Boleto antigo acima de R$ 2 mil não poderá ser pagos em bancos

A partir deste sábado (24/2), os bancos não irão mais aceitar boletos com valores acima de R$ 2 mil que não estão registrados.

A medida faz parte de um processo gradual da Febraban (Federação Brasileira de Bancos) para que todos os boletos estejam cadastrados na Nova Plataforma de Cobrança.  Para descobrir se o boleto está registrado ou não é preciso consultar diretamente o emissor do documento.

O objetivo do cadastro é, entre outros benefícios, garantir o pagamento após o vencimento em qualquer agência bancária, sem risco de erros nos cálculos de multas e encargos.

A orientação para quem tiver um boleto antigo acima de R$ 2 mil e não conseguir pagá-lo depois de sábado é procurar o beneficiário, que é o emissor do boleto, para quitar seu débito.

Esse novo modelo começou a ser implantado no país no ano passado, gradualmente. A partir de 24 de março, boletos antigos com valores acima de R$ 800 também não serão mais aceitos. O objetivo é que todo o processo seja concluído até setembro deste ano.

Fonte: Metro

Diferentes tipos de acabamentos de tinta

O acabamento da tinta faz toda a diferença no resultado da pintura final, e deve ser levado em consideração ao escolher as tintas para pintar algum cômodo (ou vários) da sua casa ou escritório. No post de hoje, falaremos sobre os diferentes tipos de acabamentos. Confira!

Há três tipos de acabamentos disponíveis no mercado: o fosco, o acetinado e o semibrilho. Para escolher entre as opções, é preciso conhecer suas propriedades e características, avaliando qual se encaixa melhor na necessidade específica do espaço em questão. Saiba mais a seguir:

  • Fosco

Ele confere um visual opaco às paredes. Não possui brilho e, por isso, também acaba ajudando a disfarçar as imperfeições da parede, já que deixa uma aparência mais uniforme. É o mais indicado para as cores escuras, pois elas têm a característica de realçar os defeitos da superfície.

As tintas com esse acabamento costumam ser mais baratas que as outras, mas, pela sua porosidade natural, são mais difíceis de limpar. Por isso, deve-se avaliar bem o local que receberá a pintura, para que isso não atrapalhe. O acabamento fosco é indicado para paredes internas e tetos.

  • Acetinado

De brilho intermediário, tem reflexos mais discretos, já que possui, em sua composição, mais resina do que as tintas foscas, mas nem tanto quanto as com semibrilho. Esse acabamento tem uma boa resistência a algas e mofos, além de facilitar a limpeza, que pode ser feita apenas com um pano úmido.

Como tem um discreto brilho, acaba evidenciando as imperfeições da parede. Nesse tipo de acabamento, os retoques costumam ficar bem marcados. Ele é indicado para áreas internas e de grande circulação, podendo ser aplicado em paredes, tetos, portas e rodapés.

  • Semibrilho

É o acabamento que possui mais brilho dentre os demais, além de reflexos intensos – o brilho final dependerá da quantidade de demãos de tinta. Ele é mais resistente ao desbotamento e ao aparecimento de manchas, mas realça eventuais falhas na superfície, sendo indicado, portanto, para paredes sem imperfeições.

As tintas com esse acabamento são mais impermeáveis que as com acabamento fosco, protegendo e aumentando a vida útil do reboco ou da textura. Ele pode ser usado tanto interna, como externamente, sendo muito indicado para portas e janelas.

O que você achou das informações e dicas que trouxemos nessa matéria? Esperamos que tenha gostado e que, utilizando-as, consiga escolher melhor as tintas que for usar em espaços da sua casa ou escritório. Lembrando que é sempre importante contar com bons profissionais para realizar o serviço! #FicaADica

8 itens que podem provocar alergias em casa

1. Velas aromatizantes
Elas possuem produtos químicos na composição que aumentam o risco de desenvolver asma e outras doenças respiratórias. Além disso, as fragrâncias emitem partículas orgânicas no ar que podem irritar os olhos ou o trato respiratório. Então, se você começar a lacrimejar sempre que acender a vela, é melhor se desfazer do produto.

2. Travesseiro
Você nunca dorme sozinho quando tem um travesseiro. Esse item abriga muitos ácaros. Se você é alérgico, certamente, vai despertar com o nariz coçando frequentemente. Para se livrar do incômodo, lave regularmente a peça em água quente e use capa protetora.

3. Bichos de pelúcia
Assim como os travesseiros, os brinquedos de pelúcia são ótimos ninhos para os ácaros. Se é impossível livrar-se deles, lembre-se de lavá-los com frequência em água quente.

4. Toalhas
É preciso atenção na hora de comprar novas toalhas. Há algumas opções que possuem material mais rígido que se torna macio com o passar do tempo. Essa não é a melhor opção porque causa irritação na pele. Substitua as suas por peças macias e doe as antigas aos centros de zoonoses de sua cidade.

5. Pelos
É de partir o coração, mas é muito comum que apaixonados por animais tenham alergia ao pelo do bicho de estimação. Para reduzir os danos, aspire os ambientes toda semana e troque o filtro de ar do aparelho com frequência. Ah, infelizmente, evite deixá-los subir na cama.

6. Sofá de couro
Alergia a couro não é muito comum, mas existe! Observe se algum sintoma aparece após passar um tempo sentado no sofá ou poltrona revestido com o material. Você pode estar reagindo ao ‘fumarato de dimetilo’, uma substância utilizada em móveis para evitar o mofo do material. Em 2011, a reação alérgica ao produto foi nomeada como “contato alérgico do ano” pelo número de casos descobertos.

7. Aspirador de pó
Acredita-se que aspirar a casa regularmente ajuda a diminuir as chances de alergias. Mas existe também um processo alérgico desencadeado por esse tipo de limpeza. Afinal, a aspiração joga partículas de poeira no ar. Se você não pretende substituir o carpete, utilize uma máscara enquanto aspira o piso. Também vale conferir se o filtro do aparelho é HEPA (High Efficiency Particulate Arrestance). Caso não seja, chegou a hora de substituí-lo.

8. Plantas em casa
As plantas purificam o ar e melhoram o bom humor. Mas você já deve ter ouvido falar que elas também podem causar sérios desconfortos aos moradores devido aos fungos. Quando eles se alojam nos vasos, a proliferação acontece naturalmente por conta de umidade, favorecendo, assim, o surgimento de processos alérgicos.

Fonte: Casa e Jardim

Como integrar a sala e a varanda de casa

Uma tendência cada vez mais popular nos apartamentos atuais é converter a varanda da casa, transformando-a num espaço de estar, integrado à sala. Por isso, resolvemos trazer esse assunto na matéria de hoje, com dicas de como integrar esses dois ambientes, deixando seu lar mais convidativo e aconchegante!

 

  • Normas

 

Primeiramente, é preciso verificar junto às normas do prédio se há restrições para esse espaço, ou se é permitido, por exemplo, fazer o fechamento da varanda ou derrubar a parede que a separe da sala. As permissões/proibições do prédio farão toda a diferença na decisão do seu projeto.

 

  • Isolando

 

O segundo passo diz respeito ao que é necessário fazer para isolar o ambiente externo, impedindo que chuvas, vento etc. entrem na sua sala. Uma das principais soluções é vedar a varanda, com o envidraçamento da sacada – material flexível e resistente às ventanias e ação do tempo, que pode ser aberto quando o morador quiser. Outra opção é manter a sacada aberta, normalmente, e separá-la da sala com portas de correr de vidro, que garantem a sensação de amplitude, além do conforto térmico e acústico.

 

  • Pisos

 

Para que os ambientes conversem, é preciso que a decoração deles harmonize. Assim, indica-se o uso de um mesmo piso, dando a impressão de continuidade entre os espaços. Lembrando que, na varanda, o piso tem que ser resistente aos agentes naturais, como chuva, umidade e sol. Portanto, os pisos de maior durabilidade, fácil manutenção e pouco porosos são os mais indicados, como o porcelanato natural, os emborrachados, as fibras e o alumínio.

 

  • Revestimentos

 

Procure, seguindo a última dica, manter as mesmas cores ou revestimentos nas paredes dos dois cômodos, dando unidade a eles – e colaborando com a sensação de amplitude. Mas, atenção! Assim como no piso, as paredes da área externa precisam receber materiais próprios, mais resistentes.

 

  • Iluminação

 

Item essencial em qualquer decoração, ela também precisa ser pensada nesse projeto. Se você optar pelo vidro na sacada ou nas portas de correr, lembre-se da ação do sol na sala, que pode incomodar em determinados dias (principalmente nos de verão). Nesse caso, as persianas podem ajudar a controlar a entrada de luz natural. Como nas varandas os pontos de iluminação do teto já costumam vir definidos, podem ser criados pontos focais, embutidos no gesso ou instalados em locais estratégicos, complementando a iluminação existente. A iluminação pontual, além de tudo, garante mais aconchego e conforto ao espaço.

E então, o que você achou das informações e sugestões que demos nesse post? Lembre-se que, antes de iniciar qualquer reforma, você precisa verificar as regras do condomínio e contratar um arquiteto/decorador, para que tudo ocorra da forma mais segura e correta possível. #FicaADica

 

Problemas que devem ser vistos antes da reforma

Está querendo fazer alguma reforma na sua casa ou escritório?! Então, fique atento, pois é preciso observar alguns pontos antes de realizá-la. Na matéria de hoje, falaremos sobre os problemas que devem ser vistos antes da reforma, para que você consiga se preparar adequadamente. Confira!

  • Estrutura

Se você está planejando fazer uma reforma que mude portas ou janelas de lugar, ou então quer construir um novo andar ou demolir paredes… Nem cogite fazer isso sem o parecer de um especialista (engenheiro ou arquiteto). Só um profissional habilitado poderá dizer, com certeza, as mudanças que são ou não permitidas, sem que a estrutura da casa/apartamento e sua segurança e de sua família sejam comprometidas.

  • Elétrica

As instalações elétricas devem ser verificadas antes de qualquer obra. Os cabos e fios precisam estar em boas condições, evitando problemas, como quedas de energia, choques elétricos, sobrecargas, curtos e, inclusive, incêndios. Aproveite a reforma e peça a um eletricista que faça uma revisão de toda a parte elétrica, antes de fechar paredes e pisos.

  • Hidráulica

Também é importante verificar se as instalações hidráulicas estão com algum problema, como vazamentos. Se sim, faça os reparos antes de iniciar qualquer reforma. Verifique todos os tubos e conexões e, se estiverem danificados ou muito velhos, aproveite para, durante a obra, substituí-los por produtos novos e de qualidade garantida.

  • Infiltração

Elas são bastante comuns, infelizmente, e podem se manifestar de maneiras diversas, como próximas ao chão ou no teto. Independente de onde surja, não adianta de nada maquiar o problema. Portanto, identifique suas causas, ajustando-as e corrigindo os pontos danificados com impermeabilizante, durante a obra.

  • Mofo

O mofo, além de ser feio e deixar o ambiente com um odor desagradável, estimula o aparecimento e agravamento de doenças respiratórias e alérgicas. Se você está com esse problema em casa, livre-se dele antes de iniciar a obra – utilizando, nela, bons impermeabilizantes, evitando que o problema volte a acontecer.

  • Trincas e rachaduras

As trincas e rachaduras nas paredes podem ser apenas superficiais, mas também representar problemas bem mais sérios, que podem até comprometer a estrutura da casa. Procure um profissional que identifique a causa da fissura, fazendo os ajustes necessários antes de consertar a parte estética do problema.

E então, o que você achou dessas informações e dicas que trouxemos?! Utilize-as para ficar bem preparado antes de qualquer reforma que queira fazer, planejando-se bem para ela e evitando ter que fazer reparos posteriormente, gastando mais tempo e dinheiro do que deveria. #FicaADica

Jardim do condomínio exige mais cuidados no verão

O jardim do condomínio é um local que precisa de muitos cuidados, que devem se intensificar em dias mais quentes, como esses de verão que estamos enfrentando. Resolvemos, então, abordar esse tema no post de hoje, te ajudando a saber a melhor maneira de agir durante essa estação.

Com o verão, além do calor intenso, as chuvas também se tornam mais comuns. Esse clima contribui para o desenvolvimento da área verde, porém, infelizmente, também favorece o surgimento de pragas e doenças vegetais. É preciso ficar atento às plantas, com manutenções contínuas.

Se você conta com a assessoria de profissionais especializados (como um paisagista e/ou técnico de jardinagem), é interessante que eles façam uma avaliação de toda a área verde quinzenalmente, observando e indicando as ações que precisam ser implementadas.

Dentre os cuidados mais frequentes estão, por exemplo:

– Corte de gramas;

– Controle de fungos e pragas;

– Escolha das plantas mais adequadas para cada área.

Guiando-se pelas orientações profissionais, o condomínio conseguirá cuidar melhor do seu jardim, preservando os trabalhos de planejamento e manutenção feitos no espaço ao longo do tempo, e mantendo as plantas mais saudáveis e bonitas – com custos reduzidos, se feito corretamente.

Se o trabalho é bem feito durante todo o ano, no período dos dias mais quentes de verão o propósito será o mesmo: conservar e manter as plantas, da melhor forma possível. Assim, é importante não deixar só para essa estação os cuidados com a área verde, mas fazê-lo durante todo o ano.

Outro ponto importante dessa manutenção constante e preventiva é a valorização do imóvel. Além de ajudar a melhorar a qualidade do ar e agradar aos condôminos que frequentam o edifício e seus visitantes, é, também, um ponto de destaque no mercado imobiliário.

Veja, a seguir, alguns tópicos que devem ser observados:

– Defina os galhos que precisam ser podados, evitando cortar aquelas que são necessários para a saúde da árvore. Cortar os galhos que estão em excesso favorece o envio de nutrientes para as partes saudáveis da planta. A poda da árvore também serve para moldar um formato, o que é indicado de ser feito uma vez a cada estação.

– Capinar áreas verdes faz com que elas fiquem mais bonitas e viçosas, evitando o crescimento excessivo.

– Opte por valorizar as espécies nativas, que trazem sustentabilidade ao jardim, não necessitando de tantos nutrientes ou irrigação, já que são adequadas àquele clima.

Esperamos que, com as informações e dicas que trouxemos nessa matéria, você consiga cuidar melhor das áreas verdes do seu condomínio, mantendo-as saudáveis e bonitas durante o ano inteiro, livres de pragas e outras companhias indesejadas. #FicaADica

Motivos para apostar na energia solar

Aproveitando o calor, ainda mais intenso durante os dias de verão, resolvemos conversar, hoje, sobre a energia solar, e os bons motivos que você tem para apostar nela. Continue lendo a matéria e confira, a seguir, nossas informações, divididas em tópicos!

  • Redução dos custos

Instalar sistemas de energia solar para residências está muito mais barato, já que os custos estão menores e a tendência é que continuem caindo. Os preços dos equipamentos caíram, nos últimos anos, cerca de 70%, no mercado global. Dessa forma, o custo-benefício dessa alternativa mudou significativamente.

  • Manutenção mínima

O sistema de energia solar conectado a uma rede não possui partes móveis, engrenagens ou motores, reduzindo sensivelmente a necessidade de manutenção. É necessário, apenas, realizar a verificação de conectores e equipamentos, periodicamente, além das limpezas anuais, quando houver acúmulo excessivo de poeira ou outros resíduos. A água da chuva já é a responsável por fazer a limpeza recorrente no aparelho.

  • Incentivos fiscais

A tendência é que surjam incentivos fiscais do governo brasileiro para quem usa energia solar. Desde dezembro de 2012, os brasileiros podem gerar energia solar em suas próprias casas, recebendo descontos na conta de luz paga às concessionárias (Resolução Normativa 482 da Aneel). Todo o excedente de energia solar gerado pelo sistema instalado numa residência ou negócio é injetado na rede elétrica e, então, devolvido para o consumidor em forma de créditos na conta de energia.

  • Veículos elétricos

Outra influência no assunto é a crescente popularidade dos carros e bicicletas elétricos. Cada vez mais locais estão investindo em energia solar para alimentar não só a casa/escritório/consultório, enfim, algum espaço físico, com a energia gerada pelas placas solares, como também as baterias desses transportes.

E então, o que você pensa sobre essa alternativa? Além de todos os benefícios que falamos e da grande economia na conta de energia elétrica, apostar na energia solar é garantir o uso de uma energia sustentável, o que, nos dias de hoje, torna-se cada vez mais importante, não é verdade?! #FicaADica

Qual é mais eficaz: segurança eletrônica ou recursos humanos?

Com o passar do tempo, aprimora-se a tecnologia e, nos condomínios, os recursos e equipamentos de segurança se modernizam. Na matéria de hoje, resolvemos fazer um comparativo entre os sistemas de segurança feitos eletronicamente e os que utilizam recursos humanos. Confira!

As vantagens de utilizar avançadas tecnologias para aumentar a segurança e o conforto dos condôminos são muitas, mas, para facilitar a visualização delas, observemos, a seguir, alguns pontos, contrapondo a mão de obra de profissionais de segurança com os recursos tecnológicos.

  • 24/7

A segurança ideal é aquela que funciona 24 horas por dia, 7 dias da semana, ao longo de todo o ano. Como as pessoas possuem necessidades diversas (como ir ao banheiro e se alimentar, por exemplo), é impossível que elas cumpram esse requisito inicial, independente de sua competência e comprometimento.

Além disso, problemas pessoais e de saúde também interferem, além de algumas distrações, que influenciam o trabalho, como, por exemplo, o uso do celular e conversas paralelas. Tudo isso interfere na qualidade e na eficiência de qualquer sistema que envolva pessoas, o que, em contrapartida, não acontece quando a segurança utiliza a tecnologia.

  • Custos

O custo com mão de obra pode variar um pouco, mas, de qualquer forma, é muito elevado. Além dos salários dos funcionários, é preciso arcar com os encargos trabalhistas, além de outras despesas (vale-transporte, seguros etc.), que chegam a representar cerca de 50% a mais do custo salarial.

Além disso, de acordo com a CLT, cada funcionário só pode cumprir 44 horas semanais em sua atividade. Considerando que uma semana tem 168 horas, seriam necessários, portanto, quatro funcionários para cumprir uma vigilância durante as 24 horas por dia, nos 7 dias da semana. Há, ainda, os feriados, férias e eventuais faltas, que, provavelmente, despertam a necessidade de mais um funcionário. Ou seja: custos elevadíssimos.

Enquanto isso, a implantação de um sistema de segurança eletrônica, apesar de exigir um aporte financeiro inicial significativo, tem custos mensais infinitamente menores e, já em curto prazo, é possível perceber a economia. Essa mesma economia pode, posteriormente, ser revertida em benefícios para os condôminos, podendo gerar, inclusive, a redução da taxa condominial.

  • Estabilidade

Como os sistemas eletrônicos são projetados para funcionar sem falhas, eles têm formas de funcionar, mesmo em situações de emergência. Por exemplo, caso falte energia elétrica, um conjunto de baterias pode entrar em ação, permitindo que todas as funções permaneçam ativas.

Além disso, são realizadas manutenções preventivas, a fim de evitar defeitos e problemas técnicos, e instalados sistemas que podem substituir os principais, sem interrupções, em eventuais falhas dos mesmos, garantindo maior segurança, controle e conforto, e qualidade e eficiência nos processos.

Ou seja, é possível perceber que a tecnologia e seus recursos podem oferecer diversos benefícios, tanto do ponto de vista econômico, como, principalmente, da qualidade e efetividade dos sistemas instaurados. Que tal levar esse assunto para uma reunião no seu condomínio, debatendo-o com seus vizinhos?!

Aprenda dicas para economizar água no verão

Resolvemos trazer, na matéria de hoje, dicas de como economizar água, mesmo no verão – a estação mais quente do ano. Por isso, seja na sua casa, apartamento ou condomínio, fique atento a esses tópicos, e poupe recursos – naturais e financeiros. Veja mais a seguir!

Durante o verão, o consumo de água aumenta, já que as altas temperaturas fazem com que as pessoas gastem mais esse recurso tão precioso. Porém, com consciência e o uso de alguns dispositivos específicos, é possível economizar bastante. Confira nossas sugestões!

  • Torneiras

Faça, periodicamente, a manutenção delas, evitando o desperdício. Aliás, existem torneiras com sistemas antidesperdício que, com arejador, evitam respingos, economizando até 50% de água.

  • Chuveiros

Esse é outro aparelho que gasta muita água. Os modelos mais modernos acompanham redutores de vazão, que ajudam a economizar até 50% de água, além de também economizar energia elétrica. É essencial, também, diminuir o tempo de banho, o que, logicamente, ajuda, e muito, a economizar. Faça um esforço e vá diminuindo seu tempo aos poucos.

  • Lavadora de alta pressão

Ela utiliza até 80% menos água do que uma mangueira, para lavar a mesma área. Por isso, vale muito o investimento. Para a lavagem de carros, essa é a opção mais recomendada, limpando melhor o carro, além de gastar uma quantidade muito menor de água.

  • Lava louças

Essa invenção, se usada corretamente, ajuda muito no consumo de água, gerando uma economia de até 90% quando comparada a uma lavagem manual – além de poupar muito esforço físico. Utilize-a sempre cheia, aproveitando ainda mais e reduzindo o desperdício de recursos.

Lembrando que todas as mudanças só fazem sentido se você e sua relação com os recursos naturais também mudarem. É preciso ter consciência e, assim, lidar melhor com a água, a energia e os demais recursos do planeta, utilizando-os com equilíbrio. #FicaADica

Brincadeiras de antigamente que ainda fazem sucesso nas férias

Resolvemos trazer, na matéria de hoje, algumas brincadeiras antigas, que fizeram muito sucesso entre as gerações passadas e podem, ainda hoje, levar alegria para a criançada, com poucos recursos e muita criatividade – durante as férias ou em outros momentos. Continue lendo o post e confira!

  • Caça ao tesouro

Faça uma lista de objetos e esconda-os em pontos diferentes da casa – obviamente, em locais acessíveis às crianças. Se as crianças já sabem ler, escreva dicas criativas. Se não sabem, desenhe um esboço dos itens escondidos. Ao final, quem achar pode levar um prêmio, como alguns bombons, por exemplo.

  • Cabaninha

Com um lençol e o apoio de cadeiras ou sofá, incentive as crianças a montar cabaninhas, em qualquer lugar da casa. Elas podem, depois, levar seus brinquedos lá para dentro, você pode contar uma história pra elas ou pode ser um local para uma soneca especial.

  • Pega-varetas

Separe 25 palitinhos de churrasco e pinte, com tinta guache: 6 amarelos, 6 verdes, 6 vermelhos, 6 azuis e 1 preto. A ideia é pegar as varetas sem mexer nas outras. A pontuação é feita de acordo com as cores, e a preta vale mais pontos.

  • História em quadrinhos

Com um bloco de papel, desenhe, na parte inferior do bloco, a partir da esquerda, um boneco, um carro, um cachorrinho ou qualquer coisa que será colocada em movimento. Na página seguinte, repita a figura, com a pose um pouco diferente e um pouco mais para a direita da página. Repita o processo e veja, ao final, o resultado, folheando as páginas com o polegar, conferindo o desenho se movendo.

  • Macarrão colorido

Coloque um pouco de macarrão cru (preferencialmente, penne) num saco plástico com zíper, adicionando uma colher de sopa de vinagre branco e 2 a 3 gotas de corante alimentar. Feche o saco e deixe a criança agitar, até que a massa fique toda colorida. Retire, espalhe sobre papel toalha e espere secar. Repita o processo com outros saquinhos e novas cores. Utilize a massa para fazer colares e pulseiras coloridos, usando barbante ou linha de bijuteria.

  • Fantoches com saco de papel

Desenhe um rosto num saquinho de papel de cabeça para baixo, e pronto, você já tem um fantoche. Para melhorar os personagens, decore com fios de barbante, criando cabelo, botões para os olhos… Complete com glitter e detalhes em canetinhas coloridas.

E então, o que você achou das sugestões que trouxemos para animar as férias da criançada, ao mesmo tempo que incentivam sua criatividade?! Esperamos que tenha gostado e se inspirado a colocá-las em prática junto a seus filhos, sobrinhos, netos, irmãos, afilhados… Depois nos conte os resultados!