realiza tarefas administrativas em prol do empreendimento.

Descubra as funções de auxiliar administrativo de condomínio:

  • Escrita e envio de cartas de advertências ou multas;
  • Elaborar notificações e comunicados aos moradores;
  • Dar suporte nas reuniões de assembleia;
  • Acompanhar questões financeiras e contas a pagar;
  • Organizar documentos administrativos, contas e contratos;
  • Ajudar no controle à inadimplência e na confecção dos boletos da taxa condominial;
  • Organizar a reserva de áreas comuns, como salão de festas;
  • Manter comunicação com os condôminos, prestadores de serviço e fornecedores.

Recepcionista de condomínio

Para condomínios comerciais, é essencial contar com uma boa equipe de recepcionistas. A prática garante o alto padrão de profissionalismo e atendimento, além de ser um diferencial no dia a dia do condomínio.

Saiba o que faz uma recepcionista de condomínio:

  • Recepção e atendimento do público;
  • Realizar o controle e cadastramento dos visitantes;
  • Notificar os escritórios sobre a chegada de visitantes;
  • Fazer o controle das correspondências e entregas;
  • Esclarecer dúvidas dos condôminos, visitantes e síndico;
  • Controlar as chaves das áreas comuns, como sala de reuniões, copa ou terraço.

Porteiro

Dono da portaria, o porteiro é aquele funcionário que já é tradicional nos condomínios. Apesar da semelhança com o  cargo de recepcionista, os porteiros geralmente são utilizados em condomínios residenciais.

Entenda quais são as funções do porteiro:

  • Notificar a chegada de visitas ou entregas através de interfone;
  • Conferir se o visitante está autorizado a subir na unidade;
  • Receber a correspondência dos condôminos;
  • Realizar o cadastramento dos visitantes e prestadores de serviço que chegarem ao condomínio;
  • Ficar alerta sobre possíveis falhas na segurança do condomínio.

Apesar de muitos moradores abusarem da relação com o porteiro, o profissional não deve:

  • Abandonar a portaria para realizar atividades para os moradores;
  • Guardar chaves ou demais objetos na portaria;
  • Deixar que uma determinada pessoa entre sempre sem autorização;
  • Manobrar carros na garagem.

Supervisor de condomínio

Também conhecido como ‘supervisor predial’, esse cargo no condomínio une algumas questões do auxiliar administrativo, de serviços gerais e do gerente predial. Dessa maneira, o profissional é encarregado de manter a ordem no condomínio e fazer a supervisão do trabalho dos demais colegas funcionários. Suas funções são:

  • Supervisionar equipes de limpeza, portaria, segurança, jardinagem, etc;
  • Acompanhar orçamentos e manutenções no condomínio;
  • Fazer a contratação de serviços e reparos;
  • Registrar faltas e atrasos dos funcionários, fiscalizar o ponto;
  • Elaborar relatórios para o síndico;
  • Ajudar na elaboração do planejamento e previsão orçamentária;
  • Realizar vistorias e resolver problemas estruturais dentro do condomínio;
  • Garantir o cumprimento das normas internas.

Vigias

A presença de vigias no condomínio é crucial para garantir a segurança dos moradores e da propriedade. Dessa forma, é natural que os vigias sejam escalados para trabalhar apenas no período da noite. É importante que esses profissionais não fiquem presos à portaria e façam rondas constantes.

Pronto! Agora você já conhece as funções dos principais cargos do condomínio. Para conferir quais são os cargos obrigatórios no imóvel que você gerencia, confira as normas presentes na convenção do condomínio e no regimento interno.

No caso de dúvidas, é indispensável a consulta às informações oferecidas pelo sindicato de funcionários de condomínios da sua região. E, claro, sempre obedeça às regras da legislação trabalhista.

 

Fonte: TownSq